Frutas exóticas melhoram a saúde

Desconhecidas de muitos brasileiros, frutas exóticas  de várias partes do mundo – e que já comentei aqui – podem compor uma alimentação saborosa e ainda contribuir para melhorar a saúde. 

frutas-exóticas-saude

Elas são fonte de vitaminas, fibras e antioxidantes, que ajudam a prevenir câncer. O potássio encontrado em muitas delas auxilia no controle da pressão arterial.

Além das frutas tradicionais, que fazem a sua saúde ficar perfeita, as frutas exóticas ainda previnem doenças como: gripe, enjoo, mal estar e principalmente melhoram a pele, ajudam a emagrecer, fortalecem os cabelos e muitas outras coisas.

Quais são 

Pitaia,, pitaya ou Fruta-do-dragão:  é  muito comum no México, é bem doce e possui vitaminas A e C. Quando consumida, a polpa da fruta protege a mucosa gástrica. Consumimos a fruta juntamente com as sementes porque elas não saem. A contra indicação dessa fruta é que deve ser consumida em pequenas quantidades, por que é conhecida como laxativa. Dá para fazer suco ou até mesmo geleias bem docinhas.

pitaia

Cherimoia, natural dos Andes, tem uma semelhança com a famosa fruta-do-conde. As sementes não são consumíveis e a polpa é doce e cremosa. O sabor remete a lembranças dos sabores da banana, abacaxi, morango e mamão. Ela possui vitamina A e é rica em fibras, além de potássio.

Cherimoia

Kino, originário da África, é rico em vitamina C e é ótimo para fortalecer o sistema imunológico. É utilizado para reduzir o apetite pois sua composição contém muita fibra. Seu consumo ainda ajuda a controlar o colesterol.

kino-fruta-ajuda-emagrecer

Granadilho é uma fruta típica de vários países da América do Sul e tem, em sua composição, fibras e vitamina A. Essa fruta ajuda na redução do colesterol, e ajuda ainda a controlar a diabetes. Ela não tem muita polpa, mas o lado bom é que as suas sementes são próprias para comer.

granadilho

Longan é uma fruta que veio da Índia e é muito cultivada na China, onde é conhecida como “olho de dragão”. Ajuda no combate da anemia e o seu sabor lembra o do melão. A fruta tem vitamina C e muito ferro e lembra muito a lichia, mas é muito mais eficaz que ela. Ela pode ser consumida normalmente quando descascada ou em suco.

Longan

Rambutão, fruta do sudeste da Ásia, particularmente na Malásia, tem pelos por fora e sabor doce e levemente ácido. É rico em vitamina C, que melhora o sistema imunológico e previne as doenças.

egXxNNT

Dicas

– Você pode usar o rambutão em pratos salgados, misturado com frango, por exemplo.

– Além da polpa da pitaya, sua casca costuma ser usada para fazer geleia.

– Todas essas frutas podem ainda ser consumidas em saladas, tanto de legumes quanto de frutas.

As frutas mais exóticas do mundo

Os europeus sempre foram fascinados pelas frutas dos trópicos, especialmente pela diversidade que pode se encontrar no Brasil, como já falei neste post. Como me interesso pelo assunto, encontrei referências a frutas mais exóticas, se podemos definir assim, e que eu nunca vi. Mas fiquei curioso para provar:

Pitaya

Muito comum no México, parece que já existe essa fruta no Mercado Municipal de São Paulo, caríssima, me disseram. Também conhecida como fruta do dragão, por causa da casca irregular e dos gomos escamosos, a pitaya tem um leve sabor adocicado, que lembra o do kiwi. Ela ainda é rica em vitamina C, cálcio, ferro, fósforo e potássio.

Kiwano

É nativo do deserto do Kalahary, no sul da África. Foi introduzido em diversos países europeus e inclusive na Nova Zelândia, que acabou se tornando seu maior produtor. Quem já provou diz que o sabor parece de pepino, misturado com granizo e melão daqueles bem insossos, puxando para a banana… Parece uma coisa pré-histórica, um mamão com chifres…

Rambutan

Ela é conhecida como a delícia do Pacífico. A Rambutan é nativa da Malásia, porém se adaptou muito bem ao clima do norte do Brasil, sendo cultivada em Rondônia, Amazonas e Pará, além do litoral da Bahia. Na natureza, a árvore de Rambutan alcança até 24 metros. De sua casca saem pelos típicos.  Essa fruta que lembra a lichia ainda é pouco conhecida no país, mas tem benefícios sobre ela, seu fruto é maior e suas sementes são de 30 a 50% menores, dando mais espaço a sua polpa, que é doce e pouco ácida, semelhante à uva. Quem a provou, disse que é muito saborosa.
Mangostão
Nativo da região tropical do sudeste asiático, abrangendo também a maioria das ilhas da Indonésia, o mangostão é considerado pelos habitantes desses lugares como a fruta mais saborosa do mundo: “a rainha das frutas tropicais”. Verdadeiro “manjar dos deuses”, o mangostão foi comparado, por alguns, ao néctar e à ambrosia, alimentos do Olimpo grego. Sua sua polpa é branca e macia enquanto sua pele vermelha é grossa e fibrosa. Dizem que seu sabor é muito doce e agradável. Elas aparecem apenas em alguns meses do ano – normalmente de maio a setembro.
Ficheiro:Mangosteen.jpeg
Yangmei
Nativa da Ásia, mais precisamente da China, dizem que já era cultivada há 2.000 anos.  Agora é cultivada em países próximos, como Taiwan, Japão e Coréia. Yangmei é verde quando imaturo, mas ficará vermelho para roxo quando maduro. O fruto é redondo, com geralmente cerca de 3 a 4 centímetros de diâmetro. A fruta em si tem o sabor adocicado e ácido. A aparência externa dela lembra um pouco a amora. Há uma única semente no centro do fruto.
Fonte: http://hypescience.com/, por Luciana Galastri.

As cidades mais fedorentas do mundo!

Existem cidades no mundo que são conhecidas por algumas características especiais: ou por suas belezas naturais (como o Rio de Janeiro), ou por ser a cidade que nunca dorme (Nova York) ou por ser uma cidade estranha… Sim, existem cidades estranhas, e uma delas é Longyearbyen, na Noruega.

Lá, os habitantes não podem morrer: há mais de um século, o cemitério local não enterra mais pessoas, já que as temperaturas, sempre muito baixas, impedem os corpos de se decompor. Tem mais: na cidade, a população de ursos polares é quase igual a de seres humanos, e apesar da caça ser ilegal, os habitantes são, às vezes, obrigados a atirar em legítima defesa!

Mas existem aquelas cidades que são famosas porque são muito… Fedidas! O mau cheiro é tão intenso que nem gambá aguenta! Conheça agora as 5 cidades mais fedorentas do mundo:

Rotorua, Nova Zelândia

Rotorua

Quem já foi a Rotorua nunca mais se esquece do cheiro de ovo podre que impregna o ar. O perfume da cidade não é por causa da quantidade de gases que os seus habitantes costumam soltar e sim pela localização geográfica. Rotorua fica próxima a um vulcão e tem como atrações lagoas de lama quente, fumarolas, nascentes termais e gêiseres. Por isso, uma grande quantidade de enxofre é liberada na atmosfera da cidade diariamente… Agora, que ideia construir uma cidade perto de um vulcão!

Bangkok, Tailândia

Bangkok

Nunca fui a Bangkok, mas quem já foi diz que é um passeio incrível, porque a cidade tem muita coisa interessante para se ver. Mas existe por lá uma fruta alegadamente a mais deliciosa do mundo, mas que é também a mais fedida de todas: chama-se “durian” e ela tem cheiro de chulé, segundo alguns, e de material em decomposição, segundo outros. Independentemente de ser incrivelmente apreciado por muita gente, o odor terrível e intenso do durian fez com que a fruta fosse proibida em locais como parques, shoppings centers e hotéis. Mesmo assim, andar pela cidade é como ter uma meia suja presa no nariz!

Veneza, Itália

Veneza

Andar de gôndola no verão em Veneza equivale a passear de barco no rio Tietê, em São Paulo. Embora seja uma das cidades mais belas do mundo, ela ainda sofre com problemas muito comuns aqui no “terceiro mundo”: os canais ainda recebem esgoto não tratado, muita gente joga lixo ali e ainda há o diesel liberado pelos barcos. A prefeitura da cidade iniciou um projeto de despoluição, que abrange desde tratar esgotos até proibir o tráfego de barcos a motor em determinados dias. Providências mais do que bem-vindas.

Mumbai, Índia

Se você for daqueles que torce o nariz para qualquer cheirinho mais desagradável, como o de sardinha sendo fritada às 7 da manhã no apartamento vizinho ao seu, não visite Mumbai. Ela é tida como sendo a mais intensa e recompensadora experiência olfativa do mundo. Para todo lado que você virar, sentirá o cheiro de fumaça de carros e motonetas e o fumo preto dos caminhões, somado ao aroma pútrido de água suja na sarjeta. Combinado a isso, o cheiro de mar vem misturado com o perfume de frutas podres jogadas no chão e de fritura em óleo de palmeira. Sem mencionar as especiarias típicas, afinal, você está na Índia: cravo, canela e etc… Tudo isso cria o cheiro inigualável de uma cidade vibrante!

Fez, Marrocos

Fez pode ser a maior cidade medieval árabe do mundo, mas é também uma das mais fedidas… Dentro da cidade velha murada, existem os curtumes de Derb Chouwara, fileiras de tinas coloridas onde são curtidas as peles de diversos animais (cabras, ovelhas, vacas e até camelos!).  São mais de 300 poços ou tinas circulares, e em cada reservatório, de cerca de um metro de profundidade, há um líquido de uma cor diferente. A grande maioria tem a coloração marrom, em suas mais diversas matizes. Um terço do espaço contém uma poção esbranquiçada. Alguns poucos, que chamam logo a atenção, possuem dentro uma tinta vermelha ou amarela.

O couro passa primeiro pelas tinas esbranquiçadas (ao fundo, na foto abaixo), onde uma mistura de cal – com excrementos de pombas e urina de vaca – amolecem o couro e destroem os pelos dos bichos. Após ficarem de molho durante vários dias, as peças passam por um processo de limpeza e de enxágue.

Até algumas décadas atrás, o tingimento era feito com colorantes vegetais. Para o amarelo usava-se o açafrão-da-terra (cúrcuma ou turmérico), para o vermelho a papoula, para o azul o índigo dos tuaregues e, para o preto, o antimônio. Mas hoje, os corantes industrializados tomaram conta do mercado. Uma vez tingidos, os couros são, então, expostos ao sol para secagem.

fez5-5349-web62

O interessante é que esse cheiro de cocô de pomba com xixi de vaca se mistura ao das peles secando ao sol, gerando o odor de fralda suja que se espalha por vários quarteirões… Então, dê-se por feliz por poder respirar e não ser um dos indivíduos que fica nesses tonéis durante todo o dia!

 

Essa é a graça de viajar pelo mundo. Você pode ver, provar, ouvir… E cheirar… Coisas muito diferentes!

 

 

 

Fontes:
Thrillist
Megacurioso

Brazilian Fruits

Os estrangeiros sempre foram fascinados pela diversidade de frutas encontradas no Brasil. A ilustração abaixo é de Albert Eckhout, artista plástico e botânico holandês. Ele chegou ao Nordeste do Brasil em 1637, na comitiva do príncipe Maurício de Nassau, onde permaneceu até 1644. A sua missão como pintor era a de registrar a paisagem brasileira. Muitas de suas pinturas ajudaram a Europa a ter uma ideia do Novo Mundo.  Em terras da Nova Holanda, como eles chamavam o norte e nordeste brasileiros, retratou os habitantes, a fauna e a flora com riqueza de detalhes.

Algumas dessas centenas de frutas nós aqui do Sul e Sudeste conhecemos bem, como açaí, que tem 100 vezes mais vitamina C do que a laranja, ou a goiaba, rica em vitaminas A, B e C. Sem falar no caju, na jabuticaba, na graviola, na jaca (argh!), maracujá, cacau, caqui, carambola, pitanga…

Mas quando você acha que já conhece muita coisa, dá de cara com frutas assim:

Buriti

 O óleo de Buriti aumenta a elasticidade e diminui o ressecamento da pele exposta à radiação solar.

Araticum

Também conhecida em algumas regiões como fruta-da-condessa, dizem que é ainda mais saborosa do que a fruta-do-conde. Além do consumo in natura, são inúmeras as receitas de doces e bebidas que levam o sabor perfumado e forte de sua polpa, acrescida, muitas vezes, pelos sabores de outras frutas: batidas, licores, refrescos, bolachas, bolos, sorvetes, cremes, geléias, gelatinas, compotas, quindim, docinhos, doces-de-coco, doces-de-leite, etc.

Abiú

Abiú vem do tupi-guarani e significa “Fruta com ponta”.  A forma da fruta difere bastante de uma variedade para outra, podendo ocorrer frutos inteiramente redondos, ovais e mesmo alongados,  todos eles do tamanho aproximado de um ovo grande de galinha ou de pata.  A polpa branca é  muito doce, e envolve de uma a quatro sementes lisas e pretas. Pode ser consumida ao natural ou como geléia. Como fruta fresca, deve ser consumida exclusivamente quando estiver bem madura e amarela, pois, do contrário, sua casca libera um leite branco e viscoso que adere aos lábios, provocando uma sensação bastante desagradável.

Pequi

Seu forte gosto e perfume penetrante ficam na língua  por horas. Se o desavisado mordê-lo, aí então é que nunca mais vai esquecê-lo. Com o pequi não tem meio termo: ou se ama ou se odeia. O fruto é utilizado das mais variadas formas: cozido, no arroz, no frango, com macarrão, com peixe, com carnes, no leite, e na forma de um dos mais afamados licores de Goiás. Seu grande atrativo, além do sabor, são os cristais que se formam na garrafa, que dizem, são afrodisíacos.

Seriguela

A seriguela é uma fruta pequena e de formato oval que lembra bastante o cajá. Pode ser encontrada mais facilmente na região Nordeste do Brasil, possui gosto bastante adocicado e ao amadurecer assume uma cor laranja-avermelhado ou amarelo. Além do consumo in-natura, a fruta pode ser usada em sucos e fica muito bem com vodka e gelo, a famosa (pelo menos na Bahia) Sirigueloska.

Feijoa

Também conhecida como goiaba-serrana, tem polpa clara e gelatinosa de cor creme. A feijoa tem um formato oval com a casca rugosa. Possui um delicado sabor doce e um aroma que lembra o do abacaxi. A fruta pode ser utilizada na culinária, no preparo de sucos, sorvetes , sobremesas, saladas, coquetéis e em diversos tipos de doces. A feijoa contém um importante regenerador conhecido como Alfa 3, que contribui para a oxigenação do sangue e das células.

Cagaita

Essa frutinha, abundante no cerrado, é porreta. A planta pode ter fim ornamental; sua casca, empregada na indústria do curtume e o fruto, utilizado como alimento com importantes características funcionais. A cagaita é um fruto globoso, levemente ácido, de sabor agradável, com coloração amarelo pálido.  O fruto in natura serve de matéria prima para sorvetes, geleias, infusões, sucos, bolos, balas, pães e compotas. A polpa da cagaita pode ser armazenada congelada por até um ano, sem perdas de suas propriedades nutricionais. Quando fermentado, pode ser empregado na produção de vinagre e álcool.

E tem muito, muito mais…