Nova sede do Facebook pode ser inundada devido ao aquecimento global

Várias companhias com sede na área da baía de San Francisco, na Califórnia, correm o risco de verem seus prédios milionários serem inundados devido ao aquecimento global. E quem provavelmente enfrentará mais problemas será Mark Zuckerberg.

O Facebook possui um campus novo na região, que tem quase 40 mil metros quadrados e pode ser ocupado com 2,8 mil funcionários. A proximidade do empreendimento com a água pode fazer com que ele seja uma das primeiras vítimas da elevação dos níveis do mar, segundo prevê a Bay Conservation and Development Commission.

“O Facebook está muito vulnerável”, afirmou a planejadora Lindy Lowe ao The Guardian. “Eles construíram em um local muito baixo – eu não sei por que eles decidiram construir lá. O Facebook pensa que pode pagar o suficiente para se proteger.”

O prédio começará a encarar inundações temporárias, o que pode até ser combatido, mas o problema maior é que as ruas de acesso à sede também serão invadidas por água. “Veremos quão dedicados eles são àquela sede”, comentou a cientista.

O local foi construído acima do nível do mar, mas mesmo as projeções mais otimistas – segundo as quais o nível subirá 48 centímetros até o fim do século – mostram que a sede ficará debaixo d’água. Em algumas décadas, as ruas já estariam sofrendo tanto com alagamentos que as operações do Facebook ficariam comprometidas.

A empresa não é a única que tem de se preocupar com a situação. Google, Cisco, Salesforce e Airbnb estão entre as que provavelmente terão de repensar suas sedes. Prevê-se que o equivalente a US$ 100 bilhões de dólares em empreendimentos imobiliários estejam em risco na região.

 

Fonte:

 

Olhar Digital

Nos tempos da vovó, São Paulo já ficava alagada…

Os anos se foram, mas os problemas ainda são os mesmos! Que coisa,  hein? Já teve tempo suficiente para mudar esse estado de coisas… Quantos prefeitos já passaram por esta cidade desde então?

Marginal Tietê em 1960 – naquela época não havia a Marginal, mas o resto continua o mesmo…

Túnel do Anhangabaú (1963) também conhecido como “A BANHEIRA DO ADHEMAR BARROS”. Se a gente colocar algumas fotos de hoje aqui, não se notará diferença…


Av. 9 de Julho (1963)


Vale do Anhangabaú (1967). Quanta semelhança aos dias de hoje, não?


Rua Teixeira Leite (1956), o que mudou é que não há mais bondes…


QUANDO SERÁ QUE VAI MUDAR?

Aranhas tecem véu em cidade australiana

A Austrália tem muitos encantos, conheço muitos brasileiros que se mudaram para lá e estão conseguindo um padrão de vida que dificilmente teriam no Brasil… Mas é um país que tem uns bichos estranhos… Por exemplo, o “demônio da Tasmânia”.

Não, não é o coadjuvante do Pernalonga em suas aventuras, mas o verdadeiro marsupial carnívoro, que é extremamente forte para seu porte. E para quem não sabe, a Ilha da Tasmânia é um estado da Austrália. As orelhas do bicho ficam vermelhas quando ele fica irritado devido ao grande fluxo sanguíneo. Esse é um ótimo aviso para você se mandar, porque sua mordida pode quebrar ossos.

Outro animal estranho é o peixe-pedra! Sim, isso mesmo!

É o peixe mais venenoso do mundo. Segundo os cientistas, a dor mais forte do planeta é causada por ele, que vive em águas rasas e pode ser confundido com pedras e corais – e pode ser pisado. Aí literalmente é onde mora o perigo, porque o peixe-pedra tem cerca de 13 espinhos venenosos alinhados na região dorsal. Quando uma pessoa pisa no peixe-pedra. é injetada uma grande quantidade de veneno que causa uma dor intensa e agonizante, e se o ferimento causado pelos espinhos do peixe for muito profundo, o veneno pode causar choque, delírios, paralisia e a morte de tecidos. O que se tem que fazer imediatamente é procurar ajuda médica!

Como se não bastassem esses e outros bichos estranhos, a Austrália ainda tem mais de 10 espécies de escorpiões e 150 de aranhas, algumas delas muito venenosas e cuja picada pode ser fatal para o ser humano. E um fato inusitado ocorreu no verão passado em Wagga Wagga, uma simpática cidade em New South Wales, no sudeste do país.

As fortes chuvas daquele ano causaram inundações e obrigaram muitos moradores a deixarem suas casas até que as águas recuassem. E o que se viu então foi uma cena incrível: os campos pareciam estar cobertos de neve!

O estranho era que não costuma nevar naquela região, e muito menos no verão! Na verdade, o que de longe parecia neve era um “campo de refugiados” das aranhas! O que aconteceu é que o véu branco que recobria a paisagem eram milhões de teias de aranha tecidas por aranhas-lobo que, fugindo da inundação, vieram se refugiar perto dos humanos.

Owen Seeman, especialista em aracnídeos do museu de Queensland, disse que aquilo foi um fenômeno curioso porque aquela espécie de aranha geralmente tem um comportamento solitário.

Editora Globo

Ele e outros especialistas garantiram que as criaturas não ofereciam qualquer perigo à população, e estavam apenas tentando escapar das enchentes. Para onde olhasse, você enxergava aquele véu tênue cobrindo os campos, as plantas e as flores, cada véu habitado por milhares de minúsculas aranhas.

spiders_01 spiders_03 spiders_05

Assim que as águas baixaram, as aranhas voltaram para seu habitat natural, que é as margens dos rios. Para alívio da população!

spiders_02Só na Austrália, mesmo…

 

Fontes:

Buzzfeed
http://revistagalileu.globo.com
http://www.viralnova.com