São Paulo antiga…

Adoro fotos, especialmente aquelas antigas, que mostram lugares e pessoas de um passado longínquo. Como as fotos a seguir, de uma cidade que há muito não existe mais:

O Vale do Anhangabaú na década de 1940

Rua da Cantareira, no centro, em 1940… Mudou muito, não?

 

Esta foto eu achei incrível, é de uma rua onde o metro quadrado hoje custa perto de 10.000 reais… Adivinha? É a Oscar Freire, em 1938!

Avenida 9 de Julho em 1940, ladeada por terrenos baldios… Dizia-se que era uma bobagem abrir uma avenida num local tão ermo… Quem vai querer ir até lá???

Av. São João com a Líbero Badaró, década de 1940

A “zelite” olhava com desconfiança a região onde se situava a avenida… Repleta de casebres e sem luz… Avenida Rebouças, em 1939

Carro da polícia em 1936, superequipado para comunicação via rádio… Só que não era muito portátil…

Voar de avião era para poucos, as passagens eram caríssimas. Ainda assim, o aeroporto de Congonhas era movimentado (veja na foto acima, da década de 1960)

Os passageiros da foto embarcam em Congonhas em um avião da Panair do Brasil, que foi fechada pela ditadura militar em 1968 porque vários participantes do governo Castelo Branco eram amigos dos donos da Varig – que foi beneficiada pelo fechamento da concorrente…

Bonde mantido pela Light, em 1936

Edifício Martinelli, 1929. O primeiro arranha-céu de São Paulo, com 30 andares, hoje é da prefeitura da cidade a abriga diversas repartições públicas. E muitas histórias de fantasmas!!!!!

Passagem do famoso Zeppelin sobre o Hotel Esplanada e o Vale do Anhangabaú, em 1936

Regatas no rio Tietê, 1917. Hoje, depois de sucessivos governos estaduais gastarem mais de 3 bilhões de reais durante 20 anos para despoluir o rio, ele é o mais poluído do país…

A famosa esquina da Avenida Ipiranga com a São João, em 1954

Carnaval na Avenida Paulista, 1926

Carnaval na Avenida Paulista, 1926

Entrada do tradicional Colégio des Oiseaux , por volta de 1907. Colégio onde estudaram moças finas da “zelite”, como a ex-prefeita Marta Suplicy, não existe mais e o terreno é palco de disputa há 40 anos. Construtoras autorizadas pela prefeitura devem construir torres naquela que é uma das poucas áreas verdes da cidade e conta com espécies remanescentes da mata atlântica , como palmeiras e jacarandá

Mappin na Praça Ramos, 1960

Mappin na Praça Ramos, 1960

Parque da Luz, 1907

Parque da Luz, 1907

Praça da Sé, 1938, com a catedral ainda em construção. Ela só ficaria pronta 30 anos depois.

Praça da Sé, 1938, com a catedral ainda em construção. Ela só ficaria pronta 30 anos depois

Anúncios