Lanche ‘esquecido’ por seis anos continua novo

Certa vez, comentei sobre um hambúrguer do McDonald’s que ficou esquecido durante 14 anos e, quando foi encontrado, mantinha a aparência de novo. (aqui)

Depois, me deparei com outra notícia bizarra, sobre um pedaço de pão de um século, e falei sobre isso neste link.

Pois bem, desta vez, o esquecimento de um lanche (do McDonald’s outra vez!) foi proposital. A norte-americana Jennifer Lovdahl, moradora de Anchorage, no Alasca, revelou o resultado de um experimento incomum: ela “esqueceu” por seis anos um lanche do Mc Donald’s em sua clínica de fisioterapia quiroprática.

A foto que Jennifer tirou mostrou que as batatas fritas e os nuggets de frango pareciam estar novos, quase que como se tivessem acabado de serem servidos. “O lanche estava em nosso escritório por todos esses anos e não apodreceu ou se decompôs. Tem cheiro de papelão”, escreveu Jennifer em seu relato no Facebook.

“Fizemos isso para mostrar aos nossos pacientes como esses ‘alimentos’ não são saudáveis. Especialmente para as crianças. Há tantos produtos químicos nesses alimentos!”, finalizou.

A grande pergunta que fica é: por que os lanches do McDonald’s não se decompõem?

 

 

Abaixo, o post original que acompanhava as fotos acima:

Jennifer Lovdahl adicionou 2 novas fotos.

It’s been 6 years since I bought this “Happy Meal” at McDonald’s. It’s been sitting at our office this whole time and has not rotted, molded, or decomposed at all!!! It smells only of cardboard. We did this experiment to show our patients how unhealthy this “food” is. Especially for our growing children!! There are so many chemicals in this food! Choose real food! Apples, bananas, carrots, celery….those are real fast food.

Pão é achado preservado depois de passar 118 anos dentro de órgão em igreja

Faz algum tempo, publiquei um post (aqui) que falava de um hambúrguer que tinha ficado guardado anos no casaco de um sujeito e ainda continuava bonitão… Pois bem, outra notícia inusitada me chamou a atenção, desta vez no Daily Mail…

Pedaços de pão embrulhados em papel foram achados perfeitamente preservados 118 anos depois de serem guardados em um órgão. O caso ocorreu na igreja metodista de Padiham, em Burnley, no Reino Unido. Os pedaços de pão foram descobertos por Kath Yates, organista da igreja, porque o instrumento musical, fabricado em 1896, foi desmontado para ter as partes vendidas.

Eles estavam embrulhados em papel dentro de uma parte do instrumento musical à prova de som, selada com madeira, chamada caixa. Junto com ele, estavam folhas de um jornal local, o “Stockport Advertiser”, datado de 1896.

O marido de Kath, Peter Yates, acredita que um dos trabalhadores que montava o órgão deixou o lanche ali, enquanto fazia uma pausa. “Posso imaginar eles sentados, lendo o jornal com seus sanduíches e talvez um pedaço grande de queijo.” E então, ao retomarem a montagem, esse trabalhador se esqueceu do embulho, que foi então colocado por engano com o restante da estrutura.

Old-time religion: The above picture shows the organ as it would have been during the church's heyday

Ilustração de como era o órgão que está sendo desmontado e será depois montado na Alemanha. Na parte de trás dele, havia esse enorme espaço vazio, chamado de caixa do órgão,  que é totalmente selado por uma espessa camada de madeira para evitar que o som se propague de forma indevida. Acredita-se então que o alimento ficou tão preservado porque ali estava protegido da força dos elementos e de predadores naturais, até mesmo dos pobres ratinhos…

Innards: The remnants were found inside the organ in a part sealed by thick wood to make it soundproof

Isso é que pode se chamar de pão orgânico… Eh, eh, eh!