As pedras rolantes do Vale da Morte… E não são os Rolling Stones!

Em meio ao misterioso silêncio e calor abrasador do Vale da Morte, na Califórnia, pedras rolantes movem-se sozinhas.

As rochas deslizantes de Racetrack Playa são um dos fenômenos mais intrigantes que ocorrem no Vale da Morte, especialmente no lago seco chamado Racetrack Playa (algo como Planície ou praia dos Rastros). O fenômeno consiste de pedras de dimensões variáveis, algumas bastante grandes, com centenas de quilos, que são encontradas com um rastro atrás de si marcado no solo, sem qualquer sinal associado à intervenção humana ou animal. A causa deste movimento ainda é controversa, embora várias teorias tentem explicá-lo. Ninguém jamais conseguiu filmá-las ou vê-las em movimento.

Registros informais populares e estudos científicos sobre este fenômeno se multiplicaram, mas não se sabe quem primeiro o observou. O primeiro registro escrito conhecido é de McAllister and Agnew,  sugerindo que a causa do movimento das rochas eram os ventos.

DEATH VALLEY NATIONAL PARK, INYO COUNTY, CALIFORNIA, U.S.A. RACETRAK PLAYA VIEW LOOKING NORTH TOWARDS THE GRANDSTAND FROM APPROXIMATE POSITION N 36º 40.0', W 117º 33.5'

DEATH VALLEY NATIONAL PARK, INYO COUNTY, CALIFORNIA.

Muitas das pedras pesam mais de 400 quilos e movem-se através de direções as mais diferentes.

Sempre existe uma teoria nova procurando explicar a causa. Há os que concordam com a ideia original, dizendo que é a força dos ventos! Outros afirmam que são forças magnéticas.

Muitos cientistas foram até o deserto em busca de explicações. Através de suas experiências, concluíram que seriam necessários ventos de mais de 370 quilômetros por hora para mover uma pedra de 400 quilos e ventos como esses nunca foram vistos no planeta!

Mistério…

Anúncios

Cientistas revelam o mistério das pedras rolantes!

Faz alguns meses, publiquei um post que começava assim: “Em meio ao misterioso silêncio e calor abrasador do Vale da Morte, na Califórnia, pedras rolantes movem-se sozinhas” (o post está aqui). O post tratava de um  fenômeno estranho: pedras de várias dimensões, algumas com centenas de quilos, são encontradas com um rastro atrás de si no solo e sem qualquer sinal associado à intervenção humana ou animal.

Esse mistério, que preocupou os cientistas e que vem sendo estudado desde os anos 1940, gerou inúmeras teorias, especialmente porque ninguém nunca havia visto as pedras se moverem. Algumas das teorias eram bastante exóticas, atribuindo seu movimento a campos de energia poderosos, ao magnetismo da Terra e até mesmo a extraterrestres. Finalmente,  o pesquisador Richard Norris, da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos, e seu primo James Norris puderam presenciar e captar em imagens o fenômeno.

Eles explicam que tudo começa quando a chuva produz uma capa de água sobre o terreno seco, criando um lago superficial. Durante a noite, essa água se congela, formando uma capa de gelo de cerca de três a seis milímetros na qual ficam presas as bases das rochas.

Quando o sol sai, o gelo começa a quebrar, criando placas de vários metros de largura que se deslocam com o vento. Assim, as pedras se movem sobre o barro, impulsionadas pelas placas de gelo, a uma velocidade de dois a cinco metros por minuto, formando os famosos sulcos na terra. As trajetórias dependem da velocidade e da direção do vento e da água que se encontra abaixo do gelo.

Segundo Richard, o fenômeno não é frequente porque quase não chove no Vale da Morte, e as temperaturas médias são elevadas. Para que possa ocorrer, é preciso que tenha chovido e que a temperatura baixe a cerca de zero grau antes que a água evapore. Por fim, o vento precisa ter força suficiente para mover as placas e, junto com elas, as rochas.

E por que havia sido difícil captar o movimento das rochas?  “Elas estão em uma área remota, de difícil acesso e protegida, onde não se pode acampar e há muitas restrições do que as equipes podem levar para lá. Além disso, a maioria dos deslocamentos ocorre quando está frio, chovendo e ventando, o que dificulta captá-los.”

Mais um mistério que foi revelado pela ciência.  Agora, o mundo pede que se explique mais um dos…

O que leva alguém a fazer isso?