Como surgiu o espelho?

As primeiras superfícies capazes de refletir imagens começaram a ser feitas há cerca de 5 mil anos na antiga Suméria – região no atual Iraque, englobando áreas próximas à cidade de Bagdá. Os espelhos dessa época não produziam imagens nítidas, pois eram placas de bronze polidas com areia. Na Antiguidade, esses instrumentos de metal chegaram às mãos dos gregos e romanos e a partir daí foram se espalhando pela Europa até se tornarem conhecidos em todo o continente no final da Idade Média.

Os primeiros espelhos de vidro só surgiriam no início do século 14, criados por artesãos de Veneza, na Itália, que desenvolveram uma mistura de estanho e mercúrio que, aplicada sobre um vidro plano, formava uma fina camada refletora. Os espelhos venezianos eram famosos pela qualidade e seu método de fabricação era mantido em segredo. Mas, além do alto custo, a produção causava problemas aos artesãos, que se contaminavam com mercúrio, material altamente poluente.

Os espelhos que você encontra hoje com tanta facilidade surgiram há cerca de 200 anos, quando o químico alemão Justus von Liebig teve a ideia de aplicar uma camada fina de prata em um dos lados de uma chapa de vidro fino e claro. Esse processo deu origem ao estilo moderno de espelho, como o conhecemos hoje.

 

 

 

Lugares Que Vão Desaparecer Do Mapa

O mundo é feito de lugares e paisagens incríveis, mas não é imutável. Com o tempo, alguns ambientes vão se transformando e podem até sumir, seja por ação do homem ou da própria natureza. O antigo Salto de Sete Quedas, no Brasil, que já foi a maior cachoeira do mundo e uma das paisagens mais maravilhosas do planeta, foi sacrificado para dar lugar à Usina de Itaipu, por exemplo. Isso sem contar as civilizações inteiras que foram perdidas quando soterradas.

Há mais alguns lugares em nosso planeta que podem ter o mesmo destino. Se puder, visite-os antes que desapareçam!

Grande barreira de corais (Austrália)

A Grande Barreira de Corais na Austrália é a maior barreira de corais do mundo e abriga uma imensa biodiversidade, com uma fauna aquática muito rica. Infelizmente, ela está ameaçada por condições ambientais, como aumento da temperatura dos oceanos e aumento da poluição gerada pelo homem. Existem estudos que indicam que a barreira pode sumir nos próximos 100 anos, o que significa que seus netos talvez não tenham a chance de vê-la mesmo que viajem para lá.

Veneza (Itália)

Veneza é uma das cidades mais visitadas do mundo e considerada também uma das mais românticas. Hoje, mais de 270 mil pessoas moram por lá.  Cercada de água, a quantidade de inundações em Veneza vem crescendo nos últimos anos. A cidade afunda cerca de 2 mm por ano. Se continuar assim, pode se tornar inabitável até o final deste século (fez bem o George Clooney, que se casou lá com a bonitona…)

um-sonho-em-veneza.html

Mar Morto (Oriente Médio)

O Mar Morto é famoso por sua salinidade de 33% – dez vezes maior que a dos oceanos – o que faz com que apenas seres unicelulares consigam sobreviver nele. Nos últimos 50 anos, o Mar Morto perdeu um terço do seu volume. É possível que nos próximos 50 ele simplesmente deixe de existir.  A culpa, desta vez, é do homem. Isso porque países vizinhos estão drenando a água do Rio Jordão, que o alimenta.

Como eu sempre disse, a água – que durante séculos se acreditou um bem natural renovável – não é infinita. A má utilização, e a crescente procura deste recurso, tornou-se uma preocupação geral, pela menor disponibilidade de água potável em todo o planeta. Isto é suficiente para deixar o cidadão comum preocupado, mas ganha outra dimensão se pensarmos que apenas 1% de toda a água da Terra está disponível para uso, pois a maior percentagem de água existente é salgada (97,5%) e outra parte encontra-se em locais inacessíveis.

A poluição, a má gestão da água e as alterações climáticas, que estão de fato provocando o aquecimento do planeta, são alguns dos motivos que contribuem para a menor disponibilidade dos recursos hídricos. Atrás desse recurso, países começam a desviar o curso dos rios, como ocorre com o Jordão…

Ilhas Maldivas (Oceano Índico)

O que as Ilhas Maldivas têm de belas, também têm de frágeis. Cerca de 80% do arquipélago está a apenas 1 metro acima do nível do mar. Acredita-se que nos próximos 100 anos boa parte das ilhas serão encobertas, se os níveis dos oceanos continuarem a subir, por conta do aquecimento global que provoca o derretimento das calotas polares.

Nos últimos anos, o nível do mar subiu 20 cm em algumas partes do país. O risco é tão real que o governo das Maldivas já está até mesmo comprando terras em outros países para abrigar moradores que não tiverem onde morar.

As geleiras dos Alpes (Europa)

Os Alpes são um dos grandes sistemas de cordilheiras da Europa e uma das regiões de esqui mais famosas do mundo. Infelizmente, cerca de 3% do gelo glacial da região está desaparecendo a cada ano. Nesse ritmo, é possível que as geleiras possam deixar de existir totalmente até 2050…

Por Gabriel Tonobohn
discoverybrasil.uol.com.br

As 10 mais belas cidades do mundo

Depois das 10 mais feias cidades do mundo, o site U City Guides elegeu as dez cidades mais lindas do planeta. Percebi que ainda tem muitas na lista que preciso conhecer… Confira:

10 – Bruges

Localizada a noroeste da Bélgica, a cidade é conhecida principalmente pelos seus canais que fazem com que seja conhecida como Veneza do Norte. Os pontos principais da cidade a serem visitados são o prédio da prefeitura, o Groeninge Museum, a torre medieval Halletoren, a Igreja Carmelita e o portão medieval da cidade, o Ezelpoort.

9 – Budapeste

Capital e maior cidade da Hungria, conhecida pelo apelido Rainha do Danúbio. Budapeste surgiu exatamente da união entre as cidades de Buda e Peste, uma de cada lado do rio Danúbio e desde 1873 se tornou uma só.  Quem conhece ficou fascinado pela exuberante arquitetura. Preciso visitá-la.

8 – Roma

A capital da Itália recebeu o oitavo lugar. É uma das principais cidades quando falamos em História Mundial, nela está localizado o Coliseu (se bem que o cheiro de xixi ao redor dele é insuportável) e inúmeras ruínas e monumentos. Mas gosto muito da região do Trastevere. Em seu interior também se localiza a Cidade do Vaticano.  

7 – Florença

Localizada na região da Toscana na Itália, a cidade que é sinônimo da Renascença é citada por muitos como a mais bonita do mundo, e aqui ela ficou com a sétima posição na frente da capital Roma e atrás de uma outra cidade italiana. Um dos passeios imperdíveis é a Galleria dell’Accademia, museu onde se encontra a famosa escultura David de Michelangelo.

Florence

6 – Amsterdam

Capital da Holanda, é uma das minhas favoritas e das mais charmosas que já fui. Uma das curiosidades sobre a cidade é que ela está situada em uma região abaixo do nível do mar, por isso tiveram que ser construídos os famosos canais. E andar de bicicleta por ali é imperdível.

Amsterdam

5 – Rio de Janeiro

A representante brasileira da lista não fez feio e ficou com quinta posição. Rio de Janeiro é a cidade brasileira mais conhecida no exterior e também a mais visitada por turista estrangeiros. O Rio, apesar de todos os problemas que conhecemos bem,  é… O Rio.

Rio de Janeiro

4 – Lisboa

A capital portuguesa consegue o quarto lugar na lista. As regiões da cidade mais procuradas pelos turistas são a Baixa Pombalina ou Baixa de Lisboa, Santa Maria de Belém, Chiado e o Bairro Alto. Com uma temperatura média anual de 20° C a cidade tem muito a oferecer em cultura e gastronomia.

Lisbon

3 – Praga

A medalha de bronze ficou com a capital da República Checa. A cidade de Praga é bastante citada quando se pergunta qual a cidade mais bonita do mundo. Os pontos mais procurados pelos turistas são o Portão de Pólvora, a Catedral de Nossa Senhora de Týn, o Relógio Astronômico, o Castelo de Praga e o Museu Narodn.

Prague

2 – Paris

Conhecida como Cidade Luz, a capital Francesa ficou na segunda colocação e vai muito além da Torre Eiffel.  Paris tem a Opera de Paris, o Champs Elysées, Montmartre, o Louvre, o passeio pelo Sena,  a Place des Voges, a Notre Dame… Mas, para mim, a melhor forma de visitar a cidade é andar a pé e fuçar os cantos e as ruazinhas apertadas…

Paris

1 – Veneza

A primeira posição vai para Veneza. Ela parece um cenário, cada edifício e cada construção é uma obra de arte de tirar o fôlego. Ela não se parece com nenhuma cidade da Itália, e acho que com nenhuma cidade do mundo. Uma cidade flutuante, erguida no meio de um lago, com ruas aquáticas onde veículos (ambulâncias, carros funerários, ônibus etc.) são barcos, tudo circundado por vielas, becos, pontezinhas e praças com todos aqueles dourados. e surpreendentes detalhes escondidos em sua arquitetura.

Veneza é muito mais que cafés caros, gôndolas e um fedor terrível no verão (parece que estão saneando os canais… Estava na hora…). É impossível não lotar sua máquina fotográfica com centenas de fotos!

Venice

 

E tem aquela cidade que, de tão bela, não se encaixa em nenhuma classificação – capital cultural, capital dos esportes aquáticos, capital da gastronomia, centro financeiro global… Ela é tudo isso e muito mais: Birigui.

Pujante metrópole do Oeste paulista, terra natal de grandes personalidades das artes e da ciência, como Reynaldo Gianecchini,  Albert Einstein e Brad Pitt, a cidade ainda é berço de um dos maiores pensadores da humanidade, ao lado de Sófocles e, dizem, Valesca Popozuda: Júlio de Andrade Filho, ou simplesmente Julinho.  Fundador da Rádio Tupã com seu irmão caçula, rádio essa que foi o primeiro veículo de comunicação do mundo a transmitir ao vivo um ataque de Comanches no bairro da Aclimação, na capital do Estado, Julinho publicou diversos artigos que despertaram a atenção mundial, como “A Influência do asfalto na plantação da batata-doce na Nigéria”. Este artigo ajudou o físico inglês Stephen Hawking a conceber sua teoria sobre os buracos-negros.

Birigui é também conhecida por ser um polo industrial de calçados. Foi de lá, por exemplo, que veio o tênis gigante (abaixo)…

… que calçou o pé gigante do seriado “Lost”.

Birigui, tudo que há de bom tem aqui!

As cidades mais fedorentas do mundo!

Existem cidades no mundo que são conhecidas por algumas características especiais: ou por suas belezas naturais (como o Rio de Janeiro), ou por ser a cidade que nunca dorme (Nova York) ou por ser uma cidade estranha… Sim, existem cidades estranhas, e uma delas é Longyearbyen, na Noruega.

Lá, os habitantes não podem morrer: há mais de um século, o cemitério local não enterra mais pessoas, já que as temperaturas, sempre muito baixas, impedem os corpos de se decompor. Tem mais: na cidade, a população de ursos polares é quase igual a de seres humanos, e apesar da caça ser ilegal, os habitantes são, às vezes, obrigados a atirar em legítima defesa!

Mas existem aquelas cidades que são famosas porque são muito… Fedidas! O mau cheiro é tão intenso que nem gambá aguenta! Conheça agora as 5 cidades mais fedorentas do mundo:

Rotorua, Nova Zelândia

Rotorua

Quem já foi a Rotorua nunca mais se esquece do cheiro de ovo podre que impregna o ar. O perfume da cidade não é por causa da quantidade de gases que os seus habitantes costumam soltar e sim pela localização geográfica. Rotorua fica próxima a um vulcão e tem como atrações lagoas de lama quente, fumarolas, nascentes termais e gêiseres. Por isso, uma grande quantidade de enxofre é liberada na atmosfera da cidade diariamente… Agora, que ideia construir uma cidade perto de um vulcão!

Bangkok, Tailândia

Bangkok

Nunca fui a Bangkok, mas quem já foi diz que é um passeio incrível, porque a cidade tem muita coisa interessante para se ver. Mas existe por lá uma fruta alegadamente a mais deliciosa do mundo, mas que é também a mais fedida de todas: chama-se “durian” e ela tem cheiro de chulé, segundo alguns, e de material em decomposição, segundo outros. Independentemente de ser incrivelmente apreciado por muita gente, o odor terrível e intenso do durian fez com que a fruta fosse proibida em locais como parques, shoppings centers e hotéis. Mesmo assim, andar pela cidade é como ter uma meia suja presa no nariz!

Veneza, Itália

Veneza

Andar de gôndola no verão em Veneza equivale a passear de barco no rio Tietê, em São Paulo. Embora seja uma das cidades mais belas do mundo, ela ainda sofre com problemas muito comuns aqui no “terceiro mundo”: os canais ainda recebem esgoto não tratado, muita gente joga lixo ali e ainda há o diesel liberado pelos barcos. A prefeitura da cidade iniciou um projeto de despoluição, que abrange desde tratar esgotos até proibir o tráfego de barcos a motor em determinados dias. Providências mais do que bem-vindas.

Mumbai, Índia

Se você for daqueles que torce o nariz para qualquer cheirinho mais desagradável, como o de sardinha sendo fritada às 7 da manhã no apartamento vizinho ao seu, não visite Mumbai. Ela é tida como sendo a mais intensa e recompensadora experiência olfativa do mundo. Para todo lado que você virar, sentirá o cheiro de fumaça de carros e motonetas e o fumo preto dos caminhões, somado ao aroma pútrido de água suja na sarjeta. Combinado a isso, o cheiro de mar vem misturado com o perfume de frutas podres jogadas no chão e de fritura em óleo de palmeira. Sem mencionar as especiarias típicas, afinal, você está na Índia: cravo, canela e etc… Tudo isso cria o cheiro inigualável de uma cidade vibrante!

Fez, Marrocos

Fez pode ser a maior cidade medieval árabe do mundo, mas é também uma das mais fedidas… Dentro da cidade velha murada, existem os curtumes de Derb Chouwara, fileiras de tinas coloridas onde são curtidas as peles de diversos animais (cabras, ovelhas, vacas e até camelos!).  São mais de 300 poços ou tinas circulares, e em cada reservatório, de cerca de um metro de profundidade, há um líquido de uma cor diferente. A grande maioria tem a coloração marrom, em suas mais diversas matizes. Um terço do espaço contém uma poção esbranquiçada. Alguns poucos, que chamam logo a atenção, possuem dentro uma tinta vermelha ou amarela.

O couro passa primeiro pelas tinas esbranquiçadas (ao fundo, na foto abaixo), onde uma mistura de cal – com excrementos de pombas e urina de vaca – amolecem o couro e destroem os pelos dos bichos. Após ficarem de molho durante vários dias, as peças passam por um processo de limpeza e de enxágue.

Até algumas décadas atrás, o tingimento era feito com colorantes vegetais. Para o amarelo usava-se o açafrão-da-terra (cúrcuma ou turmérico), para o vermelho a papoula, para o azul o índigo dos tuaregues e, para o preto, o antimônio. Mas hoje, os corantes industrializados tomaram conta do mercado. Uma vez tingidos, os couros são, então, expostos ao sol para secagem.

fez5-5349-web62

O interessante é que esse cheiro de cocô de pomba com xixi de vaca se mistura ao das peles secando ao sol, gerando o odor de fralda suja que se espalha por vários quarteirões… Então, dê-se por feliz por poder respirar e não ser um dos indivíduos que fica nesses tonéis durante todo o dia!

 

Essa é a graça de viajar pelo mundo. Você pode ver, provar, ouvir… E cheirar… Coisas muito diferentes!

 

 

 

Fontes:
Thrillist
Megacurioso

Viajar é preciso – 1

“Podemos viajar por todo o mundo em busca do que é belo, mas se já não o trouxermos conosco, nunca o encontraremos”. – Ralph Emerson

Sempre gostei de viajar, e desde muito jovem já saía pelo mundo. Em criança, viajava pelos livros e filmes; na adolescência, fui morar em outra cidade, e já adulto tive a oportunidade de conhecer muitos países. Espero ainda fazer muitas outras, pelo Brasil ou fora dele, e por enquanto vou alimentando meu sonho com essas viagens virtuais. A primeira é pela Itália:

 

As fotos estão no slideshow abaixo. Boa viagem!

Este slideshow necessita de JavaScript.