Veja profissões que estão em alta e em baixa em oito setores do mercado

Todos sabem que o Brasil enfrenta uma crise – mais uma! – mas, apesar de algumas profissões se encontrarem em baixa, há outras que estão em alta. Justamente pelo fato de o país ser tão imenso e, portanto, há setores onde a crise afeta mais do que em outros. De um modo geral, os profissionais que geram ganhos de eficiência para as operações das empresas ou podem evitar perdas financeiras são os mais requisitados agora.

A FSP ouviu dez empresas especializadas em encontrar profissionais para grandes companhias, e os consultores responderam quais os profissionais que estão sendo mais buscados e quais enfrentam um momento de vacas magras nos setores de marketing e promoções, mercado financeiro e seguros, tecnologia, comércio, educação, engenharia e infraestrutura, saúde e jurídico.

MARKETING

EM ALTA

Analista de bancos de dados

O QUE FAZ Com as informações do comportamento dos clientes capturadas por sistemas de informação, define qual deve ser a estratégia da empresa.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Empresas têm sido criteriosas para definir sua atuação comercial e buscam tomar decisões com grande precisão.

Desenvolvedor de tecnologia mobile

O QUE FAZ Apresenta ideias para novos aplicativos e as passa para os programadores.

POR QUE ESTÁ EM ALTA É relevante tanto para start-ups que criam seus aplicativos quanto para grandes empresas que correm atrás de inovação.

Especialista em mídias específicas

O QUE FAZ Atua com os aplicativos próprios de cada empresa.

POR QUE ESTÁ EM ALTA São buscados pelas marcas que querem manter sua estratégia de tecnologia mobile ativa.

EM BAIXA

Analista de mídia social

O QUE FAZ Dissemina informações nas redes sociais, como o Facebook ou o LinkedIn, usando o linguajar típico de cada uma delas.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Há uma oferta muito grande desse tipo de profissional no mercado, maior do que a demanda.

Agente de turismo

O QUE FAZ Comercializa pacotes de viagens para clientes físicos e corporações.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA O serviço enfrenta concorrência de sites de comparação de preços de viagens, que tornaram a busca mais fácil.

MERCADO FINANCEIRO

EM ALTA

Especialista em compliance

O QUE FAZ Garante que a companhia respeite a legislação, evitando multas; também pode averiguar se há corrupção na empresa.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Com investigações da Polícia Federal, prisões e escândalos internacionais, o serviço passou a ser mais procurado.

Gerente de riscos

O QUE FAZ É parte da equipe de planejamento estratégico de bancos, financeiras e grandes empresas; analisa eventuais riscos aos negócios.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Com economia encolhida, empresas ficam mais atentas a ameaças.

Atuário

O QUE FAZ Em seguradoras, calcula reservas e provisões em caso de sinistro e precifica o produto; também atua em fundos de pensão, bancos e planos de saúde.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Mercado cresceu nos últimos anos, com novas empresas e produtos.

EM BAIXA

Gerente de agência bancária

O QUE FAZ Atende clientes em agências físicas com foco comercial, ou gerencia as lojas para que sejam rentáveis.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Clientes de bancos passaram a usar mais os serviços oferecidos pela internet.

Analista de investimentos

O QUE FAZ Escolhe opções de investimento e presta conta aos investidores; busca capital para empresas que precisam.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Caiu a quantidade de investimentos na economia como um todo.

TECNOLOGIA

EM ALTA

Gestor de big data

O QUE FAZ Cria os softwares para capturar grandes quantidades de dados sobre o comportamento dos consumidores de bens finais.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Ajuda na definição de estratégia corporativa.

Arquiteto de TI

O QUE FAZ Planeja e constrói os sistemas de informação das empresas.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Trabalha em todos os setores da economia, as corporações não podem prescindir dele.

Cientista de dados

O QUE FAZ Avalia a qualidade dos bancos de dados das empresas.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Encontra posições em corporações de diferentes segmentos da economia.

EM BAIXA

Analista de suporte e help desk

O QUE FAZ Auxilia os funcionários que têm problemas para usar o sistema informatizado da empresa.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA A tendência é de crescente automatização desse tipo de atendimento.

Gerente técnico

O QUE FAZ Lidera as equipes de analistas de help-desk.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Assim como os serviços dos analistas, o do gerente está se tornando menos corriqueiro por novas automações.

Desenvolvedor de páginas de web

O QUE FAZ Cria sites.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Assim como os serviços dos analistas, o do gerente está se tornando menos corriqueiro por novas automações.

COMÉRCIO

EM ALTA

Vendedor externo

O QUE FAZ Visita empresas para coletar pedidos e negociar preços, volumes e prazos de entrega.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Demanda atende expansão de redes para Nordeste e Centro-Oeste.

Executivo de logística

O QUE FAZ Acompanha toda a cadeia de suprimentos, desde o pedido até a entrega; além de comércio, atua em transportadoras.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Por centralizar todo o processo, enxugando custos de pessoal.

Planejador de demanda

O QUE FAZ É capaz de avaliar qual será a procura por certo bem de consumo.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Evita excesso e sobras em estoque que poderiam se traduzir em perdas.

EM BAIXA

Corretor de imóveis

O QUE FAZ Faz a intermediação entre compradores e vendedores.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA O mercado está saturado desses profissionais.

Executivo de varejo

O QUE FAZ Planejamento e gestão financeira, comercial ou de compras.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Há uma tendência de concentração de funções entre poucos profissionais.

Auxiliar de suprimentos

O QUE FAZ Da área de compras, prospecta novos fornecedores.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Com desempenho ruim do varejo, empresas estão cortando auxiliares.

EDUCAÇÃO

EM ALTA

Professor de economia e contabilidade

O QUE FAZ Dá aulas de graduação, pós, mestrado e doutorado nas cadeiras de ciências econômicas e contábeis.

POR QUE ESTÁ EM ALTA A crise econômica tem feito mais pessoas se interessarem em entender os assuntos. E, com a popularização das carreiras, mais professores estão sendo requisitados pelas instituições.

Diretor de educação a distância

O QUE FAZ Estrutura os cursos, chama gente para desenvolver o conteúdo, forma a equipe de educadores e da tecnologia, traça o escopo.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Essas modalidades estão mais populares graças a preço competitivo e falta de tempo das pessoas.

EM BAIXA

Diretor acadêmico

O QUE FAZ Estrutura cursos de faculdades e instituições de ensino superior.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Mudanças no sistema oficial de financiamento de ensino comprometeram a criação de novos cursos.

INFRAESTRUTURA

EM ALTA

Gerente industrial

O QUE FAZ Comanda os trabalhadores da linha de fábrica e determina qual deve ser o tamanho da equipe.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Atuação está ligada a manutenção de custos em baixa em época de menor demanda.

Engenheiro de planejamento

O QUE FAZ Atua em todos os campos da engenharia antes da execução dos projetos, dimensionando a equipe.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Ajuda a fazer obras com menos dinheiro e em menores prazos.

Gerente de novos produtos

O QUE FAZ Desenvolve design, funcionalidades e características de novos bens.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Produtos precisam custar cada vez menos para serem lucrativos.

EM BAIXA

Engenheiro de óleo e gás

O QUE FAZ Trabalha na exploração e prospecção de óleo e gás em plataformas e refinarias.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Setor é muito dependente da Petrobrás e, além disso, preço internacional do barril está em baixa.

Profissional de manutenção fabril

O QUE FAZ Atua em linha de fábrica, é especializado em uma determinada máquina.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Com a desaceleração da indústria, principalmente automobilística, algumas linhas foram descontinuadas, e ele não costuma ter flexibilidade para atuar em outros setores.

SAÚDE

EM ALTA

Geriatra

O QUE FAZ Cuida de pacientes idosos.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Envelhecimento da população e aumento da expectativa de vida tornam essa especialidade mais procurada.

Dermatologista

O QUE FAZ Especialista no diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças da pele, pelos, mucosas, cabelos e unhas.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Mercado de estética é imune à crise; clínicas particulares buscam esse profissional.

EM BAIXA

Fisioterapeuta

O QUE FAZ Diagnostica e trata problemas causados por má-formação, acidentes ou vícios de postura.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Diminuiu a contratação desse tipo de profissional em hospitais.

DIREITO

EM ALTA

Recuperação judicial e de crédito

O QUE FAZ Profissional atua em falências ou litígios entre empresas que fizeram negócios.

POR QUE ESTÁ EM ALTA A demanda por esses profissionais sempre cresce durante crises.

Setor trabalhista

O QUE FAZ Defende pessoas que foram demitidas e empresas processadas por funcionários.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Demissões aquecem a busca por esse especialista; também são contratados para prevenir problemas.

Setor tributarista

O QUE FAZ Estuda a estrutura legal para ajudar empresas a encontrar maneiras menos onerosas de estar em dia com as suas obrigações.

POR QUE ESTÁ EM ALTA Sua atuação implica redução de custos.

EM BAIXA

Fusões e aquisições

O QUE FAZ Advogado levanta passivos de empresas que podem ser compradas, estuda a viabilidade de fusões sob a ótica do direito econômico.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Há excesso de profissionais na área.

Setor ambiental

O QUE FAZ Especialista ajuda empresas a se adequarem à legislação.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Setores como a mineração e grandes obras enfrentam gargalos.

Direito societário

O QUE FAZ O advogado aqui auxilia novas empresas ao redigir contratos, ou as antigas que enfrentam conflitos societários.

POR QUE ESTÁ EM BAIXA Diminuiu ritmo de fundação de empresas.

 

Cuidar da voz é cuidar da saúde

Uma vez eu estava no cinema e ouvi alguém pigarrear, e outro alguém nervosinho: “Por que não vai ao médico?”

Sabia que tem como evitar esse constrangimento?

Nossas cordas vocais precisam ser tão bem cuidadas quanto as outras “peças” do organismo. E não apenas por aqueles que usam a voz como seu instrumento de trabalho, como os cantores, apresentadores de TV, artistas, professores, locutores, mas também por todos nós que precisamos dessa preciosa ferramenta de comunicação. Depois que a situação fica complicada, existem os especialistas que podem dar orientações sobre o que fazer para cuidar da voz – ou do que restou dela – , mas, como em tantas outras situações, a prevenção ainda pode ser o melhor remédio.

Há uma variedade enorme de “dicas” para preservar a voz que são disseminadas mas que, segundo os fonoaudiólogos, são fora de propósito. Por exemplo, para quem fica muito tempo em ambientes com ar-condicionado, colocar um balde com água no canto da sala. Nada a ver. O ar-condicionado prejudica a voz por retirar a umidade do ambiente, ressecando a pele como um todo – e não apenas a laringe.

dor-de-gargantaQuando eu trabalhei num escritório com ar-condicionado central, vivia pigarreando. Isso faz com que as cordas vocais entrem em atrito. A orientação dos especialistas para repor a secura é beber 2 litros de água todos os dias, coisa de 8 a 10 copos daqueles de papel. Nada complicado e ajuda demais. Outra dica legal é comer uma maçã.

Fumar é outro agressor. A nicotina engrossa as cordas vocais, produzindo rouquidão e engrossando a voz. Sem falar que o fumo é uma das principais causas do câncer de laringe…

Outra dica não eficaz, e quem vem dos tempos dos avós, é o gargarejo com limão e vinagre. Se usados por muito tempo e com frequência, esse gargarejo destrói a mucosa. O único gargarejo indicado é o sal diluído na água.

As bebidas alcoólicas anestesiam. E, por causa disso, você perde a sensibilidade e começa a falar alto, a gritar. E falar alto demais – ou gritar em estádios de futebol ou em shows – pode causar os famosos calos nas cordas vocais.

Tomei emprestado um infográfico de duas especialistas que ajudam a entender melhor o caminho pelo qual a voz é produzida e, de forma bem clara, mostra o que ajuda e o que prejudica a nossa voz.

Já comecei a aplicar esses ensinamentos, e agora posso cantar “Con té Partiró” com minha voz de tenor sem receio… Rarara!

Fontes:

centrinho.usp.br/

FSP/Agora

g1.globo.com/bemestar/

Todo suor tem cheiro? Transpirar emagrece?

Cecê, fedor, inhaca, catinga…

Antes de responder às perguntas do título do post, um pouco de “cultura”. Em inglês, “c.c.” (cheiro de corpo) é chamado de “b.o” (body odor). Você sabia que foi o sabonete Lifebuoy que criou o termo “c.c.” no Brasil?

Nas propagandas nos Estados Unidos, eles já usavam a gíria “b.o.”, e quando essas antigas propagandas foram veiculadas no Brasil, na década de 1940, usaram a abreviatura adaptada ao português, e que hoje se escreve “cecê”, como adotado pelo dicionário Aurélio.

Mas vamos às questões sobre os mitos e as verdades sobre a transpiração.

Todo suor tem cheiro. MITO: Suor não possui odor. O mau cheiro, chamado de bromidrose e conhecido popularmente como “cecê”, ou “chulé”, quando afeta os pés, é causado pela presença de bactérias e restos celulares. O tratamento dos odores é feito através de uma higiene cuidadosa nas regiões de maior sudorese. Em alguns casos, o dermatologista pode indicar medicamentos para eliminar fungos e bactérias.

Só suamos quando faz calor. MITO: A função do suor é controlar a temperatura do corpo e isso acontece em todas as estações do ano. No inverno, é comum transpirar mais nas axilas por conta da quantidade de roupas utilizadas para proteger do frio.

Suar demais pode ser sinal de doença. VERDADE: Transpirar muito pode ser um sinal de hiperidrose, doença que causa sudorese excessiva nas axilas, mãos, pés e virilha, tratada com aplicações de toxina botulínica. A grande quantidade de transpiração também pode indicar a presença de doenças como diabetes, infecções ou febres ocultas.

Suor ajuda a emagrecer. MITO: A transpiração elimina apenas água e sais minerais que são repostos no momento em que o corpo é reidratado.

Suor é o mesmo em todas as partes do corpo. VERDADE: O suor é composto de água e sais minerais, o que difere são as glândulas pelas quais ele é eliminado do corpo. As écrinas eliminam água, sódio e potássio através de poros na pele. As apócrinas, localizadas em regiões como axilas, genitália, pés e couro cabeludo, eliminam o suor através de folículos capilares, e não de poros.

Desodorante antitranspirante faz mal à saúde. MITO: Segundo os dermatologistas, os antitranspirantes não causam o entupimento dos poros. A recomendação é procurar um médico antes de escolher o produto para evitar alergias ou hipersensibilidade.

Suor faz mal à pele. MITO: O suor é composto por água e sais minerais e funciona como mecanismo de regulação da temperatura do corpo. O que pode acontecer é a formação de brotoejas, mais comuns em crianças, quando os dutos de excreção do suor são obstruídos. Isso ocorre quando o suor fica acumulado na pele. Por isso, a higiene é importante. Sempre!

Frutas exóticas melhoram a saúde

Desconhecidas de muitos brasileiros, frutas exóticas  de várias partes do mundo – e que já comentei aqui – podem compor uma alimentação saborosa e ainda contribuir para melhorar a saúde. 

frutas-exóticas-saude

Elas são fonte de vitaminas, fibras e antioxidantes, que ajudam a prevenir câncer. O potássio encontrado em muitas delas auxilia no controle da pressão arterial.

Além das frutas tradicionais, que fazem a sua saúde ficar perfeita, as frutas exóticas ainda previnem doenças como: gripe, enjoo, mal estar e principalmente melhoram a pele, ajudam a emagrecer, fortalecem os cabelos e muitas outras coisas.

Quais são 

Pitaia,, pitaya ou Fruta-do-dragão:  é  muito comum no México, é bem doce e possui vitaminas A e C. Quando consumida, a polpa da fruta protege a mucosa gástrica. Consumimos a fruta juntamente com as sementes porque elas não saem. A contra indicação dessa fruta é que deve ser consumida em pequenas quantidades, por que é conhecida como laxativa. Dá para fazer suco ou até mesmo geleias bem docinhas.

pitaia

Cherimoia, natural dos Andes, tem uma semelhança com a famosa fruta-do-conde. As sementes não são consumíveis e a polpa é doce e cremosa. O sabor remete a lembranças dos sabores da banana, abacaxi, morango e mamão. Ela possui vitamina A e é rica em fibras, além de potássio.

Cherimoia

Kino, originário da África, é rico em vitamina C e é ótimo para fortalecer o sistema imunológico. É utilizado para reduzir o apetite pois sua composição contém muita fibra. Seu consumo ainda ajuda a controlar o colesterol.

kino-fruta-ajuda-emagrecer

Granadilho é uma fruta típica de vários países da América do Sul e tem, em sua composição, fibras e vitamina A. Essa fruta ajuda na redução do colesterol, e ajuda ainda a controlar a diabetes. Ela não tem muita polpa, mas o lado bom é que as suas sementes são próprias para comer.

granadilho

Longan é uma fruta que veio da Índia e é muito cultivada na China, onde é conhecida como “olho de dragão”. Ajuda no combate da anemia e o seu sabor lembra o do melão. A fruta tem vitamina C e muito ferro e lembra muito a lichia, mas é muito mais eficaz que ela. Ela pode ser consumida normalmente quando descascada ou em suco.

Longan

Rambutão, fruta do sudeste da Ásia, particularmente na Malásia, tem pelos por fora e sabor doce e levemente ácido. É rico em vitamina C, que melhora o sistema imunológico e previne as doenças.

egXxNNT

Dicas

– Você pode usar o rambutão em pratos salgados, misturado com frango, por exemplo.

– Além da polpa da pitaya, sua casca costuma ser usada para fazer geleia.

– Todas essas frutas podem ainda ser consumidas em saladas, tanto de legumes quanto de frutas.

Mitos sobre a ditadura militar no Brasil

Desde os protestos de 2014, quando milhões de pessoas saíram às ruas no Brasil para pedir o fim da corrupção, da impunidade e reclamar dos políticos (que, paradoxalmente, são os mesmos que essas pessoas elegeram…), surgiu um movimento que vem se alastrando. Esse movimento pede a volta dos militares ao poder, porque supostamente seriam eles os únicos capazes de acabar com a corrupção e prender os safados.

O curioso é que nem os militares querem isso. Ou pelo menos, o general Augusto Heleno Ribeiro Pereira não quer. Numa entrevista em 2014, ele disse:

— Não há salvadores da pátria. O problema do país é acertarmos em termos de escolha. É algo de formação das pessoas, de muito longo prazo. Nossa democracia está consolidada, mas me preocupa o fato de que a juventude em geral, o que inclui seus melhores quadros, está muito afastada da participação na política. Há muita gente que tem condições intelectuais e de formação e pode contribuir para o país mas não é cooptada pela política. A estrutura atual é perversa, e precisa ser mudada em profundidade.

Ele acrescentou ainda que pedir a volta dos militares é “estupidez”.

O que ocorre é que muita gente que apoia esse movimento não sabe, ou está mal informada, sobre o que realmente ocorreu. Então, farei um modesto esforço na tentativa de colocar alguns pingos nos “is” e demolir alguns mitos sobre a ditadura militar. Quem sabe isso ajude a esclarecer que nem tudo foi tão azul naqueles anos…  Vamos lá:

Tanques circulando nas ruas do Rio de Janeiro, concretizando a tomada do Governo pelos militares.

Tanques circulando nas ruas do Rio de Janeiro, concretizando a tomada do Governo pelos militares.

Em 1964, um golpe de estado derrubou o presidente João Goulart e instaurou uma ditadura no Brasil. O regime militar durou até 1985. Censura, exílio, repressão policial, tortura, mortes e “desaparecimentos” foram comuns nesses “anos de chumbo”

A ditadura no Brasil foi branda

Países como Argentina e Chile, por exemplo, teriam sofrido muito mais em “mãos militares”. De fato, a ditadura nesses países também foi sanguinária. Como no Brasil. Tanto lá como cá, houve torturas e assassinatos. Os 357 mortos e desaparecidos com relação direta ou indireta com a repressão da ditadura (segundo a lista da Secretaria de Direitos Humanos), estão sendo revisados e o número pode saltar para 957 mortos.

Tínhamos educação de qualidade

Mais ou menos… Houve um tempo, antes do regime militar, em que as escolas públicas eram de muito boa qualidade, ao menos nos grandes centros. Porém, o governo cortou na carne os investimentos nas escolas, praticamente desviando os recursos todos no Mobral (Movimento Brasileiro para Alfabetização) que fracassou. Então, as unidades privadas prosperaram. E faturaram também. Esse “sucateamento” também chegou às universidades.

A saúde não era o caos de hoje

Se hoje todo mundo reclama da “qualidade do atendimento” e das “filas intermináveis” nos hospitais e postos de saúde, imagina naquela época. Naquele momento, conviviam dois sistemas. Um custeado pelo Ministério da Saúde, público e gratuito, e outro bancado pela Previdência, subsidiado ao setor particular.  Já no final da década de 1960, o que se gastava nesta segunda ponta do serviço superava os investimentos diretos na assistência médica. Um grande problema foi a corrupção (Jura? Não me diga…) O pagamento aos hospitais privados era feito mediante a emissão de documentos chamados Unidades de Serviço (US). Amígdalas retiradas duas vezes e homens submetidos a partos foram algumas das irregularidades constatadas. Tem mais: planos de saúde ainda não existiam e o saneamento básico chegava a poucas localidades, o que aumentava o número de doenças.

Não havia corrupção no Brasil

Duvido, corrupção é um esporte nacional que veio junto com as caravelas e nunca foi esquecido… Depois da dissolução do Congresso Nacional, as contas públicas não eram analisadas, quanto mais discutidas. Além disso, os militares investiam bilhões e bilhões em obras faraônicas – como Itaipu, Transamazônica e Ferrovia do Aço -, sem nenhum controle de gastos. Esse clima tenso de “gastos estratosféricos” até levou o ministro Armando Falcão, pilar da ditadura, a declarar que “o problema mais grave no Brasil não é a subversão. É a corrupção, muito mais difícil de caracterizar, punir e erradicar”. Se o Armando Falcão, conhecido por ter sido Ministro da Justiça durante o governo do general Ernesto Geisel, falou isso…

FOTO SAO PAULO 31/05/1977 / FOTO DE ARMANDO FALCÃO. FOTO ARQUIVO/AE

Os militares evitaram a ditadura comunista

O governo João Goulart era constitucional. Seguia à risca o protocolo. Ele chegou ao poder depois da renúncia de Jânio Quadros, de quem era vice.

26-de-agosto-de-1961-Renúncia-Jânio-QuadrosPorém, quando Jango assumiu a Presidência, a imprensa bateu na tecla de que em seu governo havia um “caos administrativo” e que havia a necessidade de restabelecer a “ordem e o progresso” através de uma intervenção militar. Foi criada, então, a ideia da iminência de um “golpe comunista” e de um alinhamento à URSS, o que foi o motivo da intervenção. Goulart não era marxista. Antes de ser presidente, ele fora ministro de Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek e estava mais próximo do populismo. Jango afirmou numa entrevista, anos depois da deposição, que havia uma confusão entre “justiça social” – o que ele pretendia fazer com as Reformas de Base – e comunismo, ideia que ele não compartilhava: “Justiça social não é algo marxista ou comunista”, disse. O mais grave, eu acho, é o resultado das pesquisas que o IBOPE (sim, ele já existia desde 1942) realizou sobre o governo Jango e que não foram divulgadas na época, pesquisa localizada nos arquivos que o Ibope doou à Unicamp:

· Em junho de 1963, Jango era aprovado por 66% da população de São Paulo, desempenho superior ao do governador Adhemar de Barros (59%) e do prefeito Prestes Maia (38%).

· Pesquisa de março de 1964 revela que, caso fosse candidato no ano seguinte, Goulart teria mais da metade das intenções de voto na maioria das capitais pesquisadas. Apenas em Fortaleza e Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek tinha percentuais maiores

· Havia amplo apoio à reforma agrária, com um índice superior a 70% em algumas capitais.

· Pesquisa na semana anterior ao golpe, realizada em São Paulo a pedido da Fecomercio, apontava que 72% da população aprovava o governo Jango.

·  Entre os mais pobres, a popularidade alcançava 86%.

· 55% dos paulistanos consideravam as medidas anunciadas por Goulart no Comício da Central do Brasil, em 13 de março, como de real interesse para o povo.

Jango e esposa no comício

Jango e esposa no comício

O Brasil cresceu economicamente

O que cresceu mesmo foi a dívida externa,  que perdurou gigantesca no mínimo dez anos depois do fim do regime militar. Em 1984, o Brasil devia a governos e bancos estrangeiros o equivalente a 53,8% de seu Produto Interno Bruto (PIB). Além disso, o chamado “milagre econômico brasileiro” – quando o Brasil cresceu acima de 10% ao ano – mostrou de fato que a distribuição de renda se polarizou: os 10% mais ricos, que tinham 38% da renda nacional em 1960, chegaram a 51% da renda em 1980. Já os mais pobres, que tinham 17% da renda nacional em 1960, decaíram para 12% duas décadas depois. Quer dizer, quem era rico ficou ainda mais rico e o pobre, mais pobre.

Durante a ditadura, só morreram vagabundos e terroristas

Boilesen-morto-em-71

Boilesen morto em São Paulo, em 1971, pelos grupos extremistas.

Não. Morreram terroristas, sim, mas também soldados e civis inocentes – e outros nem tão inocentes (do ponto de vista dos extremistas), como Henning Albert Boilesen, um empresário dinamarquês radicado no Brasil, presidente da Ultragás e fundador do CIEE – Centro de Integração Empresa Escola. Este foi assassinado por causa das ligações dele com o delegado Fleury, e sua atuação para arrecadar fundos para financiar a OBAN (Operação Bandeirante). Criada para combater o terrorismo, misturando policiais civis e militares, acabou virando uma espécie de pedra filosofal do famigerado DOI-CODI (Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna). Mas, houve também o genocídio de povos indígenas na Amazônia durante a construção da Transamazônica. Segundo estimativas, durante a obra morreram 8.000 índios…

Naquele tempo, havia civismo e não tinha tanta baderna como greves e passeatas

Edson Luís foi o estudante secundarista (ensino médio) de 18 anos, morto no restaurante Calabouço no Rio de Janeiro pela PM durante um os inúmeros confrontos com o governo da ditadura militar. Ele foi o primeiro estudante assassinado pelas mãos da ditadura.

Edson Luís foi o estudante secundarista (ensino médio) de 18 anos, morto no restaurante Calabouço no Rio de Janeiro pela PM durante um dos inúmeros confrontos com o governo da ditadura militar

Quando os militares assumiram o poder, uma das primeiras medidas que tomaram foi assumir a possibilidade de suspensão dos diretos políticos de qualquer cidadão. Isso incluía a censura prévia, o controle das atividades dos sindicatos, a proibição ou a repressão às manifestações públicas, a prisão arbitrária, enfim… Tudo o que uma ditadura faz. Para que se tenha uma ideia do nível de repressão, cada jornal ou revista tinha um censor designado, que aprovava ou não o que seria publicado. Muitos jornais saíam com receitas de bolo ou trechos de “Os Lusíadas” no lugar de notícias que não agradassem ao regime militar…

As passeatas e os protestos foram muitos, e muita gente foi perseguida, presa ou torturada apenas por ser contra a ditadura – não que fossem terroristas.

Caso este resumo não tenha sido suficiente, há uma montanha de informações sobre esse período da nossa história na internet. Gaste um pouco de seu tempo estudando, caso tenha se esquecido, ou não saiba nada sobre o assunto.

A informação e o conhecimento sobre o passado são armas muito poderosas, porque nos ajudam a compreender o presente e a nos posicionar. Por isso, as ditaduras sempre perseguem quem informa, e destroem tudo aquilo que traga conhecimento.

 

 

Oito Erros na Cozinha, pelo Dr. Bactéria.

1° erro:
Lavar as carnes debaixo da torneira.
Primeiro, você perde nutrientes. A carne fica esbranquiçada.
Segundo: a contaminação que existe vai aumentar, porque aumenta a quantidade de água e as bactérias vão penetrar mais ainda. A única carne que se lava é o peixe e só para tirar escamas e a barrigada.

2° erro:

Colocar detergente direto na esponja, o que leva ao exagero.
O detergente nunca deve ser colocado direto na esponja.
Vai ser muito difícil enxaguar todo esse detergente. O resto de detergente que fica junto com os alimentos pode no futuro dar um problema para a sua saúde. Para limpar sem exagero, você precisa apenas de oito (8) gotas de detergente em um litro de água.

3° erro:
Usar tábua de carne de madeira.
Na tábua de madeira as bactérias ficam te aplaudindo! Tábua tem que ser de plástico.

4° erro:
Não guardar comida quente na geladeira.
Este é um dos um dos mitos mais difundidos entre as donas de casa… Não há erro em guardar comida quente na geladeira.
O único problema é que vai aumentar  o consumo de energia, mas não vai estragar a geladeira de modo algum.

5° erro:
Guardar comida quente na geladeira com o recipiente tampado.
O ar frio vai bater na tampa. Vai demorar muito para resfriar e as bactérias vão adorar!
Então, coloque tudo destampado. Depois de duas horas você pode fechar.

6° erro:
Furar a lata de leite condensado e utilizá-la várias vezes.
As pessoas pegam a lata de leite condensado e fazem dois buraquinho, um de cada lado.
Sai leite condensado por um lado e pelo outro entra uma chuva de bactérias. Abram a lata inteira e passem o leite condensado para um recipiente que pode ser de plástico ou de vidro. Sirvam sempre com uma colher, depois tampem e guardem na geladeira.

7° erro:
Ignorar as formigas.
Quando se fala em doce, a gente não pode esquecer as formigas. Você provavelmente não se importaria se encontrasse uma formiguinha em cima do seu bolo, não é?
Doutor Bactéria: E se fosse uma barata?
Marina Scherb, de 12 anos: Aí eu não como.
Doutor Bactéria: Se a gente pegar uma barata, matar essa barata, deixar no meio da cozinha, no dia seguinte, cadê a barata?
Marina: Sumiu.
Doutor Bactéria: Quem levou?
Marina: As formigas…
Doutor Bactéria: A mesma que estava em cima do bolo?
Marina: É…
Doutor Bactéria: As formigas são consideradas até maiores agentes transmissores de bactérias do que a própria barata. Doce com formiga só pode ter um destino: a lata de lixo.

8° erro:
Soprar velinhas do bolo de aniversário.
Este é um péssimo mau hábito. Testes comprovam que o bolo fica contaminado por bactérias de saliva.
Esta bactéria produz uma toxina que pode ocasionar aquelas intoxicações com 24 horas de vômito e mal-estar. Evite, também, deixar o bolo fora da geladeira.

Roberto Figueiredo é Biomédico e personifica o Dr. Bactéria.

 

COMO SE MANTER JOVEM

  • Deixe de fora os números que não são essenciais. Isso inclui a idade, o peso e a altura. Deixe que os médicos se preocupem com isso.  

  • Mantenha só os amigos divertidos. Os depressivos puxam para baixo. (Lembre-se disto se for um deles!)
  • Aprenda sempre:
    Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja. Não deixe que o cérebro se torne preguiçoso. “Uma mente preguiçosa é oficina do Alemão.” E o nome do Alemão é Alzheimer!

  • Aprecie mais as pequenas coisas.
  • Ria muitas vezes, durante muito tempo e alto. Ria até lhe faltar o ar. E se tiver um amigo que o faça rir, passe muito e muito tempo com ele!

  • Quando as lágrimas aparecerem, aguente, sofra e supere. A única pessoa que fica conosco toda a nossa vida somos nós mesmos. VIVA enquanto estiver vivo.
  • Rodeie-se das coisas que ama: a família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja. O seu lar é o seu refúgio.
  • Tome cuidado com a sua saúde: se é boa, mantenha-a. Se é instável, melhore-a. Se não consegue melhorá-la, procure ajuda.

  • Diga às pessoas que ama que as ama a cada oportunidade que tiver.