A Garota de Vermelho de 1913

Mais de 100 anos depois de terem sido tiradas, essas imagens de uma adolescente em Dorset, na Inglaterra, tomaram conta do Twitter e do Instagram.

Uma foto em close relativamente incomum na época, tirada na praia em Lulworth Cove, Dorset, em 1913. A grande abertura reduziu o fundo a uma quase abstração, e a falta de referências óbvias do período em que foi tirada dá a esta imagem um toque moderno. Christina in a Red Cloak, 1913, Mervyn O’Gorman © Royal Photographic Society Collection

A garota em questão é Christina, e as fotos circularam nas redes sociais e na imprensa mundial. O Daily Mail a chamou de “a Dama de Vermelho original”. O Daily Mirror sugeriu que as imagens pareciam tão contemporâneas que deveríamos usar a hashtag #tinaonthebeach. E o El Pais apelidou Christina de “Una‘ pin-up ’de Flickr del siglo XX” .

O longo tempo de exposição deu ao mar uma qualidade vítrea e a grande abertura e a profundidade de campo limitada colocaram Durdle Door, ao fundo, fora de foco. Christina on the Beach, 1913, Mervyn O’Gorman © Royal Photographic Society Collection

Mas, quem foi Christina?

Seu nome completo era Christina Elizabeth Frances Bevan e ela nasceu em Harrow em 8 de março de 1897. Christina era filha de Edwyn Robert Bevan e Mary Waldegrave, que era conhecida pela família e amigos como Daisy. Eles tinham duas filhas – Christina e Anne Bevan – e moravam a apenas dois minutos a pé da casa da família de Mervyn O’Gorman, o fotógrafo amador e autor das fotos.

Um slide de Christina, Daisy e Anne caminhando até a praia em West Lulworth – a localização dos retratos de Christina – agosto de 1913. Por Mervyn O’Gorman

Talvez nunca saibamos qual era a relação precisa entre as duas famílias, mas, qualquer que fosse o vínculo, ambas as famílias eram claramente amigas. Certamente, a amizade foi suficiente para Mervyn acompanhar Daisy e suas duas filhas em uma viagem a Lulworth Cove em agosto de 1913, onde tirou os retratos de Christina.

Um retrato evocativo tirado na praia de Lulworth Cove. A escolha do traje de banho de Cristina foi fortuita, já que o vermelho era uma cor que o processo autocromo capturava particularmente bem. Christina on the Beach, 1913, Mervyn O’Gorman © Royal Photographic Society Collection

O autocromo é um antigo processo de fotografia colorida. Patenteado em 1903 pelos irmãos Lumière, na França, e comercializado pela primeira vez em 1907, permaneceu o principal processo para se obter fotografias a cores durante o início do século XX, especialmente na década de 1930.

Foto do Taj-Mahal usando o autocromo, de 1921.

Uma fotografia serena, quase surreal. O longo tempo de exposição necessário, mesmo sob sol forte, deu ao mar uma qualidade irreal de vidro. O vermelho vivo de seu traje está em dramático contraste com os tons naturais suaves do fundo. Ao longe avista-se o barco a remo que aparece em algumas das outras fotografias tiradas no mesmo dia. Christina Paddling, 1913, Mervyn O’Gorman © Royal Photographic Society Collection

E quem foi Mervyn O’Gorman?

Nascido na Irlanda, Mervyn Joseph Pius O’Gorman (1871–1958) é mais conhecido como um dos maiores engenheiros aeronáuticos britânicos. Durante a Primeira Guerra Mundial, ele foi chefe do Royal Aircraft Establishment em Farnborough. Ele também foi um pioneiro do automobilismo, escrevendo o O’Gorman’s Motoring Pocket Book em 1904, e esteve ativamente envolvido no Royal Automobile Club, tornando-se seu vice-presidente. Posteriormente, desempenhou um papel fundamental na introdução do Código de Trãnsito nas Estradas.

O’Gorman era um artista, além de engenheiro, concentrando-se em gravura e trabalho com laca. Ele também era um fotógrafo talentoso. Um homem bem-humorado com enorme energia física e mental, ele parece ter sido quase universalmente querido e admirado.

Neste retrato, Christina olha pensativamente para um lago ornamental. O local desta fotografia não é conhecido, mas pode ser os jardins de Rempstone Hall perto do Castelo de Corfe em Dorset. Christina by the Pond, 1913, Mervyn O’Gorman © Royal Photographic Society Collection

 

O’Gorman captura uma cena atemporal enquanto o grupo faz seu piquenique na praia em Dorset, com Durdle Door ao fundo. O estojo da câmera de O’Gorman pode ser visto perto da irmã de Christina; uma das grandes vantagens do processo autocromo era que não exigia aparelhos especiais – os fotógrafos podiam usar placas autocromáticas em suas câmeras. A Picnic on the Beach, 1913, Mervyn O’Gorman © Royal Photographic Society Collection

Publicado por Julio

Uma pena eu não ter nascido herdeiro ou milionário. Pois tenho um grande potencial pra isso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: