Atualidades, Curiosidades, Novidades, Sabedoria

Os planos de Elon Musk para ir a Marte

Elon Reeve Musk, é um empreendedor e filantropo sul-africano-canadense-americano. Ele é o fundador e CEO da SpaceX; CEO da Tesla Motors; vice-presidente da OpenAI; fundador e CEO da Neuralink; e co-fundador e presidente da SolarCity.

Ele é um empreendedor que viabilizou a exploração espacial privada, a criação de uma montadora global de carros elétricos e um novo sistema de transporte urbano. Entre as empresas que fundou ou comandou aparecem nomes como Paypal, Tesla, SpaceX e Neuralink.

Musk é movido por grandes medos e não tem vergonha de compartilhá-los em suas palestras e entrevistas. Com o sucesso de seus empreendimentos online entre o final da década de 1990 e o início dos anos 2000, sobrevivendo à bolha da internet, Musk passou a focar seus esforços em grandes projetos que buscam mitigar seus receios de extermínio da humanidade.

Uma de suas apostas é expandir a presença humana pelo Sistema Solar, com o estabelecimento de populações em diversos planetas, a começar por Marte.

Musk está cada vez mais próximo de seu objetivo de colocar uma expedição no planeta vermelho e iniciar a colonização. O que era um sonho impossível e parecia uma conversa excêntrica demais, hoje é visto por analistas como viável, depois de quase duas décadas de desenvolvimento de foguetes e soluções aeroespaciais.

O protótipo na nave Starship, que levará os primeiros colonizadores a Marte, fez um teste bem sucedido em agosto passado, no Texas, e conseguiu decolar do solo e se manter a 150 metros de altura antes de descer, demonstrando um bom controle de trajetória. A Starship não é apenas uma nave, será uma frota inteira e, o melhor, é retornável… não vai se perder no mar, na volta à Terra.

A nave Dragon, fabricada por sua empresa SpaceX, tem um contrato com a NASA para levar e trazer astronautas da Estação Orbital. Ela serve de modelo para as naves que levarão carga a Marte, mas antes dos seres humanos.

A viagem mais recente da Dragon foi no último mês de agosto, quando trouxe dois astronautas americanos de volta à Terra.

Imagem dos astronautas da Nasa Bob Behnken e Doug Hurley a bordo da Crew Dragon, da SpaceX. FOTO DE SPACEX

Mas, quais são os planos da SpaceX, afinal?

Enviar naves não-tripuladas para Marte é o primeiro passo em qualquer plano de eventualmente enviar humanos. Pousar grandes cargas em Marte não é exatamente uma tarefa fácil: Além de uma certa massa da nave espacial, a atmosfera fina do planeta não suporta a frenagem tipo paraquedas na descida.

É necessário antecipar missões de teste para definir as tecnologias usadas para pousar cargas pesadas, incluindo humanos, em segurança – tecnologias como o retrofoguete da Sky Crane que pousou o rover Curiosity, da NASA, na superfície marciana em 2012.

Por enquanto, a SpaceX planeja usar tecnologias propulsoras para pousar as Red Dragons, que serão versões atualizadas da nave espacial Dragon 2.

Arte mostrando a Red Dragon em Marte.
O plano da SpaceX de pousar Red Dragon em Marte dependerá do seu poderoso foguete Falcon Heavy, que terá 120 metros de altura.

A SpaceX já testou com sucesso 3 estágios do gigantesco foguete Falcon Heavy,  em 2018. Na ocasião, o que serviu de carga para o teste foi o carro que o próprio Elon Musk dirigia para ir trabalhar, o Tesla Roadster elétrico.

Nesse teste, um manequim apelidado de Starman “dirige” o carro vestindo uma roupa espacial, e o carro – e seu “motorista” – foram colocados em uma órbita elíptica ao redor do Sol que vai além da órbita de Marte, tão longe quanto o cinturão de asteroides, mas não vai voar por Marte ou entrar em órbita ao seu redor. Musk disse que o carro deve vagar pelo espaço por um bilhão de anos. Radiação solar, radiação cósmica e impacto de micrometeoritos vão danificar o carro estruturalmente no decorrer do tempo.

A radiação vai quebrar o material orgânico e todas as partes com ligação de carbono. Pneus, pintura, plástico e couro devem durar apenas cerca de um ano, enquanto as partes de fibra de carbono devem durar consideravelmente mais. No fim, apenas a estrutura de alumínio, metais inertes e vidro não destruído por meteoritos vão sobrar.

A câmera foi montada no capô do carro.

Como já se tornou costume, Musk utilizou o Twitter para atualizar o público sobre as atividades da SpaceX. Ele publicou imagens do projeto Mars Base Alpha, literalmente a Base Alfa de Marte, e afirmou a um seguidor que ela provavelmente seria construída nos próximos dez anos.

Projeto da base marciana

Ele acredita que seria possível construir uma cidade com um milhão de habitantes num prazo entre 50 e 100 anos. A Mars Base Alpha seria o ponto de partida para enviar materiais e começar a construir a infraestrutura necessária para habitar o planeta.

A colonização será feita pelo seu enorme Falcon Heavy, nave que poderá ir e voltar da Lua ou de Marte, e que terá 40 cabines, com capacidade para 6 passageiros em cada uma.

A Falcon decolando do planeta vermelho

Os planos da SpaceX envolvem fazer testes em órbita até 2020, além de  uma viagem à Lua em 2022 e uma a Marte em 2024…

 

Atualidades, Curiosidades, Novidades

Névoa misteriosa em Marte intriga cientistas

_81043906_mars_cloud

Uma descoberta feita por astrônomos amadores que passam horas estudando Marte deixou cientistas com a pulga atrás da orelha.

Descoberta pela primeira vez em 2012, uma espécie de névoa apareceu orbitando ao redor do planeta apenas uma outra vez e depois desapareceu. Ao analisar imagens da misteriosa neblina, os cientistas da Agência Espacial Europeia descobriram que ela é a maior já vista e se estende por mais de 1.000 quilômetros.

Em artigo publicado na revista Nature, eles dizem que a névoa poderia ser uma grande nuvem ou uma aurora excepcionalmente brilhante. Mas deixam claro que ambas as hipóteses são difíceis de serem comprovadas. “Essa descoberta traz mais perguntas do que respostas”, disse Antonio Garcia Munoz, cientista da Agência Espacial Europeia.

Em todo o mundo, uma rede de astrônomos amadores mantém seus telescópios calibrados para analisar o “planeta vermelho”. Eles viram essa misteriosa formação pela primeira vez em março de 2012, logo acima do hemisfério sul de Marte. Damian Peach foi um dos primeiros astrônomos amadores a capturar imagens do fenômeno.

“Eu notei essa formação saindo ao lado do planeta, mas primeiro achei que havia um problema com o telescópio ou com minha câmera”, disse. “Mas, à medida que eu ia verificando as imagens de perto, percebi que era algo real – e foi uma grande surpresa.”

A neblina brilhante durou cerca de 10 dias. Um mês mais tarde, ela reapareceu e perdurou o mesmo período de tempo. Mas nenhuma formação do tipo não foi vista desde então.

Os cientistas que comprovaram o fenômeno buscam agora uma explicação para ele, mas, por enquanto, só têm hipóteses. Uma teoria é a de que a névoa é uma nuvem de dióxido de carbono ou partículas de água.

“Sabemos que há nuvens em Marte, mas até hoje elas foram observadas apenas até uma altitude de 100 km”, disse Garcia Munoz. Segundo ele, a misteriosa névoa está bem acima dessa altitude, o que coloca em xeque essa possibilidade.

Outra explicação é a de que esta ela é uma versão local das auroras polares. “Nós sabemos que nesta região em Marte nunca foram relatados auroras antes”, disse Muñoz. “Além disso, a intensidade registrada nessa névoa é muito, mas muito maior do que qualquer aurora já vista em Marte ou na Terra.”

Para o cientista, se qualquer uma dessas teorias estiver certa, isso significaria que a nossa compreensão da atmosfera superior de Marte está errada. Ele espera que, ao publicar o estudo, outros cientistas também colaborem com explicações para o fenômeno. Mas, se isso não ocorrer, os astrônomos terão de esperar para as névoas retornarem à Marte.

 

 

 

 

 

 

 

fonte:

BBC

Atualidades, Family, Sabedoria

As fotos mais poderosas de todos os tempos

Uma imagem vale mais que mil palavras , mas nem todas as imagens são iguais. As que estão reproduzidas aqui são emocionantes e inesquecíveis porque  falam sobre a condição humana, retratando alguns dos melhores e piores momentos da existência humana contemporânea.

Devo alertar que algumas das fotos podem entristecê-lo, enquanto que outras podem enchê-lo de alegria. Mas isso acontece precisamente porque elas refletem o melhor e o pior da experiência do homem. As fotos antigas que posto de vez em quando descrevem o nosso passado, enquanto que estas tratam de nosso presente – de nossos sofrimentos e conquistas, de nossas falhas e de nossa perseverança, de nosso ódio e de nossa compreensão… De nossa estupidez e de nossa inteligência.

Só espero que esta seleção nos lembre que nosso mundo pode sempre aceitar de bom grado um pouco mais de amor, tolerância , compaixão e compreensão.

O missionário e a criança faminta.

Diego Frazão Torquato, 12 anos, tocando violino no funeral do líder do Afroreggae, morto em um assalto em 2009.  A orquestra dessa ONG o ajudou a escapar da violência, mas o menino não escapou das doenças e morreu em 2010, vítima de uma parada cardiorrespiratória após uma cirurgia.

Soldado russo tocando num piano abandonado na Chechênia (1994).

Bombeiro dando água a um coala durante o incêndio florestal em Victoria, Austrália (2009).

Reencontro de mãe e filha, depois da mulher servir no Iraque por quase um ano.

Indianos sem-teto – e sem mais um monte de coisas –  recebendo comida em Nova Delhi, Índia.

Pai alcoólatra e filho, na Mongólia…

Pôr do Sol em Marte

Demonstração do uso de preservativos em um mercado em Jayapura, capital de Papua, em 2009.

O filho pede para o pai esperar, em New Westminster (1940). O pai estava embarcando para a guerra na Europa…

Veterano russo da Segunda Guerra Mundial encontra o tanque onde serviu, exposto como monumento em um vilarejo em sua terra natal.

Flower Power, EUA (1967).

Salvando gatos da inundação, em Cuttack, Índia (2011).

Afegão oferecendo chá ao soldado americano.

Túmulos de mulher católica e marido protestante, Holanda (1888).

Atualidades, Curiosidades, Novidades

Nasa descobre novos riscos à saúde de seus astronautas

KENNETH CHANG
DO “NEW YORK TIMES”

No espaço, os fluidos corporais flutuam para cima, para o peito e para a cabeça. As pernas se atrofiam, os rostos incham e a pressão no interior do crânio aumenta. “Sua cabeça realmente parece inchada”, diz Mark E. Kelly, astronauta americano aposentado. “É como se você ficasse pendurado de cabeça para baixo durante alguns minutos.”

Alguns problemas das viagens espaciais, como osteoporose, podem ter sido superados. Outros foram identificados -por exemplo, os astronautas têm problemas para comer e dormir o suficiente-, e a agência espacial americana, Nasa, está trabalhando para compreendê-los e solucioná-los.

Depois há os problemas de saúde que ainda enganam os médicos, mais de 50 anos depois do primeiro voo espacial. Apenas cinco anos atrás se descobriu que os globos oculares de alguns astronautas ficam um pouco amassados.

Chris Cassidy, da Nasa, é levado a uma tenda médica depois de cinco meses e meio na Estação Espacial Internacional em 2012

Chris Cassidy, da Nasa, é levado a uma tenda médica depois de cinco meses e meio na Estação Espacial Internacional em 2012.

O maior problema ainda é a radiação. Sem o casulo protetor do campo magnético e da atmosfera da Terra, os astronautas recebem doses maiores de radiação, aumentando a probabilidade de desenvolver câncer.

Os cientistas da Nasa provavelmente têm até 2030 para dissecar esses problemas, antes que os astronautas viajem para Marte -missão que levaria cerca de dois anos e meio, ou quase seis vezes o padrão atual de serviço na estação espacial. O tempo mais longo que um ser humano já ficou fora da Terra foi de quase 438 dias -recorde estabelecido por Valeri Polyakov na estação espacial russa Mir em 1994 e 1995.

Em 2009, durante sua estada de seis meses na Estação Espacial Internacional, Michael R. Barratt, astronauta da Nasa que também é médico, notou que tinha certa dificuldade para ver as coisas de perto, assim como outro membro da equipe da tripulação de seis membros, Robert B. Thirsk, astronauta canadense que também é médico. Então os dois fizeram exames oculares recíprocos e confirmaram a alteração da visão para hipermetropia.

Eles também viram sugestões de inchaço de seus nervos ópticos e manchas em suas retinas. Na nave de carga seguinte, a Nasa enviou uma câmera de alta resolução para que eles pudessem fazer fotos mais nítidas de seus olhos, o que confirmou as suspeitas. Imagens de ultrassom mostraram que os olhos tinham se tornado um pouco achatados.

Muitos astronautas do ônibus espacial se queixaram de alterações na visão, mas nenhum havia estudado o assunto. “Hoje é um risco ocupacional reconhecido dos voos espaciais”, disse Barratt. “Quais são as implicações a longo prazo?”

É uma das muitas coisas que a Nasa estará monitorando na saúde de Scott J. Kelly, que passará um ano na estação espacial a partir da primavera de 2015. Mas Polyakov e três outros astronautas russos voltaram aparentemente não muito piores depois de suas longas estadas no espaço. É possível que o corpo se habitue à falta de peso depois de alguns meses e que as mudanças na visão e nos ossos se estabilizem.

Há uma década, cientistas da Nasa temeram que os astronautas voltassem para a Terra com os ossos enfraquecidos, pois sua densidade era reduzida de 1% a 2% por mês. No espaço, o corpo não precisa sustentar seu peso, então ele reage desmontando o tecido ósseo muito mais depressa do que na Terra.

A Nasa recorreu a drogas para osteoporose e exercícios aperfeiçoados, como fazer os astronautas correrem presos a uma esteira rolante. Os cientistas da Nasa relataram que os astronautas então voltaram com quase tanto osso quanto tinham ao partir.

Para as questões da visão, os cientistas suspeitam que os efeitos adversos resultem da mudança de fluido, a maior pressão do fluido cérebro-espinhal por trás dos globos oculares, mas isso ainda não foi comprovado.

Também se descobriu que os astronautas cuja visão havia mudado tinham níveis maiores do aminoácido homocisteína, muitas vezes um marcador de doença cardiovascular. Isso pode sugerir que um ambiente de gravidade zero acione algum processo bioquímico.

Quanto à radiação, a Nasa opera sob a restrição de que os astronautas não devem ter seu risco de câncer durante a vida aumentado mais de três pontos percentuais.

Pode haver outras complicações, porém. No Laboratório Nacional Brookhaven, em Long Island, cientistas estão bombardeando ratos com a radiação que imita os raios cósmicos de alta energia que percorrem o espaço exterior. Esses ratos levam mais tempo para percorrer um labirinto, sugerindo que a radiação pode danificar seus cérebros.

Os cientistas dizem que ela pode danificar outros órgãos. “Estes poderiam ser efeitos agudos”, disse William H. Paloski, chefe do programa de pesquisa humana da Nasa. “Simplesmente não sabemos, estamos examinando.” John B. Charles, do programa de pesquisa humana da Nasa, disse que a agência já poderia enviar astronautas para Marte e trazê-los de volta vivos. Mas, dado o enorme custo, é crucial que os astronautas cheguem produtivos e com ótima saúde, disse ele.

“Meu objetivo é fazer um programa que não entregue um astronauta manco em Marte.”

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/
Atualidades, Curiosidades, Family, Humor, Novidades

Aprenda uma coisa nova todo dia

Existia uma seção da revista “Seleções”, eu acho, que era do tipo “Você Sabia?”, que sempre lia em primeiro quando meu pai trazia a mais recente edição para casa. E, nos jornais, também existia uma seção dessas, tipo “Acredite se Quiser”.

Eram curiosidades sobre as coisas deste mundo (e de fora dele), e foi lá que aprendi, por exemplo, que a temperatura de Marte – nos dias mais quentes – pode chegar a 17º C positivos, e que os jivaros encolhiam a cabeça dos inimigos. Hoje em dia existem sites que trazem esse tipo de curiosidades, além de livros, como o inglês “Learn Something Everyday”, que traz 365 curiosidades, ou o brasileiro e excelente “Guia dos Curiosos”. Como sempre gostei disso, fiz uma rápida compilação para este post, trazendo novidades interessantes.

Divirta-se… E aprenda, como eu!

Por quê as bruxas usam vassoura?

Acredita-se que, como as mulheres eram responsáveis por cuidar da casa, fazer comida e limpar o chão, elas sempre tinham uma vassoura à mão. E quando as pessoas começaram a acusar outras de serem bruxas, as vassouras eram consideradas o disfarce perfeito para uma verdadeira feiticeira, já que todas as mulheres tinham uma! Daí a associar a bruxa voando montada numa vassoura foi um pulinho!

 

Uma pessoa pode ser congelada e depois trazida à vida?

Havia uma lenda de que o corpo de Walt Disney tinha sido congelado para que fosse ressuscitado quando a ciência alcançasse esse ponto. A criogenia acredita que se você mantiver a pessoa congelada, ela poderia ser revivida no futuro quando existir a cura para sua doença – mas como a lei não permite que se congele a pessoa viva, então a pessoa tem que ter morrido… Quer dizer, como ressuscitar a pessoa? As empresas que fazem a criogenia alegam que o coração parar de bater não significa que a pessoa está completamente morta, porque algumas funções cerebrais persistem e então são congeladas nesse momento -em tese, ela pode ser revivida ao “descongelar” essas funções.

Isso funciona? Até hoje, ninguém foi “descongelado” com sucesso, porque se esse processo não for feito na temperatura e velocidade corretas, as células podem formar cristais de gelo e despedaçar. Mas o avanço da ciência pode possibilitar que a nanotecnologia repare não só as células danificadas, mas até mesmo a causa das doenças. A previsão é que o primeiro revival criogênico ocorra em 2045.

Qual o idioma mais difícil de se aprender?

Não há uma resposta simples, porque o processo de aprendizado é diferente de pessoa para pessoa. Embora nenhum idioma seja fácil de aprender, aqueles que são mais parecidos com a sua linguagem nativa são menos complicados nesse aspecto. E aprender uma língua cuja pronúncia e escrita sejam totalmente diferentes pode ser um grande desafio.

É evidente que as línguas orientais podem ser as mais difíceis para os ocidentais, e vice-versa. Mas, como foi dito antes, isso varia de pessoa para pessoa, da complexidade do idioma, de quanto tempo você dedica aos estudos, de sua motivação… Na média geral, as línguas mais “fáceis” de aprender para quem fala nosso idioma seriam o espanhol, italiano, inglês e francês. As de dificuldade média seriam o  o russo, o alemão e o polonês. E as mais “difíceis”, o árabe, japonês, coreano e mandarim.