Viajar de avião na primeira classe… Nos anos 60!

Você consegue imaginar como era viajar de avião na década de 60?

A rotina dos aeroportos e as aeronaves de hoje em nada lembram a “era de ouro” da aviação comercial. Havia mais espaço entre as poltronas, mais comissários de bordo, mesmo o serviço era incomparavelmente melhor do que atualmente. Imagine que a classe executiva que se oferece atualmente era a classe econômica de então!

Olha o tamanho do compartimento para a bagagem de mão!

Claro que tudo isso tinha um custo. Viajar de avião naquela época era um evento para poucos. Os preços das passagens eram extremamente altos.  Só para dar uma ideia, um bilhete aéreo para uma capital que ficasse a uns 2.900 km de São Paulo, como Natal (RN), que hoje custa em torno de US$ 200,00, custava há 50 anos o equivalente a US$ 1.200,00.

Mas, conforme escrevi mais acima, se os preços eram salgados, o serviço de bordo e o conforto das aeronaves eram à altura. As empresas ofereciam uma série de mimos e pequenos luxos que praticamente não existem mais hoje em dia. Mesmo que você viaje de primeira classe.

Nas viagens de longa distância, as empresas ofereciam refeições completas e bebidas livremente, como vinho, conhaque, licores, champanhe e uísque. O jantar era servido em pratos de porcelana e o vinho, em taça de cristal. Os aviões de grande porte chegavam a contar com 15 comissários de bordo!

O serviço de bordo da nossa antiga Varig chegou a ser premiado como o melhor do mundo pela revista americana “Air Transport World”.

Escolhi algumas fotos para demonstrar como era a “dolce vita” nos céus:

Depois do jantar, o mais popular passatempo era ler – livros, revistas, ou se atualizar com as notícias dos jornais. Só lembrando, ler era um hábito disseminado, pois não havia internet, nem Facebook e nem Twitter.

Falando em jantar, a coisa era realmente muito diferente de hoje em dia quando se tratava das refeições. Mesmo na classe econômica, espie só:

Na primeira classe, antes do jantar, eram servidos drinques no bar.

Acompanhados por canapés…

E o jantar – que jantar! –   era finalmente servido por garçons devidamente uniformizados e na sua mesa coberta por toalhas de linho.

Após a refeição, os passageiros poderiam se reunir de novo no bar, onde conversariam com o capitão, um veterano dos ares com mil histórias para contar.

Se a conversa estivesse chata, os passageiros poderiam, por exemplo, jogar cartas com os baralhos oferecidos pela companhia aérea, que traziam fotos de aviões ou do destino para onde estavam viajando.

Mas não pense que o pessoal da classe econômica era esquecido: a eles, os comissários de bordo ofereciam tabuleiros de xadrez ou de damas, para passarem o tempo. Ainda não havia a tecnologia para passar filmes a bordo.

Você pode ter notado, na foto lá em cima no bar, uma moça com o cigarro na mão. Fumar, hábito banido nos aviões há muitos anos, era então permitido e os passageiros costumavam se reunir na sala de estar para fumar e conversar durante o voo.

Havia ainda, nos voos de longa duração, o serviço de chá da tarde. Os docinhos e bolos que a comissária trazia no carrinho era uma tentação irresistível.

Era tudo maravilhoso, não é?

Bem, quase tudo… A segurança era precária, especialmente por conta da tecnologia ainda incipiente. Não se conseguia pousar sob neblina, as colisões no ar eram frequentes… Era comum, ainda, que paredes de vidro separassem a classe econômica da executiva. Então, durante uma turbulência, por exemplo, essas paredes se estilhaçavam e você pode imaginar o que isso significava.

E como fumar era permitido, o que fazia com que cigarros, charutos e cachimbos fossem consumidos livremente, os pequenos focos de incêndio eram frequentes, especialmente quando o passageiro caía no sono com o cigarro aceso.

As bebidas, também servidas livremente, provocavam outros problemas. Muita gente passava dos limites, e em quase todo voo você via passageiros tropeçando pelos corredores, assediando as comissárias de bordo, cantando alto e vomitando no banheiro.

Quer dizer, nem sempre se viajava num céu de brigadeiro…

 

 

 

 

Fontes:

UOL

Catraca Livre

Major Airline News

Uma cabine de avião com quarto individual

O Grupo Air France-KLM divulgou as novas áreas de classe executiva e primeira classe de seus Boeings 777-200 e 777-300, na Air France, e 747-400, na KLM. Primeira-Classe-Air-France-1024x768 La Première, da Air France São quatro quartos individuais por cabine, com 3 metros quadrados cada. Eles podem ser fechados por uma cortina, para garantir privacidade nos voos de longa distância. A poltrona se reclina em 180 graus e vira uma cama com dois metros de extensão. Os braços do assento são de couro (assim como o encosto para a cabeça) e retráteis. Para regular a iluminação, basta acionar o botão que fecha as persianas. O passageiro pode optar por luz ambiente, de leitura ou de abajur (na cabeceira). Há também uma TV HD de 24 polegadas, com tela sensível ao toque. O acervo soma mil horas de filmes, séries, jogos e músicas. Quando o passageiro decide dormir, os comissários colocam um colchão em seu assento, com travesseiro e edredom da marca Sofitel My Bed. Também há uma mesa e uma banqueta, para o caso de o passageiro receber uma visita durante o voo. Como brinde, os passageiros da primeira classe ainda ganham uma necessaire com cosméticos Givenchy, que inclui um creme “anticansaço” para os olhos. No Brasil, os quartos estarão disponíveis para voos entre São Paulo e Paris a partir de outubro. Executiva-Air-France-1024x724 Business Class, da Air France Na classe executiva, não há quartos, mas estações – o espaço é aberto, ainda que individualizado. A poltrona também se reclina em 180 graus, para virar uma cama com 1,96 metro de comprimento. Em qualquer lugar na aeronave, todos os assentos da categoria dão acesso direto ao corredor Uma mesa ajustável, de 48 por 42 centímetros, garante 25% de espaço a mais que as mesinhas de poltronas convencionais. Além dela, há uma segunda mesa, lateral. Pertences como livros, revistas e tablets podem ser guardados em um bolso, que permanece acessível mesmo com a poltrona reclinada. Há ainda um compartimento para acomodar os fones de ouvido, um espelho e outros objetos pessoais. A TV HD tem 16 polegadas e também funciona como um tablet. A cada mês, a companhia atualiza cerca de 100 horas de programação, em 12 idiomas. A nova classe executiva já está disponível em voos da Air France entre São Paulo e Paris. Os trechos Brasília-Paris e Rio de Janeiro-Paris terão a classe remodelada no primeiro semestre de 2016. Executiva-KLM-1024x683 World Business Class, da KLM O número de assentos foi reduzido de 42 para 35 na classe executiva. Assinado pela designer holandesa Hella Jongerius, o projeto teve como objetivo transformar a ambientação anterior, inspirada no mundo dos negócios, em uma versão mais acolhedora, com tons mais quentes e escuros nos tecidos e revestimentos. Foram incluídas cinco novas cores: berinjela, castanho-escuro, azul-escuro, azul-cobalto e cinza escuro. As poltronas também são completamente reclináveis, com compartimentos de armazenamento de objetos pessoais abaixo das telas de televisão. No Brasil, a classe executiva remodelada estará disponível em voos entre o Rio de Janeiro e Amsterdã a partir de agosto. Entre São Paulo e Amsterdã, só em 2016.