10 inventos revolucionários para os quais ninguém dá a mínima

Pouca gente nota, mas essas discretas criações mudaram o mundo

10. Sabão – Babilônia, 2800 a.C.

Misturando gordura com soda ou potassa cáustica, surge uma solução que remove a gordura. Mesmo tendo surgido há tanto tempo, os romanos achavam que era frescura de bárbaros e preferiam lavar suas roupas com urina – coletadas de voluntários em baldes pelas ruas. Para o corpo, usavam óleo, depois raspado com espátulas. A ideia de se lavar com sabão só foi colar no fim do Império. Na China, só chegou em tempos modernos.


9. Supermercado – EUA, 1930

Por séculos, as mercearias eram as “lojas que tinham de tudo”, com balconistas anotando os pedidos e pegando os itens um a um. Imagine como isso funcionaria numa cidade grande. Não funcionava e Clarence Saunders inventou o self-service em 1916, criando prateleiras onde todos se serviam e levavam até os caixas. Ideia óbvia, mas que nunca havia ocorrido a ninguém. Mas o primeiro supermercado, com o conceito que hoje está espalhado pelo mundo, foi o King Kullen, inaugurado em 1930 pelo empresário americano Michael Cullen.


8. Pneus – Irlanda do Norte, 1887

Ao perceber que seu filho ficava com dor de cabeça ao andar de bicicleta com rodas de borracha sólida, que se usavam naqueles tempos, John Dunlop criou a câmara de ar, para um passeio muito mais confortável de seu pimpolho. Sem os pneus infláveis, a revolução do automóvel seria inimaginável.


7. Vidro temperado – França, 1874

Incontáveis vidas foram salvas por essa modesta criação. Usado em para-brisas de carros, máscaras de mergulho e vidro à prova de balas, parte-se em milhares de pedacinhos ao quebrar, ao invés de formar lâminas letais. Henry Ford insistiu em usá-lo já nos seus primeiros modelos. Sem ele, qualquer acidente seria um pesadelo.


6. Fósforos de segurança – Suécia, 1844

Dominamos o fogo desde os tempos mais remotos, mas nunca o tivemos, literalmente, às mãos. Fogo dava um trabalho danado para acender, e muitas vezes eram mantidos acesos em fogueiras por conveniência – causando incêndios. Foi um alquimista de Hamburgo, Alemanha, chamado Henning Brandt, que descobriu acidentalmente, em 1669, o elemento químico batizado de fósforo ao tentar obter ouro a partir de urina. A descoberta chegou ao conhecimento do físico inglês Robert Boyle (1627-1691), que criou, 11 anos mais tarde, uma folha de papel áspero com a presença de fósforo, acompanhada de uma varinha com enxofre (elemento que se incendeia com facilidade) em uma das pontas. O calor causado pela fricção do palito com a superfície áspera fazia o fósforo liberar faíscas, incendiando o enxofre.  Foi apenas um século depois, em 1826, que os palitos de fósforos, então com 8 centímetros de comprimento, começaram a se popularizar. O inconveniente era que eles costumavam incendiar-se sozinhos dentro da embalagem. Esse problema seria resolvido somente em 1844 com o surgimento do “fósforo de segurança”, recoberto com um agente isolante para não pegar fogo à toa. No Brasil, o produto só passou a ser fabricado no início do século XX pela Fiat Lux.

5. Rolhas – Inglaterra, século 17

 

As garrafas de antigamente eram fechadas com panos embebidos em azeite de oliva. Isso deixava gosto e não permitia a preservação por muito tempo, de forma que o produto só podia ser exportado em barris – que também mudam o sabor. Usadas primeiro em garrafas de cerveja, as rolhas criaram os primeiros recipientes hermeticamente fechados da história, e também os primeiros pressurizados, permitindo a produção do champanhe. E a apreciação de vinhos finos a milhares de quilômetros da origem.


4. Fuso horário – Inglaterra, 1879

A medição das horas era uma bagunça. Cada país determinava seu horário baseado na capital, o que significava que, numa mesma longitude, podiam haver dezenas de horas diferentes. Isso na melhor das hipóteses: dependendo do lugar, cada cidade podia determinar o próprio horário, causando um pesadelo para os operadores de trens e telégrafos. Idealizados por Sandford Fleming em 1879, os fusos horários foram adotados a partir de 1884, quando foi realizada a Conferência Internacional do Meridiano. Nesse evento, realizado em Washington (EUA), definiu-se um meridiano que seria o ponto zero, servindo de padrão para todas as nações mundiais. Assim, por votação, estabeleceu-se que o Meridiano Zero passaria no Observatório Astronômico de Greenwich, na Inglaterra, próximo a Londres. Isto é, o Meridiano de Greenwich passa a ser a referência da hora oficial mundial, a chamada hora GMT (Greenwich Mean Time).


3. Turbina a vapor – Inglaterra, 1884

Motores a vapor eram lentos. O mais rápido girava a 225 revoluções por minuto (r.p.m). A primeira turbina a vapor elevou isso para a 18 000 r.p.m. E a primeira revolução veio nos navios, que puderam se tornar mais rápidos e gigantescos: os grandes encouraçados da Primeira Guerra e o Titanic eram movidos a turbinas a vapor. Os navios não-nucleares adotaram o diesel, mas esse motor continua a ser fundamental: a turbina a vapor é usada em usinas termoelétricas e nucleares. 90% da energia dos EUA vem dessas máquinas. Sim, energia nuclear usa o mesmo princípio da maria-fumaça: a fissão nuclear simplesmente serve para ferver a água…


2. Concreto armado – França, 1853

A maior revolução na arquitetura desde a criação do arco, pelos romanos antigos, consiste em misturar metal e cimento para sustentação. Praticamente tudo o que foi construído no século 20 usa concreto armado. Sem ele, não existiriam o Empire State Building ou o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Niemeyer seria obrigado a se contentar em fazer os velhos caixotes usando tijolos e pedras, como sempre havia sido feito até então.


1. Fixação de nitrogênio – Alemanha, 1909

A mais importante, e a mais controversa das descobertas. O nitrogênio compõe 80% da atmosfera, mas apenas as bactérias sabiam como tirá-lo do ar. Os humanos tinham de se virar quando queriam plantar alguma coisa, recolhendo esterco – o guano, cocô de passarinho concentrado, fazia fortunas para esses empreendedores. Também era usado o esterco humano, fazendo a alegria das múltiplas espécies de vermes que nos habitam. O processo de fixação de Fritz Harber deu origem à revolução agrícola do século 20, sem a qual, para o bem e para o mal, nunca teríamos chegado aos 7 bilhões de habitantes no planeta…

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:

Aventuras na História

Anúncios

Homem no supermercado…

Depois que meu irmão se aposentou, a mulher dele insiste que ele a acompanhe quando vai fazer compras no supermercado. Infelizmente, como a maioria dos homens, ele acha que fazer compras é chato e minha cunhada fica horas nisso, então nada mais justo do que meu irmão ficar inventando formas de passar o tempo… Resultado: Ontem, minha cunhada recebeu a seguinte carta do Extra Hipermercado:
Prezada Sra. Silva,

Durante os últimos seis meses, seu marido tem causado grandes transtornos em nossa loja. Não podemos mais tolerar o comportamento dele e, portanto, somos obrigados a proibir-lhe a entrada. Nossas queixas contra seu marido estão listadas abaixo e documentadas através de nossas câmeras do circuito interno.

1. 15/Junho:
Pegou 24 caixas de preservativos e colocou-as nos carrinhos de compra de outros consumidores enquanto não prestavam atenção.

2. 02/Julho:
Acertou TODOS os alarmes da seção de relógios para tocarem a intervalos de 5 minutos.

3. 07/Julho:
Fez uma trilha de molho de tomate pelo chão da loja indo até o banheiro feminino.

4. 19/Julho:
Dirigiu-se a uma funcionária e disse em tom oficial: “Código 3 na seção de Utilidades Domésticas. Dirija-se imediatamente para lá”. Isto fez com que a funcionária abandonasse seu posto e fosse repreendida pelo gerente, o que resultou em um grave incidente com o Sindicato.

5. 14/Agosto:
Moveu o aviso de “Cuidado – Piso Molhado” para a seção de carpetes.

6. 15/Agosto:
Disse para as crianças que acompanhavam os clientes que elas poderiam brincar nas barracas da seção de camping se trouxessem travesseiros e cobertores da seção de cama, mesa e banho.

7. 23/Agosto:
Quando um funcionário perguntou se ele precisava de alguma ajuda, ele começou a chorar e gritar: “Porque vocês não me deixam em paz?” O SAMU foi chamado.

8. 04/Setembro:
Usou uma de nossas câmeras de segurança como espelho para tirar caca do nariz.

9. 10/Setembro:
Enquanto examinava armas no departamento de caça, perguntava insistentemente à atendente onde ficavam os antidepressivos.

10. 03/Outubro:
Movia-se pela loja de forma suspeita, enquanto cantarolava alto o tema do filme “Missão Impossível”.

11. 06/Outubro:
No departamento automotivo, ficou imitando o gestual da Anitta usando diferentes tamanhos de funis.

12. 18/Outubro:
Escondeu-se atrás de um rack de roupas e quando as pessoas procuravam algum artigo, gritava: “Você me achou, você me achou!”

13. 21/Outubro:
Cada vez que era dado algum aviso no sistema de som da loja, colocava-se em posição fetal e gritava: “Ah não, aquelas vozes de novo!”
E, por fim:

14. 23/Outubro:
Foi a um dos provadores, fechou a porta, esperou um momento e então gritou: “Ei, não tem papel higiênico aqui.” Uma de nossas atendentes desmaiou.

Atenciosamente,
Extra Hipermercado


RELATO DE UM RECÉM APOSENTADO:


Depois que me aposentei, minha mulher insiste que eu a acompanhe quando vai fazer compras no supermercado. Infelizmente, como a maioria dos homens, eu acho que fazer compras é chato e tenho que ficar inventando formas de passar o tempo. E a minha mulher é igual à maioria das mulheres, fica horas fazendo compras. Resultado: ontem, minha querida esposa recebeu a seguinte carta do HiperSuperUltraBig Hipermercado:

Cara Sra. Souza,

Durante os últimos seis meses, seu marido tem causado grandes transtornos em nossa loja. Não podemos mais tolerar seu comportamento e, portanto, somos obrigados a proibir sua entrada. Nossas queixas contra seu marido estão listadas abaixo e documentadas através de nossas câmeras do circuito interno.

1. 15/Junho:
Pegou 24 caixas de preservativos e colocou-as nos carrinhos de compra de outros consumidores enquanto não prestavam atenção.

2. 02/Julho:
Acertou TODOS os alarmes da seção de relógios para tocarem a intervalos de 5 minutos.

3. 07/Julho:
Fez uma trilha de molho de tomate pelo chão da loja indo até o banheiro feminino.

4. 19/Julho:
Dirigiu-se a uma funcionária e disse em tom oficial: “Código 3 na seção de Utilidades Domésticas. Dirija-se imediatamente para lá”. Isto fez com que a funcionaria abandonasse seu posto e fosse repreendida pelo gerente, o que resultou em um grave incidente com o Sindicato.

5. 14/Agosto:
Moveu o aviso de “Cuidado – Piso Molhado” para a seção de carpetes.

6. 15/Agosto:
Disse para as crianças que acompanhavam os clientes que elas poderiam brincar nas barracas da seção de camping se trouxessem travesseiros e cobertores da seção de cama, mesa e banho.

7. 23/Agosto:
Quando um funcionário perguntou se ele precisava de alguma ajuda, ele começou a chorar e gritar:
“Por que vocês não me deixam em paz?” O resgate foi chamado.

8. 04/Setembro:
Usou uma de nossas câmeras de segurança como espelho para tirar meleca.

9. 10/Setembro:
Enquanto examinava armas no departamento de caça, perguntava insistentemente à atendente onde ficavam os anti-depressivos.

10. 03/Outubro:
Movia-se pela loja de forma suspeita, enquanto cantarolava alto o tema do filme “Missão Impossível”.

11. 06/Outubro:
No departamento automotivo, ficou imitando o gestual da Madonna usando diferentes tamanhos de funis.

12. 18/Outubro:
Escondeu-se atrás de um rack de roupas e quando as pessoas procuravam algum artigo, gritava: “Você me achou, você me achou!”

13. 21/Outubro:
Cada vez que era dado algum aviso no sistema de som da loja, colocava-se em posição fetal e gritava: “Ah não, aquelas vozes de novo!”
E por fim:

14. 23/Outubro:
Foi a um dos provadores, fechou a porta, esperou um momento e então gritou: “Ei, não tem papel higiênico aqui.” Uma de nossas atendentes desmaiou.
 

 

O mercado na linha férrea na Tailândia

Esse mundo é mesmo muito louco…

Na Tailândia, em Samut Songkhram – a coisa de 40 quilômetros de Bangcok -, existe um mercado ao ar livre que vende de tudo: frutas tropicais e legumes em grandes pilhas coloridas, uma grande variedade de especiarias secas, pastas e ervas, frutos do mar recém-pescados e outros alimentos locais.

maeklong-railway-market-0única diferença em relação aos outros mercados – e às feiras-livres no Brasil – é que ele fica bem em cima dos trilhos de uma ferrovia.

maeklong-train-market

E não é uma força de expressão, o mercado fica de fato em cima dos trilhos! Quando o pessoal que ali trabalha ouve o apito da locomotiva, eles recolhem os produtos, levantam os toldos e deixam passar o trem, que cruza a feira diariamente por três vezes, duas de manhã e uma de tarde! O trem passa quase tocando as mercadorias, e todo mundo se espreme debaixo das barracas.

maeklong-railway-market-5

maeklong-railway-market-2

maeklong-railway-market-12

Depois que o trem passa, os vendedores recolocam tudo como estava antes, descem os toldos das barracas e os clientes voltam, como se nada tivesse acontecido. O mais curioso é que não são os feirantes que invadiram o espaço da ferrovia, já que a feira existe no mesmo lugar desde antes que a via férrea fosse criada, em 1905!

maeklong-railway-market-16

Maeklong é o nome desse mercado, que fica de fato num grande edifício cheio de ban­cas mais ou menos orga­ni­za­das, mas que acabou crescendo para fora, e a ferrovia acabou passando no meio dessa extensão do mercado. E se transformou numa atração turística, porque mesmo aos olhos dos orientais, não é todo dia que se vê um trem passando no meio de uma feira!

E quando soa o apito, à boa maneira tailandesa – isto é, sem estresse e quase sempre com um sorriso nos lábios -, os comerciantes recolhem as mercadorias e ficam assistindo o trem passar, e é impressionante de se ver (segundo os relatos de quem já esteve por lá) que quase nada é esmagado debaixo da composição. Depois que o trem vai embora, a vida continua em Maeklong.

É um espec­tá­culo digno de se ver, como no vídeo abaixo, mas dizem que esse espetáculo pode ter os dias con­ta­dos. Prevê-se para breve a aber­tura de um grande super­mer­cado que, de certa forma, pode acabar com o futuro dessa feira tra­di­ci­o­nal. É melhor apressar-se, por­tanto, se qui­ser ver a banda pas­sar… Digo, o trem passar em Maeklong.

 

 

 

Fonte:

http://www.amusingplanet.com/

Polícia investiga como um supermercado conseguiu carne de dinossauro para vender

do G1

Em Sidney, Austrália, a polícia está investigando um supermercado que colocou carne de dinossauro na prateleira, para ser vendida. Para o inspetor de polícia, o caso é um grande mistério: “Se não existe dinossauro, não deve existir carne dele para vender”, disse o policial.

Por enquanto, a polícia trabalha com duas linhas de raciocínio: que a carne em questão é falsificada ou, que ainda existem dinossauros vivos e alguns empresários estão comercializando a sua carne secretamente.  O proprietário do supermercado não quis revelar como conseguiu a carne. Ao depor na polícia australiana, o empresário disse que conseguiu a carne com o diretor de cinema Steven Spielberg, mas a polícia não caiu nesta versão.

Suspeita-se que é um novo lançamento da Friboi, “Frissauro”, e que a campanha seria estrelada por um dinossauro, que na Idade da Pedra foi ídolo da “Jovem Pedra”.

****

Não sei se alguém que leu a notícia acima levou a sério, mas a primeira pista “estranha” está na etiqueta da coxinha de tiranossauro: desde quando a BOSCH vende carne? Tudo na verdade foi uma ação da BOSCH para promover a VitaFresh, uma nova tecnologia de refrigeração da empresa.

Pensando em mostrar a potência do negócio, a marca introduziu uma série de “partes” de dinossauros em bandejinhas ao lado de outros produtos nos freezers dos supermercados. Com direito a etiqueta de preço e especificação da raça do animal, mostrando que mesmo após milhares de anos, aquela carne ainda estava fresca e pronta para comer.

As embalagens continham QR Codes que encaminhavam os mais curiosos para um website criado para falar sobre a VitaFresh, tecnologia de refrigeração que mantém fruta, verdura, peixe e carne até três vezes mais frescos que os refrigeradores habituais.

Como se não bastasse o produto estar ali exposto, a ação ainda contava com inserções em panfletos promocionais dos supermercados e anúncios nos falantes internos das lojas. Imagine você estar em um supermercado e ouvir que a oferta do dia é filé de mamute? A ação rolou durante 6 dias, em 24 supermercados, atingindo cerca de 75.000 pessoas.

O vídeo abaixo mostra como foi o lançamento na Alemanha, com direito, na trilha, à música-tema dos Flintstones:

Fontes:
http://www.ypsilon2.com/
Youtube

Desafios da publicidade nos supermercados

O anúncio publicitário pretende influenciar o comportamento ou atitude do potencial utilizador, cliente ou revendedor perante o serviço ou produto anunciado. Tem objetivos claros: criar desejo, informar, divulgar, facilitar a tarefa de vender alguma coisa, lembrar benefícios ou malefícios (“beber leite faz bem” ou “fumar prejudica a saúde”, respectivamente). Pode ser conceituado como uma mensagem criada para informar sobre características e benefícios de alguma coisa, ou ainda a notícia pela qual algo é anunciado publicamente.

Mas essas definições tão nobres muitas vezes são desmentidas ou desvirtuadas quando vemos os anúncios nos supermercados brasileiros, que desafiam muitas vezes a lógica, além do próprio idioma – ou outros idiomas… Veja alguns exemplos compilados do que circula nas redes sociais:

Maaass… Como disse a amiga Fernanda Lima, e ela tem razão, “enquanto a maioria do povo for despreparada, nossos lugares estão garantidos por toda a eternidade  – diz a gangue no Congresso Nacional”.

Dica do prof. Egidio Toda.

Americano no supermercado

Essa é velha, mas ainda dou risada!

Um norte americano, morando há pouquíssimo tempo no Brasil, e falando pouco o português, faz a sua lista de compras e vai ao supermercado para tentar abastecer a sua despensa e geladeira.

Tendo feito a lista, a seu modo, e com o carrinho à frente, vai lembrando-se do que precisa:

PAY SHE
MAC CAR ON
MY ONE EASY
PAUL ME TOO
ALL FACE
CAR NEED BOY ( MAIL KILO )
AS PAR GOES
KEY JOE ( PARM ZOOM)
COW VIEW FLOOR
BETTER HAB
LEE MOON
BEER IN GEL
THREE GO
PAY TO THE PIER YOU

Ao final ainda dá um tapa na testa, dizendo :

PUTZ GRILL LOW ! IS KEY SEE O TOO MUCH….