A estrada mais perigosa do mundo

Minha amiga Clene Salles, que vive no Peru, foi há tempos à cidade de Cajamarca para dar sua palestra, “Prácticas Terapéuticas a través del Biorritmo Planetario” no Encontro Internacional que lá se realizou. Ela vive em Trujillo, na costa norte do país, e a viagem de ônibus a Cajamarca dura cerca de 5 horas. Não que seja tão distante assim – em linha reta -, mas é que a cidade fica nos Andes, a 2.500 metros de altura, e a estrada é perigosa e cheia de curvas. 

2444499059_a5672e1531_oBem, não é difícil de imaginar que uma estrada rodeando as montanhas da Cordilheira dos Andes – ou de qualquer cordilheira, na verdade – seja de fato íngreme e provavelmente mais adequada ao tráfego de burricos e lhamas do que de carros e ônibus. Mas essa rodovia que liga Trujillo a Cajamarca, por mais perigosa que seja, felizmente não se compara à Estrada da Morte na Bolívia.

yungas-thumb

El Camino a los Yungas é uma estrada de 80 km que liga La Paz à Coroico, na Bolívia, mais conhecida como El Camino del Muerte. É famosa por ser extremamente perigosa, e foi declarada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento como a estrada mais perigosa do mundo. A estrada foi construída com trabalho escravo dos prisioneiros paraguaios durante a Guerra do Chaco, em 1930. É uma das poucas rotas que ligam a selva amazônica, ao norte da Bolívia, com a cidade de Paceña.

Atualmente existe uma rodovia mais moderna e mais segura que liga a capital à essa região, eliminando a necessidade de usar a antiga Rota 3.  Por causa de suas encostas íngremes, com uma largura da pista de 3 metros em alguns lugares, e falta de grades de proteção, a Rota 3 torna-se extremamente perigosa.

Também na área é comum a incidência de neblina e de chuvas, reduzindo a visibilidade, além do leito não asfaltado em alguns trechos e as pedras soltas caindo das montanhas. Há abismos de mais de 800 metros em vários locais do trajeto e a estrada tem duas pistas… O regulamento prevê que os motoristas que se dirigem para La Paz, subindo a montanha, têm preferência de quem desce. E assim, se você está descendo, deve parar para dar passagem. 

Acontecem mais de 200 acidentes por ano, com uma média de 96 mortes, a estrada é marcada por cruzes nos locais das quedas mas, apesar de tudo isso, tornou-se um popular destino turístico para os aventureiros do mundo todo. Desde a década de 1990, os motociclistas e os entusiastas de mountain bike usam essa pista muito por conta das paisagens deslumbrantes.

Tudo bem, as paisagens são lindas, mesmo. Mas, sei lá, eu iria a pé…

 

Publicado por Julio

Uma pena eu não ter nascido herdeiro ou milionário. Pois tenho um grande potencial pra isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: