As fotos mais poderosas de todos os tempos

Uma imagem vale mais que mil palavras , mas nem todas as imagens são iguais. As que estão reproduzidas aqui são emocionantes e inesquecíveis porque  falam sobre a condição humana, retratando alguns dos melhores e piores momentos da existência humana contemporânea.

Devo alertar que algumas das fotos podem entristecê-lo, enquanto que outras podem enchê-lo de alegria. Mas isso acontece precisamente porque elas refletem o melhor e o pior da experiência do homem. As fotos antigas que posto de vez em quando descrevem o nosso passado, enquanto que estas tratam de nosso presente – de nossos sofrimentos e conquistas, de nossas falhas e de nossa perseverança, de nosso ódio e de nossa compreensão… De nossa estupidez e de nossa inteligência.

Só espero que esta seleção nos lembre que nosso mundo pode sempre aceitar de bom grado um pouco mais de amor, tolerância , compaixão e compreensão.

O missionário e a criança faminta.

Diego Frazão Torquato, 12 anos, tocando violino no funeral do líder do Afroreggae, morto em um assalto em 2009.  A orquestra dessa ONG o ajudou a escapar da violência, mas o menino não escapou das doenças e morreu em 2010, vítima de uma parada cardiorrespiratória após uma cirurgia.

Soldado russo tocando num piano abandonado na Chechênia (1994).

Bombeiro dando água a um coala durante o incêndio florestal em Victoria, Austrália (2009).

Reencontro de mãe e filha, depois da mulher servir no Iraque por quase um ano.

Indianos sem-teto – e sem mais um monte de coisas –  recebendo comida em Nova Delhi, Índia.

Pai alcoólatra e filho, na Mongólia…

Pôr do Sol em Marte

Demonstração do uso de preservativos em um mercado em Jayapura, capital de Papua, em 2009.

O filho pede para o pai esperar, em New Westminster (1940). O pai estava embarcando para a guerra na Europa…

Veterano russo da Segunda Guerra Mundial encontra o tanque onde serviu, exposto como monumento em um vilarejo em sua terra natal.

Flower Power, EUA (1967).

Salvando gatos da inundação, em Cuttack, Índia (2011).

Afegão oferecendo chá ao soldado americano.

Túmulos de mulher católica e marido protestante, Holanda (1888).

Brincando com o cotidiano

Uma das formas de exercitar a nossa criatividade é tentar manter aquele olhar de criança sobre as coisas do mundo. Um olhar sem censura, sem crenças e sem preconceito. Observe como a criança inventa mundos ao olhar, por exemplo, um carro batido no para-lamas: a história começa quando o Homem-Aranha desceu do avião e jogou o carro sobre o Jack Sparrow e… A imaginação corre solta!

Ou quando ela vê um rosto naquela maçaneta antiga da porta, como se estivesse viajando com Alice no País das Maravilhas.

Bem, as fotos abaixo, do site francês Buzzly, comprovam que há adultos que conseguem manter esse olhar criativo sobre o cotidiano, enxergando mundos onde nós veríamos apenas… Relógios e isqueiros. Comprove:

1-angry-clock

3O16cQK

Objetos Escondidos do cotidiano 7

Objetos Escondidos do cotidiano 12

1340067167228

things-with-faces-12

yEAzASO

 

 

 

 

Sugestões para Cartões de Natal

Em mais um serviço de utilidade pública, apresentamos aos nossos queridos leitores diversas sugestões para deixar seu Natal mais feliz. Afinal, é uma época de congraçamento, de união, e de mandar mensagens aos familiares e amigos que você não vê há pelo menos um ano.

Assim sendo, nada melhor do que tirar uma foto com toda a família reunida e enviá-la aos seus entes queridos com uma mensagem celebrando essa tão importante data cristã. Para facilitar o seu trabalho, as sugestões a seguir podem ser realizadas sem muito esforço, e não requerem nem prática, e nem tampouco habilidade. Apenas um pouco de inspiração…

E, para encerrar nossas sugestões, a mais meiga de todas e que representa bem o espírito de Natal nos dias de hoje…

 

Momentos felizes dos bichos!

Estresse, medo, ansiedade, depressão, agressividade…
Os bichos, assim como nós, sofrem de tudo isso. Motivos não faltam… No caso dos animais de estimação é menos difícil reconhecer quando estão tristes ou deprimidos. O cachorro, por exemplo. Se ele não tiver um quintalzinho que seja para brincar e se exercitar à vontade, não vai viver lá muito feliz. Caso passe boa parte do tempo na mais completa solidão, idem.
Quanto ao gato, por trás daquele ar de felina superioridade esconde-se um ser carente. Pois é, cães e bichanos são sensíveis ao que acontece ao seu redor. Basta ver a reação apavorada deles a trovoadas e rojões.
A perda de um companheiro faz o bicho sofrer. O mesmo acontece quando nasce um bebê na família que o adotou e ele deixa de ser o centro das atenções. Mudanças de ambiente, uma viagem de curta duração, a ida ao pet shop para os cuidados com a higiene ou a estadia num hotelzinho também são fatores capazes de causar um certo estresse.
Assim como se pode reconhecer quando o animal está triste, também podemos perceber quando ele está feliz. Nas fotos abaixo, algumas pessoas tiveram a sorte de captar alguns desses momentos de alegria dos bichinhos.
Curta essa emoção!
Bem, este amigo enfiou o nariz onde não devia… Eh, eh, eh!

Parece, mas não é…

A atividade de fotografar pessoas e cenários é muito divertida e, muitas vezes, saem fotos muito bonitas. Mas, de vez em quando, a gente se depara com imagens que precisamos olhar duas vezes para entender. Ou são bizarras, ou são engraçadas ou simplesmente não é aquilo que você está pensando… Veja alguns exemplos:

(This is not a dog politely riding the train to work.)

(This is not a tiny man riding on a woman's back.)

(This is not a young woman carrying a young man.)

(This is not a tiny baby with fully grown legs.)

(This is not a boy with the face of a man.)

(This is not a man with a really tiny head.)

(This woman is not levitating on a floating platform.)

Os lugares abandonados mais bonitos do mundo

A exploração urbana, ou urbex, é a exploração de estruturas construídas pelo homem que estejam abandonadas ou em ruínas. Esse é um hobby que pode ser perigoso, porque embora sua natureza seja basicamente documental, os seus praticantes muitas vezes precisam invadir propriedades alheias e isso, além do risco de causar acidentes, ainda tem o risco de levar à prisão.

Os praticantes da modalidade, geralmente fotógrafos (há pintores, também) organizam expedições a paisagens urbanas em busca de um tema diferente: o abandono. São fontes ricas de cor e de composições em locais cobertos de pó, de ferrugem e degradação.

No passado, havia pintores especializados em natureza morta, e hoje podemos dizer que os “fotógrafos de civilizações mortas” procuram sua inspiração não só nas cidades, mas também em instalações industriais abandonadas, em navios encalhados ou submersos, túneis desativados, catacumbas e estruturas subterrâneas debaixo de grandes cidades.

As fotos que esses exploradores conseguem são surpreendentes.

Ospedale Bartolini, Itália.

chatillon-car-graveyard-abandoned-cars-cemetery-belgium-7

Cemitério de automóveis, Bélgica.

Mansão abandonada, França.

Vilarejo deserto perto de Antuérpia, Bélgica.

aed6a6218b350cdf79077d0e39d53b14

Universidade abandonada, Liége, França.

123434194_6875faafb4_o

Vale dos Moinhos, Sorrento, Itália.

panam-nagar_md-abdullah-mahmud-100

Cidade-fantasma de Panam Nagar, em Bangladesh.

Casas abandonadas, Flórida.

A “Disneylândia” abandonada da China. Situada a 50 minutos de carro de Beijing, o dinheiro da construção acabou em 1998 e as ruínas ficaram por lá…

Túnel alagado da ferrovia desativada de Queensbury, na Inglaterra.

Edifícios antigos na Baixa Manhattan, Nova York, onde no passado viviam artistas e boêmios.

Hambúrguer mais velho do mundo tem 14 anos de idade mas não aparenta, continua bonitão!

O homem quer manter o hambúrguer conservado por muito mais tempo, para um dia poder mostrar aos seus netos. (ri muito)

Um homem do estado de Utah, nos EUA, manteve um hambúrguer de um fast-food (sim, do McDonald’s mesmo) por 14 longos anos e, incrível, a aparência do sanduíche se manteve inalterada! Não há o menor sinal de mofo ou emboloramento no alimento.

David Whipple, de 63 anos, guardou o hambúrguer inicialmente no bolso de um casaco, onde ficou esquecido. (quem coloca um hambúrguer no bolso do casaco??!?)

Dois anos mais tarde, quando se deparou com o sanduíche, decidiu examiná-lo para ver o que aconteceu. (Dois anos depois… Quer dizer, o cara deixou o casaco pendurado por dois anos, é isso? Daí, quando foi usar, enfiou a mão no bolso e viu o sanduba?)

Segundo contou ao site “Orange”, Whipple, ao abrir o pacote, ouviu um festival de: “Oh, meu Deus, eu não posso acreditar que ele esteja da mesma maneira!”.

De acordo com especialistas do programa da televisão norte-americana “The Doctors”, o formato do hambúrguer, fino e largo, ajuda na perda rápida da umidade do alimento. Sem umidade, não há bactérias decompositoras.

O bonitão, que não aparenta a idade que tem.

Outras fontes alegam que o cara não guardou o sanduba no bolso do casaco. Quer dizer, guardou, mas não o deixou pendurado, ele o esqueceu no porta-malas do carro… Dois anos sem abrir o porta-malas do carro!

Para mim, a maior lição de tudo isso é: “Veja o que tem de conservantes na comida de fast-foods!”