No Dia dos Pais, The Mamas and the Papas

O Dia dos Pais no Brasil é celebrado no segundo domingo de agosto. E me veio à mente, quando pensei nisso, o grupo The Mamas and the Papas (As Mamães e os Papais). Sei que não tem nada a ver uma coisa com outra, a não ser a palavra “Papas”, mas fazer o quê?

É assim que minha mente funciona… Eh, eh, eh.

Esse grupo, formado pelo casal John e Michelle Phillips, e mais Danny Doherty e Cass Elliot, começou a ensaiar em 1965 e estourou no ano seguinte, com “Monday, Monday” e “California Dreamin'”. Foi uma das poucas bandas americanas que conseguiu se manter em alta depois da “invasão britânica”, nome que se deu ao afluxo de bandas inglesas se apresentando nos EUA – começando com os Beatles, que abriram as portas, e logo seguidos por Rolling Stones, The Who, The Animals e vários outros.

The Mamas and the Papas foi único porque, além das vocalizações harmoniosas e belas canções, nunca se rendeu à fórmula de outras bandas: um vocalista solo, um guitarrista chamando a atenção para si. Eles pretendiam representar uma ideia, um modo de vida, que fora inspirado pelo “Flower Power”, a força das flores, slogan que simbolizava a ideologia da não-violência e o repúdio à Guerra do Vietnã.

John, o principal compositor da banda, continuou ainda alguns anos no palco, falecendo em 2001. Michelle, depois de sair da banda e se separar de John, engatou uma carreira de atriz, aparecendo em diversos seriados de TV e continua na ativa. Danny seguiu carreira solo, fez dublagens para TV e cinema e faleceu em 2007. Mama Cass, como ficou conhecida, depois de sair do grupo iniciou uma carreira solo de bastante sucesso, e faleceu de ataque cardíaco (ela ostentava um sobrepeso grave) aos 32 anos, em meio a uma turnê.

Abaixo, uma das canções de maior sucesso da banda, “Got a Feelin'”:

E a seguir, uma das que mais gosto e que define bem a filosofia do grupo, “Safe in My Garden” de 1968. Durante a gravação, John teve que pedir a Mama Cass que maneirasse sua voz poderosa, senão iria cobrir as vozes de todos os outros. Ela meio que fez isso, e se conteve um pouco. De fato, Cass se soltou apenas na carreira solo, mesmo, cantando a todos os pulmões, e que pulmões…

Safe in my garden,
An ancient flower grows.
And the scent from its nature
Slowly squares my room and its perfume
Being such that it’s causing me to swoon.

Could it be we were hot-wired
Late one night while very tired
They stole our minds and thought we’d never know it.
With a bottle in each hand, too late to try to understand.
We don’t care where it lands – we just throw it.

Somebody takes us away…
Somebody takes us away…

Safe in my garden,
An ancient flower grows
And the scent from its nature
Slowly squares my room and it’s perfume

Being such that it’s causing me to swoon.

When you go out in the street,
So many hassles with the heat;
No one there can fill your desire.
Cops out with the megaphones,
Tellin’ people stay inside their homes.
Man, can’t they see the world’s on fire?

Somebody take us away…take us away…

Safe in our garden,
An ancient flower grows.
And the scent from its nature…
Slowly squares my room.
Take us away…take us away…

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.