Michael J. Fox, “De Volta para o Futuro” e Johnny B. Goode

27898-lsquare

Em 1985, o canadense Michael J. Fox virou ídolo da noite para o dia ao viver Marty McFly, um garoto de 17 anos que viaja no tempo. “De Volta para o Futuro” era tudo aquilo que se espera assistir no cinema: comédia, romance, ficção científica, uma trilha sensacional…

No filme, Fox toca – de verdade (ele é guitarrista desde a infância)  – Johnny B Goode, sucesso de Chuck Berry, numa das cenas mais memoráveis da história do cinema moderno. Se você não assistiu, ou não se lembra, aqui vai:

Tudo corria bem, ele era requisitado para outros filmes, para estrelar séries de TV. Mas… Em 1991, Fox foi diagnosticado com mal de Parkison (que também assola o grande campeão Muhammad Ali), uma doença neurodegenerativa que leva à perda do controle sobre o corpo. Em 1998, no ponto em que não dava mais para disfarçar os espasmos, ele abandonou a série de sucesso Spin City para se cuidar e ficar mais tempo com a família. Essa série passou no Brasil pelo canal Sony como “Limpando a Barra”, e depois na TV Globo também.

Desde então, Fox tem aparecido pouco na TV, em algumas participações especiais (como na série The Good Wife) e talk-shows. Eu me lembro de sua participação num episódio da série (fantástica de boa!)  Curb Your Enthusiasm, do co-criador de Seinfeld Larry David, interpretando a si mesmo. Com senso de humor afiadíssimo, fez piadas memoráveis usando como mote o próprio mal de Parkinson.

Onde ele tem trabalhado mesmo, para valer, é na sua “The Michael J. Fox Foundation”, em que ele busca incansavelmente recursos  para financiar grupos que tentam encontrar uma cura para o Parkinson.

Não faz muito tempo, foi o mestre de cerimônias de um leilão feito em parceria com a Nike, que confeccionou réplicas do tênis usado por ele no filme “De Volta Para o Futuro II”. Foram 1 500 tênis vendidos por inacreditáveis 4,7 milhões de dólares, todos destinados às pesquisas.

Anualmente, a sua fundação realiza um evento de arrecadação de fundos, batizado de “A Funny Thing Happened On The Way To Cure Parkinson’s”. E, no último evento, Fox, usando um figurino parecido e uma guitarra igual, toca a mesma canção do filme que o fez famoso… Algo impensável para quem convive com o mal há mais de 20 anos!

A canção de Chuck Berry tem um riff simples, mas marcante. E o jeito como Fox empurra o braço da guitarra para o lado em que o corpo treme é, ao mesmo tempo, um testemunho da dignidade com que ele convive com a doença e um instantâneo da destruição causada pelas doenças neurodegenerativas.

Publicado por Julio

Uma pena eu não ter nascido herdeiro ou milionário. Pois tenho um grande potencial pra isso.

Um comentário em “Michael J. Fox, “De Volta para o Futuro” e Johnny B. Goode

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: