O veganismo pode salvar o planeta e milhões de vidas!

Acho que você já ouviu falar do veganismo. E deve conhecer pessoas que aboliram o uso de produtos de origem animal e se tornado veganas. Mas, o que é um vegano? Bem, eu abandonei o consumo de carne (mas ainda não sou vegano 100%) e venho me informando sobre esse tema, o vegetarianismo e os riscos que nosso planeta sofre ao consumir produtos de origem animal.

Sem mais conversa mole, vamos às informações que coletei.

O que é um vegano?

O vegano é a pessoa que pratica o veganismo em todas as suas ações, seja na alimentação ou não. Ele é vegetariano estrito em sua dieta e também não utiliza produtos de origem animal. Ele “busca excluir, na medida do possível e do praticável, todas as formas de exploração e de crueldade contra animais”.

 Quem é defendido pelos veganos?

O veganismo é um movimento que busca a libertação animal em todas as frentes possíveis, incluindo mercado, alimentação, trabalho forçado e entretenimento. Vale dizer que isso não envolve apenas os animais não humanos (que são chamados de “irracionais”).

Quem é mesmo o animal irracional?

Ou seja, a libertação dos seres humanos também é defendida. Isso significa que os veganos também buscam eliminar o consumo de produtos oriundos de empresas que exploram a mão de obra escrava, ou similar a ela. Além disso, também há movimentos que apoiam a adoção do veganismo como forma de democratizar o acesso à alimentação — pois cerca da metade dos grãos produzidos no mundo são usados para a engorda de “animais de corte”…

Qual é a diferença entre veganismo e vegetarianismo?

Muitos acham que o “veganismo” é apenas uma dieta. Não, ele é um movimento de libertação animal. A dieta seguida pelos veganos é o “vegetarianismo estrito” – que também é seguida por outras pessoas que não são veganas. Pode parecer confuso, mas é bem fácil entender. Confira na tabela abaixo:

Como se vê, todo vegano é vegetariano estrito. Porém, nem todo vegetariano estrito é vegano. Isso acontece porque há pessoas que não consomem nada de origem animal na alimentação, mas acabam consumindo couro, lã, seda ou vão a eventos com exploração dos animais (incluindo rodeios, zoológicos e parques).

Peixes e frutos do mar?

Se você é vegano ou vegetariano, certamente já ouviu a pergunta “Nem peixe?”. Se você não é, provavelmente já fez a pergunta para algum amigo. E a resposta é bem clara: a dieta vegetariana exclui a carne dos peixes e de outros frutos do mar de seu cardápio.

Por quê?

Porque todos os animais possuem sistema nervoso central e senciência — a capacidade de sofrer, sentir dor ou alegria. Por mais que eles não emitam sons fora da água, eles sentem dor ao serem pescados ou cortados ainda vivos. Ao serem retirados da água, morrem em um doloroso processo de asfixia. Sabia disso?

Por que não consumir ovos e leite?

Há quem diga que o leite e os ovos não são um problema, pois são obtidos sem a necessidade de matar um animal, o que acontece com a carne. Porém, existe uma série de observações sobre o método de obtenção desses produtos que a gente tem que saber…

Leite

Como em toda espécie de mamífero, para que a “vaca leiteira” produza leite, é preciso que ela seja mãe. Na indústria, as vacas são emprenhadas com inseminação artificial e, depois do parto, têm seus filhotes levados embora: as fêmeas são encaminhadas para o mesmo processo e os machos são abatidos ainda bezerros, para abastecer o mercado de vitelos.

A expectativa de vida de uma vaca criada solta é de cerca de 20 anos, mas as vacas leiteiras geralmente são abatidas com menos de 8 anos. Isso acontece porque elas começam a apresentar problemas de reprodução após várias gestações forçadas, problemas de locomoção e outras inflamações.

Ovos

Assim que nascem, as galinhas são debicadas (têm os bicos arrancados) sem anestesia. Isso é feito para que elas não machuquem umas às outras ao serem submetidas a situações de muito stress — o que acontece, já que até oito galinhas dividem gaiolas com pouco mais de 0,2 m². Veja na foto acima…

As galinhas poedeiras podem passar a vida inteira sem ver a luz do sol, sem poder caminhar e sem poder viver do modo natural…

Mas vocês comem só samambaia?

Geralmente, costuma-se pensar que os veganos e vegetarianos comem apenas saladas sem gosto e sem tempero, mas essa imagem é completamente errada. Eles comem cereais, frutas, legumes e qualquer outro alimento que venha das plantas, além de algas e cogumelos.

E isso não quer dizer que as comidas sejam apenas cruas — muito pelo contrário. Com algumas receitas, é possível fazer alimentos saborosos e totalmente saudáveis. Além disso, também há muito “Junkie Food” vegano, pois a variedade de hambúrgueres, doces e frituras que podem ser feitas é gigantesca. E mais… É possível comer tudo isso sem ingerir um único grama de soja se você não quiser.

E as proteínas?

Costuma-se pensar que carnes são a única fonte de proteína, mas isso não é verdade. O próprio Ministério da Saúde do Brasil já reconheceu o vegetarianismo como uma forma saudável e completa de se alimentar. Isso porque todos os aminoácidos essenciais para a produção de proteínas dentro do seu corpo podem ser conseguidos por meio dos vegetais.

Existe apenas um nutriente que não podemos encontrar na dieta vegetariana: a vitamina B12. Ela é produzida por bactérias e cianobactérias, com as quais a humanidade tem pouco ou nenhum contato atualmente e é encontrada em ostras, carne, peixes, manteiga, etc, mas tudo em pequena quantidade. Isso significa que uma boa parcela da população — vegetariana ou não — pode apresentar deficiência ou insuficiência de B12. Felizmente, existem diversas suplementações sintéticas da vitamina.

O que aconteceria se todo mundo adotasse o veganismo?

Uma pesquisa publicada pela Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America no começo deste ano aponta que, ao contrário de alguns medos comuns que a desinformação pode causar, a dieta vegana pode ser muito boa para você – e, claro, para o planeta todo também.

Segundo o relatório, se todas pessoas adotassem o veganismo a partir deste ano, 8,1 milhões de vidas seriam salvas até 2050. Teríamos 8,1 milhões a menos de vítimas de doenças associadas a diabetes, obesidade, problemas cardíacos e câncer, comumente ligadas com a dieta atual.

Se o mundo adotasse o vegetarianismo,  7,3 milhões de mortes seriam evitadas. Mas, na hipótese de que as pessoas passassem a adotar uma alimentação que exclui a carne, mas atende às recomendações da Organização Mundial de Saúde, 5,1 milhões de vidas acabariam poupadas.

11 alimentos vegetarianos ricos em proteínas

E é possível conseguir as proteínas necessárias ao organismo sem consumir carne. Vários vegetais possuem uma grande quantidade desse nutriente, basta saber quais são eles e como combiná-los para chegar a uma dieta saudável, e abaixo vai uma listinha. Maaasssss… Para encontrar uma dieta adequada para você, consulte um médico ou nutricionista!

Leguminosas

O feijão é uma ótima fonte de proteínas de origem vegetal. Além dele, favas, lentilhas, ervilhas e alguns cereais também são ricos nesse nutriente. Mas aqui tem um segredo: esses alimentos precisam ser combinados com outros, para que a união dos aminoácidos resulte em proteínas de boa qualidade. Alguns exemplos de combinação são arroz + feijão; lentilhas + trigo sarraceno; quinoa + milho e arroz integral + ervilhas vermelhas.

Tomate

Você sabia que o tomate é bom para manter um bom bronzeado? Isso porque ele é rico em betacaroteno, que atua na produção de melanina. De todas as calorias do fruto (que ele é fruto você sabia, né?), 18% vêm das proteínas do tomate. Ele também é rico em licopeno (antioxidante), vitaminas A, B e C, fósforo, ferro e potássio.

Repolho

Essa verdura é uma boa fonte de proteínas, com 22% de suas calorias vindas desse nutriente. O repolho também tem grandes quantidades de vitaminas C, A, B1, B2, B6 e K, ácido fólico, fibras, cálcio, fósforo e enxofre.

Pimentão

O pimentão está longe de ser consenso quando se fala em sabor. Mas quando o assunto é proteína, é batata – aliás, pimentão. O vegetal possui 22% de suas calorias provindas desse tipo de nutriente. No pimentão, há boas quantidades de vitaminas C e A e minerais como cálcio, fósforo e ferro.

Pepino

O pepino não é somente bom para a pele. Ele também é bom para os músculos, pois é uma boa fonte de proteína. Do total de suas calorias, 24% provêm desse nutriente. Pepinos também são ricos em vitamina C, B5, potássio, magnésio, folato, fibras e antioxidantes. Dentre suas principais qualidades, estão a capacidade calmante, e as ações anti-inflamatória, digestiva, estimulante, remineralizante, diurética, tônica e laxativa (ou seja, bom para quem tem prisão de ventre).

Salsinha

Quem diria que aquele verdinho que se coloca como enfeite na comida seria uma ótima fonte de proteínas! Mas 34% de todas as calorias da salsinha provêm desse nutriente. O problema é só a quantidade que você vai ter que comer do tempero, já que 100 gramas de salsinha possuem somente 34 calorias. Mas a dedicação vale a pena: as folhinhas que também servem para a decoração de pratos são ricas em vitaminas C, B6, B2, manganês, cálcio, zinco e ferro. Sua principal atuação no organismo é afinando o sangue, o que contribui no combate às doenças cardiovasculares.

Cogumelos

Pouco consumidos e relativamente caros no Brasil, os cogumelos comestíveis são uma excelente fonte de proteínas – e o melhor, muito pobres em gordura! De todas as calorias dos cogumelos, 38% provêm das proteínas, e os danadinhos ainda são excelentes fontes de vitaminas B2, B3 e B5, selênio, cobre, triptofanos (aminoácido presente no código genético), potássio e fósforo. .

Couve-flor

Da mesma família do brócolis, da couve e do rabanete, a couve-flor também é rica em proteínas: 40% do total de suas calorias são derivadas delas. O sabor suave desse vegetal possibilita que ela seja protagonista ou coadjuvante em várias receitas (gratinada é de raspar o prato!). Ela atua na proteção do organismo contra doenças cardíacas, osteoporose e mal de Alzheimer, alivia a hipertensão e previne a calvície.

Brócolis

Cem gramas de brócolis contém aproximadamente 36 calorias. Dessas, 45% são derivadas das proteínas. Esse vegetal também é rico em minerais, como cálcio, potássio, ferro, zinco e sódio e possui grande quantidade de vitaminas A, C, B1, B2, B6 e K.

Couve

Elemento-chave na culinária mineira, 45% das calorias da couve vêm das proteínas. A hortaliça também é rica em vitaminas A, B6, C e K, além de ter muito ferro e cálcio. Possui ação vermífuga, ajuda no combate a problemas do fígado e do estômago, é benéfica para quem possui prisão de ventre e diminui os sintomas da asma e da bronquite. Estudos mais recentes relacionaram esse santo remédio à diminuição da multiplicação de células cancerígenas.

Espinafre

Quase metade (49%) das calorias do espinafre vêm das proteínas. Além disso, o vegetal de folha verde escura também é rico em Ferro, Fósforo, Cálcio, vitamina A e vitaminas do complexo B. Assim, ele atua no combate às anemias, à fadiga, à hipertensão, hemofilia, pedras nos rins, artrites e escorbuto. O espinafre ajuda a fortalecer os dentes e os ossos, favorece os sistemas digestivo e nervoso e diminui a queda de cabelos.

 

O vídeo a seguir, da BBC, não tem nada a ver especificamente com veganismo ou vegetarianismo, mas ele trata da preservação de nosso planeta. Mostra, através de imagens belíssimas, de que forma nossa Mãe Terra está sendo ferida quando destruímos as florestas, sujamos a água e dizimamos os animais, e o mal que o consumismo causa a todos nós. Vale a pena assistir e nos conscientizar do mal que estamos todos fazendo.

O vídeo não tem nada a ver com o assunto deste post, mas… Tem tudo a ver!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fontes:

superinteressante

wikipedia

mudaomundo.org

megacurioso.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s