Em 1918, gripe espanhola espalhou morte e pânico

Naquele ano, escolas brasileiras aprovaram todos os alunos. A busca de remédios milagrosos teve um efeito colateral inusitado, a criação da caipirinha Parece filme de terror. Cadáveres jazem na porta das casas, atraindo urubus. O ar é fétido. Os raros transeuntes andam a passos ligeiros, como se fugissem da misteriosa doença. Carroças surgem de tempos emContinuar lendo “Em 1918, gripe espanhola espalhou morte e pânico”

Os  “remédios” dos nossos Avós… (2)

Glyco-Heroína Propaganda de heroína da Martin H. Smith Company, de Nova York. A heroína era amplamente usada não apenas como analgésico, mas também como remédio contra a asma, tosse e pneumonia. Misturar heroína com glicerina (e comummente açúcar e temperos) tornava o opiáceo mais agradável para a ingestão oral. Tablete de cocaína (1900) Estes tabletesContinuar lendo “Os  “remédios” dos nossos Avós… (2)”

Os  “remédios” dos nossos Avós… (1)

Heroína da Bayer Um frasco de heroína da Bayer. Entre 1890 a 1910 a heroína era divulgada como um substituto não viciante da morfina e um remédio contra tosse para crianças. Vinho de coca O vinho de coca da Metcalf era um de uma grande quantidade de vinhos que continham coca disponíveis no mercado. Todos afirmavamContinuar lendo “Os  “remédios” dos nossos Avós… (1)”