Cargos Disputados nas Eleições 2018

Amigos, este ano teremos eleições novamente. E como será uma das mais importantes eleições dos últimos anos, resolvi publicar este post para esclarecer quais os cargos estão em disputa e assim, quem sabe, a gente consiga votar nas pessoas certas para ocupá-los.

São os seguintes cargos em jogo:

  • Presidente da República;
  • Governadores;
  • Senadores;
  • Deputados Federais;
  • Deputados Estaduais/Distrital

As únicas funções que não serão renovadas nas eleições 2018 são:

  • Prefeitos;
  • Vice – Prefeitos;
  • Vereadores.

Os cargos listados mais acima só deverão ser renovados em 2020!

Sabe quais as obrigações de cada um desses cargos? Leia a seguir.

Presidente da República

O cargo de Presidente da República é atribuído ao candidato que ganhar as eleições por maioria absoluta, o que equivale a mais de 50% dos votos válidos.  Ele exerce as funções de Chefe de Estado e Chefe de Governo, e é a autoridade máxima do Brasil. Sua residência oficial fica situada em Brasília, no Distrito Federal. Seu mandato começa em 1° de janeiro de 2019 e  termina no dia 31 de dezembro de 2022.

O salário é de R$ 30.934,70.  Além do salário, existe uma série de outros benefícios para aqueles que ocupam o cargo. Um desses benefícios é o direito de ocupar duas moradias oficiais em Brasília: o Palácio da Alvorada e a Granja do Torto. O Palácio da Alvorada é a residência oficial do presidente, construída em 1958, antes mesmo da inauguração de Brasília. Já a Granja do Torto é uma propriedade de 37 hectares (equivalentes a 370 mil metros quadrados) com características de casa de campo e situada nos arredores do Plano Piloto.

Outros benefícios são o direito a assessores especiais e inúmeros cargos de confiança, plano de saúde cobrindo todas as despesas, incluindo as de familiares diretos, cartões de crédito corporativos cujo limite varia de acordo com o orçamento e o direito a viajar em aviões da FAB, tanto em missões oficiais quanto em viagens de âmbito particular. Há ainda um importante benefício concedido ao Presidente, que não possui valor monetário: o Foro Privilegiado, que consiste em um mecanismo para garantir que certas autoridades públicas sejam julgadas por tribunais superiores, diferentemente de um cidadão comum, que é julgado pela justiça comum… (uma das vantagens que tinham que acabar).

Agora, o salário dele é alto demais? Para termos uma noção, podemos comparar o salário de um presidente brasileiro com outros presidentes no mundo ou até mesmo com outras autoridades públicas no Brasil.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o salário do presidente é de US$ 400 mil ao ano, equivalentes a cerca de R$ 1,28 milhão ao ano ou R$ 106 mil ao mês. A quantia é mais de três vezes superior ao salário do presidente brasileiro. Uma importante diferença entre os líderes das duas nações é que nos Estados Unidos os ex-presidentes têm direito a uma pensão vitalícia de US$ 191 mil anuais. O mesmo não acontece no Brasil, que não oferece pensão a seus ex-presidentes.

Em relação às autoridades públicas brasileiras, a remuneração de um Ministro do Governo é de R$ 30,9 mil mensais, a mesma que a do Presidente, e ainda contam com um auxílio moradia de R$ 6,6 mil reais, diferente dos presidentes, que residem nas moradias oficiais de Brasília.

Já um Ministro do STF recebe R$ 33,7 mil ao mês…

Governadores

Governador é o cargo político que representa o poder executivo na esfera dos Estados e do Distrito Federal. É função do governador: a direção da administração estadual e a representação do Estado em suas relações jurídicas, políticas e administrativas, defendendo seus interesses junto à Presidência e buscando investimentos.

O salário varia de estado para estado, e o do governador de São Paulo é de R$ 22.300,00.

Senadores

Um Senador possui um dos principais cargos e é encarregado de representar o estado que o elegeu e tem a responsabilidade de colaborar diretamente para o desenvolvimento de sua região.

Cada estado é representado por 3 (três) senadores no Congresso Nacional. Possuem a missão de defender e garantir suas necessidades, zelar pelos direitos constitucionais do povo, fiscalizar ações e gastos do poder executivo, autorizar operações externas que possam gerar lucro ao Estado, propor leis que beneficiem a população. Em alguns casos extremos, um Senador poderá até mesmo, julgar o Presidente da República.

Já o salário dele …  Cada senador recebe um salário bruto de R$ 33.763, fora uma montanha de mordomias. Somente os salários dos senadores geram R$ 3.072.433,00 de despesa aos cofres públicos todo mês. (são 81 senadores em exercício e mais 10 afastados ou de licença)

Esse valor salarial coloca os senadores brasileiros entre os parlamentares mais bem pagos do planeta!

Fora salários, eles ainda têm auxílio moradia, passagens aéreas, seguro-saúde, verba para contratar funcionários (cerca de R$ 80 mil por mês!), enfim, é dinheiro que não acaba mais… Veja (se você clicar sobre o quadro, ele vai abrir em outra janela e você poderá ampliá-lo para ver melhor):

Deputado Federal e Estadual

O Deputado Federal representa o poder legislativo e faz parte da Câmara dos Deputados. Tem como principais funções as de legislar e fiscalizar os gastos públicos na esfera nacional.

Já o deputado estadual é o representante do povo nas Assembleias Legislativas. Sua função principal é legislar, ou seja, fazer as leis dos estados. De acordo com o que está definido na Constituição Federal.

Eles também ganham uma fortuna. Atualmente, cada deputado federal recebe um salário bruto de R$ 33.763,00. Somados, o salário e os benefícios de cada deputado chegam a aproximadamente R$ 168,6 mil por mês. Juntos, os 513 deputados custam em média R$ 86 milhões ao mês, e a um custo anual de R$ 1 bilhão…

Veja só quanto custa um deputado…

O deputado estadual recebe o equivalente a 75% do salário dos deputados federais. Atualmente, esse valor equivale a R$ 25,3 mil. Mas eles também têm muitas outras regalias… Veja no quadro>

 

As eleições de 2018 irão acontecer nas seguintes datas:

  • 1º turno: 7 de outubro de 2018;
  • 2º turno: 28 de outubro de 2018.

Agora que você tem um pouco mais de informação, quem sabe a gente consiga escolher representantes melhores e não reeleger os picaretas. Olho vivo!

Notívago, Obama passa horas sozinho na Casa Branca

Os e-mails chegam tarde, muitas vezes depois da 1h, digitados em um BlackBerry seguro, de um endereço eletrônico que poucas pessoas conhecem. Os destinatários exaustos sabem que, mais uma vez, o chefe ainda não foi dormir.

As interrupções tardias do presidente Barack Obama podem ser perguntas em termos precisos sobre memorandos que ele leu. Às vezes são provocações porque o time do destinatário simplesmente perdeu. No mês passado foi um e-mail à 0h30 para Ben Rhodes, o vice-assessor de Segurança Nacional, e Denis McDonough, o chefe de gabinete da Casa Branca, dizendo-lhes que ele tinha acabado de revisar o esboço feito pelo redator de discursos dos comentários presidenciais para aquela manhã.

Obama havia passado três horas rabiscando a mão em um bloco amarelo uma irritada condenação à reação de Donald Trump ao ataque em Orlando, na Flórida, e disse a seus assessores que poderiam pegar sua revisão no escritório da Casa Branca quando chegassem para trabalhar.

Obama chama a si mesmo de “um homem noturno”, e como presidente passou a considerar as longas e solitárias horas após anoitecer como tão essenciais quanto seu tempo no Salão Oval. Quase todas as noites em que está na Casa Branca, Obama janta às 18h30 com sua mulher e suas filhas e então se retira para a Sala de Tratados, seu escritório particular no mesmo corredor de seu quarto, no segundo andar da residência na Casa Branca.

Lá, segundo seus assessores mais próximos, passa de quatro a cinco horas praticamente sozinho. Ele revisa discursos, lê a pilha de comunicados entregues às 8h pelo secretário de Gabinete do Conselho de Segurança Nacional, lê dez cartas de americanos escolhidas diariamente por sua equipe.

O presidente também assiste à ESPN, lê romances ou joga Words With Friends em seu iPad. Michelle Obama às vezes aparece, mas ela vai dormir antes do presidente, que fica acordado até tão tarde que mal consegue dormir cinco horas por noite. Para Obama, o tempo sozinho se tornou mais importante. O presidente George W. Bush, que levantava cedo, ia dormir às 22h. O presidente Bill Clinton ficava acordado até tarde, como Obama, mas passava o tempo em longas conversas ao telefone com amigos e aliados políticos, obrigando os assessores a verificar os registros de ligações da Casa Branca de manhã para saber com quem o presidente havia falado na noite anterior.

Quando Obama chegou à Casa Branca pela primeira vez, sua rotina após o jantar começava por volta das 19h15 na Sala de Jogos, no terceiro andar da residência.

Lá, em uma velha mesa de bilhar, Obama e Sam Kass, então cozinheiro pessoal da família Obama, passavam 45 minutos jogando.

Naquele tempo, o presidente dava sequência ao bilhar com a rotina de pôr as filhas na cama para dormir. Hoje que as duas estão adolescentes, Obama vai diretamente para a Sala de Tratados, cujo nome vem dos muitos documentos históricos que foram assinados ali, incluindo o protocolo de paz que terminou com a Guerra Hispano-Americana em 1898.

Por volta das 20h, ele recebe o livro de briefings diários do presidente, encadernado em couro —um grande volume acompanhado de uma grande pilha de pastas com memorandos e documentos de todo o governo, que exigem a atenção do presidente. “Uma quantidade insana de papel”, disse Kass.

“Ele lê todos os papéis que recebe”, disse Tom Donilon, que foi assessor de Segurança Nacional do presidente de 2010 a 2013. “Você chega de manhã e lá estão perguntas, anotações, decisões.”

Nem tudo o que acontece na Sala de Tratados é trabalho. Além de jogar Words With Friends, um jogo online parecido com palavras-cruzadas, Obama aumenta o volume da televisão para os grandes jogos esportivos.

O presidente também usa o tempo para acompanhar as notícias, folhear “The New York Times”, “The Washington Post” e “The Wall Street Journal” em seu iPad ou assistir à TV a cabo. Obama e sua mulher também são fãs de seriados na TV, como “Boardwalk Empire”, “Game of Thrones” e “Breaking Bad”. Nas noites de sexta-feira —noite de cinema na Casa Branca—, Obama e sua família costumam ficar no Cinema Familiar, uma sala de projeção com 40 lugares no primeiro andar da Ala Leste, assistindo a filmes inéditos que escolhem e são enviados pela Associação de Produtores de Cinema da América.

Agora Obama, que terá mais seis meses de noites solitárias na Sala de Tratados, parece aguardar o fim. Quando sair da Casa Branca, disse ele em março em uma oração no café da manhã de Páscoa na Sala de Jantar de Estado, “vou tirar três ou quatro meses só para dormir”.

 

Fonte:

The New York Times

HILLARY CLINTON QUER REVELAR SEGREDOS DA ÁREA 51

Cercada de mistérios e até mesmo histórias de alienígenas, a Área 51 poderá ter seus segredos revelados em breve. Hillary Clinton, pré-candidata à presidência dos Estados Unidos, revelou em entrevista no Jimmy Kimmel Talk Show que pretende abrir os arquivos secretos da base, caso seja eleita presidente do país – a eleição presidencial será em novembro.

Mas o que há de tão especial nessa Área 51? Talvez nada, talvez tudo, e as especulações surgem por causa de todo o segredo que a envolve: o próprio governo americano admitiu sua existência somente em 1994, após 48 anos de sigilo absoluto. Oficialmente, os militares dos EUA testam novas tecnologias na base… Fala-se que o F-117 foi desenvolvido em segredo por lá, na década de 1970.

F-117

F-117, o “avião invisível” aos radares.

Essa base está localizada a aproximadamente 130 quilômetros a noroeste de Las Vegas, Nevada, e de longe não tem nada de especial.

Só que há muitas histórias por lá. Fala-se que é um local para execução de engenharia reversa em OVNIs — a fim de apreender a tecnologia miraculosa que os permitiria vir de tão longe para passar umas férias no meio de um deserto nos EUA, ou em alguma outra parte do planeta. Dissecações também não faltam, naturalmente. Há quem diga, de fato, que alguns espécimes vivos perambulam pelas instalações da famigerada base.

Área 51 vista de satélite.

Área 51 vista de satélite.

Mas o que há de realmente “concreto” nisso tudo? Difícil saber, já que se trata de uma base absolutamente vedada contra olhares de amadores curiosos — como a maior parte das instalações de cunho militar, vale dizer. E não apenas lá, mas em qualquer lugar do mundo, inclusive aqui, no Brasil.

E quando todo esse burburinho começou?

Foi tudo “culpa” desse cara…

A Área 51 começou a se tornar a Meca das especulações ufológicas ao final da década de 1980. Basicamente, no momento em que um sujeito chamado Robert “Bob” Lazar veio à mídia afirmando ser um ex-funcionário da base militar.

Lazar jurou que havia trabalhado, entre 1988 e 1989, em um setor denominado de “S4”. As tarefas seriam bem pouco usuais: o pretenso físico/cientista — cujo grau jamais foi comprovado — seria incumbido de realizar engenharia reversa em espaçonaves extraterrestres de formato “discoide”. Sim, no plural, já que, de acordo com ele, pelo menos nove modelos distintos foram profundamente investigados por ele e por sua equipe.

A ideia era descobrir e, posteriormente, tomar propriedade da tecnologia de propulsão utilizada pelas raças alienígenas avançadas que haviam desembarcado por aqui. Ainda de acordo com ele, o trabalho lhe foi originalmente apresentado pelo Dr. Edward Teller — ucraniano também conhecido como o “Pai da Bomba H”.

Toda teoria da conspiração deve ter sua dose de dados vagamente científicos, como todo bom escritor de ficção científica deve saber – e todo fã da série “Arquivo X” também está cansado de ver. Para Bob Lazar, a confirmação do que ele pregava em artigos de rádio e TV era o ununpêntio, um elemento químico transurânico e radioativo (de número atômico 115), obtido apenas de forma sintética.

De acordo com ele, o ununpêntio era a fonte principal utilizada para propulsão das espaçonaves alienígenas desmanteladas pelo governo. Lazar afirmou que a tecnologia consistia no bombardeamento do material com partículas, o que acabava por “amplificar” a sua força nuclear, gerando uma distorção do campo gravitacional.

Este ET teria sido capturado e preso na Área 51.

Este ET teria sido capturado e preso na Área 51.

Dessa forma, os “discos voadores” poderiam alterar a sua relação com o espaço circundante, consequentemente encurtando as distâncias percorridas, de acordo com um destino mapeado. Lazar afirmava que os estoques do poderoso material haviam sido o presente de uma civilização extraterrestre para os povos da Terra — que deveriam utilizá-los em seus próprios veículos.

———————————————————————————————————————————————-

Sim, o elemento 115 existe, mas…

De fato, a existência do ununpêntio foi confirmada por uma equipe de cientistas russos e americanos em 2004, quando o grupo conseguiu produzir um isótopo instável do elemento 115.

No que se refere à teoria de Lazar, entretanto, um de seus críticos afirmou que o isótopo obtido em laboratório era incrivelmente efêmero, com uma meia-vida da ordem de apenas alguns segundos — e não de anos, como queria o suposto físico.

O contra-argumento de Lazar baseava-se no fato de que o ununpêntio das naves da Área 51 havia sido composto em formações estelares distantes. Isso os tornaria mais estáveis do que suas contrapartes obtidas em laboratório por meios convencionais. Por fim, ele apregoava: em um futuro próximo, o 115 ainda nos servirá como combustível.

———————————————————————————————————————————–

Bob Lazar foi desacreditado nos anos subsequentes à sua “revelação” da Área 51 e de suas supostas experiências ultrassecretas — entre outros motivos, porque se constatou que, em vez de um grau no respeitado MIT, Lazar possui apenas uma colocação em antepenúltimo lugar em sua escola secundária. Ele alega que o fato de não aparecer nos registros do MIT é resultado de uma intervenção do governo para apagar sua identidade passada…

Caminhão transportando… O quê?… para a Área 51…

Ele hoje administra uma companhia de suprimentos científicos com base em Albuquerque, Novo México, chamada United Nuclear. A United Nuclear vende minérios radioativos, ímãs poderosos, curiosidades científicas como o aerogel e uma série de produtos químicos. A empresa alega ter “mais de 250.000 clientes satisfeitos”, incluindo escolas e cientistas amadores.

O site da empresa também faz propaganda de um kit protótipo que adapta veículos ao combustível de hidrogênio. A United Nuclear diz que os kits ainda não podem ser vendidos porque o “governo embargou sua produção, por razões ligadas à indústria petrolífera”. Uma reportagem de 2006 afirma que Lazar e sua esposa foram presos por vender produtos químicos que poderiam ser utilizados na fabricação de fogos de artifícios. O casal foi processado por vender substâncias perigosas.

 

Enfim, seja como for, e depois de inúmeras teorias da conspiração, e após um número igualmente enorme de contribuições de Hollywood para a mitologia do local, é pouco provável que a Área 51 deixe o imaginário popular tão cedo. E o motivo pode ser tão velho quanto a própria humanidade: o vácuo deixado por informações concretas pode ser ocupado por praticamente qualquer coisa…

 

 

Fontes:

Live Science

Megacurioso

O Arco do Triunfo de São Paulo

Como toda cidade do mundo, São Paulo tem lá seus mistérios.

E um dos que mais deixa o paulistano curioso é sobre o pouco explicado arco do triunfo que existiu por aqui nas primeiras décadas do século 20. Já houve até quem escrevesse a respeito mas sempre de maneira vaga. Aqui vamos explicar tudo o que você sempre quis saber sobre este monumento mas não tinha para quem perguntar (ou onde ler).

Tudo começa em julho de 1921, quando a Prefeitura de São Paulo e a Presidência do Estado (aquela época o governo estadual chamado de presidência), são comunicados pelo cerimonial da Presidência da República que o Presidente Epitácio Pessoa desejava visitar São Paulo em caráter oficial.

Epitácio Pessoa

Presidente Epitácio Pessoa

A viagem, na verdade, seria uma turnê para tornar a figura do presidente mais conhecida e popular. Epitácio Pessoa assumiu a presidência em subsituição a Rodrigues Alves, eleito em 1918, mas que faleceu antes de tomar posse como Presidente da República em seu segundo mandato.

Saindo do Rio de Janeiro de trem – então capital do Brasil -, Epitácio Pessoa passaria por inúmeras cidades paulistas, como Taubaté, São José dos Campos, Mogi das Cruzes e Poá. Em algumas delas chegando a parar na cidade e em outras, como Tremembé, apenas passando vagarosamente pela estação e acenando para os cidadãos.

A sua chegada à capital paulista estava prevista para o dia 19 de agosto de 1921.

Manchete do jornal Correio Paulistano em 20/08/1921

Para entender a grandiosidade que foi a chegada do Presidente Epitácio Pessoa a São Paulo, é preciso voltar no tempo em uma época em que o respeito à figura presidencial estava muito acima das questões partidárias. Um respeito que o brasileiro perdeu no tempo, hoje acostumado a vaiar ou aplaudir presidentes, governadores e prefeitos como quem assiste a um jogo de futebol. Tanto que uma visita nas proporções de 1921, talvez fosse impossível nos dias de hoje.

Ao aproximar-se da região central de São Paulo, já na então Estação do Brás, o comboio presidencial foi obrigado a parar por longos minutos. Todos os operários das fábricas que margeavam a ferrovia naquela região foram até os trilhos para saudar o presidente. Só depois a delegação seguiu até a Estação da Luz, onde as autoridades municipais e estaduais aguardavam. E é aqui que começaremos a falar do Arco do Triunfo.

Mas antes, uma vista parcial da região onde ele foi construído. Observe que a porção direita do Seminário Episcopal ainda não tinha sido demolida.

Vista parcial da região da Luz / Foto: Guilherme Gaensly

Vista parcial da região da Luz / Foto: Guilherme Gaensly

Por pouco esse marco quase não existiu. Sua construção foi decidida de última hora, já faltando poucas semanas para a chegada do Presidente. Discutia-se no gabinete do então Prefeito Firmiano Pinto, além de toda a pompa e cerimônia que estavam preparando para Epitácio Pessoa, o que mais poderia ser feito para tornar sua visita inesquecível.

E foi aí que alguém deu a ideia de fazer um Arco do Triunfo. Mas a inspiração inicial não veio da França, e sim dos Estados Unidos, precisamente do Arco do Triunfo que fica na Washington Square Park, em Nova Iorque.

Em 1889, para celebrar o centenário da posse de George Washington como presidente dos Estados Unidos, um grande Arco do Triunfo foi construído nessa praça, e feito totalmente em gesso e madeira. Era uma construção que chamamos de arquitetura efêmera(*). O arco tornou-se tão popular que, em 1892, decidiram erguer um novo e definitivo, feito de mármore. Era a primeira vez que um arco fora erigido nas Américas.

E isso influenciou muito a criação de um similar por aqui, em uma época em que o café ainda era um produto lucrativo e dinheiro não era problema. Sendo assim, convocou-se um arquiteto paulistano para projetar o grandioso monumento. Quem ? Ramos de Azevedo.

O Arco do Triunfo paulistano, em agosto de 1921.

O Arco do Triunfo paulistano, em agosto de 1921.

E como o tempo urgia, a obra foi tocada rapidamente. Valendo-se do mesmo artifício que os americanos, com gesso e madeira, em incríveis três dias foi erguido o Arco do Triunfo de São Paulo. A firma F. Ramos de Azevedo e Cia colocou 200 operários e todos os seus serviços de oficina a cargo da construção do arco. Os turnos eram de 24 horas para que a obra ficasse pronta. Ela foi instalada no trecho final da rua José Paulino, atual Praça da Luz, quase na esquina com a Avenida Tiradentes (vide mapa abaixo), de modo que tão logo o Presidente da República saísse da Estação, passasse pelo arco.

Projetado em estilo clássico e com traços similares aos arcos de Paris e Nova Iorque, o arco paulistano possuía 28 metros de altura por 27 de metros de largura, sendo que a abertura do arco era de 10 metros de largura por 14 de altura. Sobre o arco havia quatro bandeiras nacionais, sendo três de um lado e uma do outro. Além disso, adornavam o monumento flores e guirlandas. Nas duas faces do arco existiam as homenagens: “Salve Epitácio Pessoa” e também a frase “A Cidade de São Paulo”.  À noite, além da iluminação do monumento, funcionava uma bandeira nacional feita com mil lâmpadas coloridas.

Ao chegar a Estação da Luz, Epitácio Pessoa foi recebido pelo então Presidente do Estado, Washington Luís, e pelo prefeito do município, Firmiano Pinto. Após a execução do hino nacional e das demais recepções de chegada, partiu a delegação rumo ao Palacete Prates. Abaixo, o momento em que o landau presidencial acabava de passar sob o Arco do Triunfo.

O cortejo passaria por diversas ruas paulistanas até chegar a seu destino, como as ruas Florêncio de Abreu, Mauá e José Paulino. Naquele mesmo dia 19, à noite, após jantar com Washington Luís, o Presidente Epitácio Pessoa seguiria para o Theatro Municipal para um espetáculo. Para a ocasião, foi inaugurado um novo e moderno sistema de iluminação no teatro.

E quanto tempo durou o marco ?

Como foi feito de gesso e madeira, obviamente não foi projetado para durar muito. Como não houve, após a passagem presidencial, nenhuma discussão para construir um arco definitivo, tal qual foi feito em Nova Iorque, o Arco do Triunfo paulistano foi demolido. Seu desmonte deu-se algumas semanas depois do 7 de setembro daquele ano, quando a independência do Brasil celebrou 99 anos.

E foi o fim da linha para esse monumento paulistano pouco conhecido e que hoje desperta muitas curiosidades a seu respeito.

(*) Arquitetura efêmera é o nome que se dá para construções feitas com objetivos celebrativos ou expositivos, e apenas para durar por um breve período de tempo. Existem vários outros casos deste tipo de arquitetura no Brasil, como na ocasião do casamento do Imperador D.Pedro I com a Princesa Amélia ou mesmo na ocasião da vista do Imperador D.Pedro II a São Paulo, em 1846.

Bibliografia consultada:
Correio Paulistano – Edições 20881, 20882, 20883 e 20954
A Cigarra – Edição 167, Setembro de 1921

 

 

 

 

Fonte:

Douglas Nascimento

Jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP). Também edita o blog Human Street View, focado em comparações fotográficas entre a atualidade e o passado.