MOMENTOS BIZARROS DE JAMES BOND

O mais recente filme de 007, “Spectre’, não tem conquistado críticas muito boas. Eu mesmo, fã confesso do personagem e tendo assistido todos os 23 filmes anteriores, e mais de uma vez, não gostei.

Comentei com outras pessoas o que achei do filme e minha opinião é a mesma de Pierce Brosnan, o ator que interpretou James Bond antes do atual dono da cadeira, Daniel Craig:

“Eu estava querendo muito ver”, Brosnan declarou ao site Hitfix. “Eu achei muito longo. A história é meio fraca — poderia ter sido condensada. Ele meio que durou tempo demais.”

Brosnan — que interpretou Bond ao longo de sete anos, começando por 007 Contra GoldenEye (1995) e terminando em 007 – Um Novo Dia para Morrer (2002) — foi além nas críticas sinceras: “[Spectre] não é nem peixe nem carne. Não é nem [um filme de James] Bond nem [de Jason] Bourne. Estou vendo um filme de Bond? Ou não é um filme de Bond?”

Há muitas cenas bizarras, algumas dignas do Agente 86 ou do Austin Powers, mas Daniel Craig não foi o único Bond a ter seus maus momentos. James Bond, na pele de outros atores, protagonizou momentos muito sem noção. Confira alguns deles:

Em “Viva e Deixe Morrer”, de 1973 – com música-tema de Paul McCartney – temos Roger Moore como 007. Ele foi o James Bond que mais protagonizou situações absurdas. Uma delas é quando  pula por cima de vários crocodilos para fugir de um lago infestado pelas feras.

Em “007 Contra o Homem da Pistola de Ouro” (1974), um dos piores filmes de toda a franquia,  Roger Moore  tem uma cena que, em si, não tem nada de absurdo. O incrível salto de carro foi feito por um dublê, mas os realizadores não estavam satisfeitos só com isso. Então, adicionaram um efeito sonoro na pós-produção que deixou o filme com cara de Trapalhões. Ridículo.

No seu último filme como 007, “Na Mira dos Assassinos”, de 1985 – com uma ótima música-tema do Duran Duran – Roger Moore quase levou o James Bond ao nível Didi Mocó. Ele amarra um dirigível em uma ponte com uma corda, persegue um bandido na Torre Eiffel e nesta cena (pena que tem uma imagem ruim), vai para a parte de trás de um caminhão de bombeiros durante uma fuga sem motivo nenhum…

Quando Roger Moore foi substituído pelo ator de teatro Timothy Dalton, todos esperavam que ele trouxesse um ar mais realista ao espião (se bem que não se pode levar a sério um agente secreto que declara seu nome, certo? “Meu nome é Bond, James Bond”). Mas, logo no primeiro filme que ele fez, “007 Marcado para Morrer”, de 1987, surgiu essa cena bizarra em que James Bond está fugindo de agentes do mal, e resolve usar a caixa de um violoncelo como se fosse um trenó e fugir de seus perseguidores com estilo…

Em seu segundo e último filme na pele de Bond, “007 Permissão para Matar” (1989), Timothy Dalton ensina como fazer uma entrada triunfal em um casamento logo depois de capturar um perigoso traficante.

Para encerrar, uma das cenas mais bizarras do último filme de Pierce Brosnan como  agente secreto, “007 Um Novo Dia para Morrer”, de 2002. Com uma trama confusa e muito criticada, o filme apresentava absurdos de desenho-animado, como um carro invisível movido a controle remoto, um vilão coreano que se disfarça de ocidental, e a cena acima, em que 007 surfa em um tsunami…

Humm… Depois de rever esses momentos de outros filmes da série, até que “Spectre” não é tão ruim quanto pensei…

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s