A destruição de Pompeia

O estúdio Zero One, de Melbourne, Austrália, apresentou uma impressionante animação exibida em 3D e que recria o dia em que a cidade de Pompeia foi destruída durante a erupção do vulcão Vesúvio. Os sete minutos desse filme mostram o drama e o terror que os habitantes da cidade viveram há muito tempo, quando uma série de erupções varreu a cidade do mapa.

A 24 de agosto de 79 d.C., o monte Vesúvio entra em erupção, submergindo as cidades de Pompeia e Herculano. Segundo um estudo recentemente divulgado pela publicação científica PLoS One, realizado por pesquisadores do Observatório Vesuviano, ligado ao Instituto de Geofísica e Vulcanologia de Nápoles, muitos dos seus habitantes teriam morrido por calor e não pela inalação de gases tóxicos.

Especialistas em vulcanologia e biologia examinaram estratos de cinzas no solo de Pompeia, moldes feitos com os restos dos corpos das vítimas guardados no museu da cidade e fragmentos de ossos. “Os ossos apresentam microfraturas, mudança de cor e processo de cristalização, efeitos característicos de altas temperaturas”, disse à BBC Brasil Giuseppe Mastrolorenzo, coordenador da pesquisa.

Segundo o vulcanologista, na primeira fase da erupção houve uma chuva intensa de pedras e cinzas que formou um estrato de três metros de altura. “Muitos moradores da cidade morreram soterrados, e os que sobreviveram morreram na segunda fase, devido a uma onda de calor de 600ºC, parecida com uma explosão atômica”, disse. “Todas as evidências indicam que as mortes foram causadas por exposição a altas temperaturas.”

Um arqueólogo italiano chamado Giuseppe Fiorrelli, ao encontrar buracos nas cinzas das ruínas de Pompeia, sugeriu preenchê-los com gesso, resultando em moldes que retrataram os últimos momentos de vida dos habitantes.

O Vesúvio é um vulcão localizado no golfo de Nápoles, na Itália,  a curta distância do litoral. É o único vulcão na Europa a ter entrado em erupção nos últimos cem anos, embora atualmente esteja inativo.

Nem Pompeia e nem Herculano voltaram a ser reconstruídas, apesar dos habitantes sobreviventes e dos saqueadores ocasionais terem conseguido retirar diversos despojos nos escombros. A localização das cidades acabou por ser esquecida, até serem acidentalmente redescobertas no final do século XVIII.

As ruínas de Pompeia.
As ruínas de Pompeia.

 

Publicado por Julio

Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…

2 comentários em “A destruição de Pompeia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: