Curiosidades sobre os Discos-Voadores

O termo disco-voador, agora em desuso pelos estudiosos, designava um objeto voador no formato de um pires, e que se supunha ser extraterrestre. Hoje se utiliza a expressão OVNI (UFO, em inglês) que significa Objeto Voador Não Identificado.

A expressão “disco-voador” foi cunhada pela imprensa americana por ocasião do chamado “Caso Roswell”, como ficou conhecido o incidente em Roswell, Novo México, em 1947, onde teria caído um OVNI numa fazenda. Embora o fazendeiro nunca tenha usado esse termo para descrever o objeto que ele viu destroçado em suas terras – ele falou “disco”, “prato” e “pires” – os jornais estamparam manchetes gritantes, afirmando que a Força Aérea tinha capturado um “disco-voador” (flying saucer) na região.

A Força Aérea depois informou que os destroços eram, na verdade, de um balão atmosférico. Muita gente acredita que essa informação foi apenas uma “cortina de fumaça” para ocultar a verdade – de que eles teriam capturado um sobrevivente alienígena do acidente.

Durante a Guerra Fria, período de grande animosidade entre os Estados Unidos e a extinta União Soviética, e durante o qual as duas potências rosnavam uma para a outra, exibindo seus arsenais atômicos, o medo de uma guerra nuclear deixava os cidadãos americanos paranoicos e, seja por esse motivo ou por pura coincidência, os relatos de OVNIs passaram a ocorrer com uma frequência nunca vista.  Para os quadrinhos, a invasão dos discos-voadores era uma alegoria do ataque inimigo.

O CCCP que se vê na cápsula espacial é uma abreviatura das palavras em russo de União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, URSS.

O cinema também interpretou esse sentimento popular em vários filmes, um deles o emblemático “A Invasão dos Discos-Voadores”, de 1956, com efeitos especiais do mestre do stop-motion Ray Harryhausen. Ele criou várias maquetes de discos-voadores que se tornaram a mais clássica aparência cinematográfica de um OVNI (uma cabine central estática rodeada por um anel em rotação) e que foi derivada das descrições dadas pelo major Donald Keyhoe em seu livro, que serviu de inspiração para o filme.

Abaixo, a sequência em que os E.Ts. pousam na Terra e atacam.

Foi durante essa década que começaram a surgir informações de que os nazistas vinham testando a construção de discos-voadores durante a Segunda Guerra Mundial. Essas especulações ganharam força nas décadas seguintes e muitas “teorias da conspiração” garantem que, após a guerra, americanos e soviéticos roubaram os planos alemães para construir essas naves.

A foto acima, se não for uma montagem, mostra um disco-voador nazista de segunda geração, o Haunebu II.

Alguns afirmam que, no final dos anos 1960, a força aérea americana considerou seriamente a possibilidade de que os OVNI’s que tinham sido vistos poderiam ter sido, de fato, aviões fabricados secretamente pela URSS baseados em projetos roubados dos alemães.

Outra expressão muito utilizada quando se fala de OVNIs é a “Área 51”.

Área 51 é um dos nomes atribuídos à área militar restrita no deserto de Nevada, próxima ao Groom Lake, Estados Unidos. É uma área tão secreta que o governo norte-americano só admitiu sua existência oficial em 1994, e ainda assim com muitas restrições.

Exatamente por ser tão secreta é que essa base alimentou a imaginação de pessoas no mundo todo, especulando que ali haviam discos-voadores capturados e onde se examinavam os ETs sobreviventes. A base fica a 250 km de Las Vegas, no meio do deserto, com montanhas e vegetação rasteira, e placas que dizem “Nenhum posto de gasolina pelos próximos 250 quilômetros”. Houve uma época em que a região era invadida por turistas atrás de OVNIs, mas com a passagem do tempo e o surgimento inevitável de novos temas de interesse, os filmes e programas de televisão que alimentaram a fixação pelos alienígenas escondidos na Área 51 – de Arquivo X a Independence Day – não chamam mais tanta atenção como antigamente.

E agora que a CIA confirmou recentemente que a base existe mesmo e serve para testar apenas aviões-espiões, sem nada a ver com discos-voadores, o interesse realmente minguou…

Mas o povo continua tentando conseguir boas imagens dos discos-voadores. Abaixo, seguem algumas das fotos mais conhecidas e que ainda não se comprovou que sejam uma fraude:

A foto acima foi tirada na Bélgica em 1990 e mostra um OVNI triangular com luzes nas extremidades.

Esta foi tirada na Califórnia, em 1965.

Bariloche, 1969, foto tirada pelo prof. e físico Sebastian José Tarde.

Bem, do mesmo modo que se diz “não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem”, segue abaixo uma lista de informações úteis para deixá-lo bem informado no caso de um dia você se deparar com alguns ETs desgarrados…

  • Convencionou-se chamar de “contato de primeiro grau” a simples observação de um OVNI. De “segundo grau” quando  o OVNI pousa e deixa vestígios de sua passagem. De “terceiro grau” se o narrador diz ter visto as criaturas. Os de “quarto grau” ocorrem quando há contato direto e comunicação com os tripulantes. Nos de “quinto grau”, ocorrem viagens na nave e as abduções.
  • A abdução acontece quando a pessoa é levada por ETs contra a vontade para o interior do OVNI, onde é submetida a experiências e exames clínicos.
  • Gilberto Gil e Gal Costa afirmam que já tiveram contatos com ETs. Chico Buarque e Maria Betânia afirmam já terem visto OVNIs. Fábio Jr. também. Em maio de 2001, a cantora Elba Ramalho declarou à revista Veja que extraterrestres lhe implantaram um microchip, retirado mais tarde por esses “seres celestiais”.
  • Muitos pesquisadores destacam passagens da Bíblia que poderiam estar se referindo a discos voadores e a extraterrestres. A lista é imensa. Por exemplo: “São João, no Apocalipse, nos descreve um anjo que tinha olhos como labaredas e outro com um rosto como sol e os pés, como colunas de fogo”. Supostos OVNIs também são citados como sendo “tronos de fogo”, “braseiros consumidores” ou “rios que jorram em montes de fogo”.
  • São José dos Campos, no interior de São Paulo, é a cidade com maior número de relatos de abduções do mundo.
  • Os países com o maior número de fenômenos OVNIs são os Estados Unidos, México, Peru, Brasil, Rússia e Chile.
  • No Brasil, o caso que mais deu o que falar foi o do ET de Varginha, no interior de Minas Gerais. Segundo relatos, três garotas teriam avistado um ser com protuberâncias na cabeça, pele marrom e olhos vermelhos num terreno baldio da cidade. O incidente teria acontecido no mesmo dia em que diversos moradores relataram avistamentos de possíveis OVNIs. Também foi noticiada uma estranha movimentação de soldados do Exército na mesma região do incidente. Falou-se que o ET teria sido capturado pelas autoridades e levado a algum lugar secreto (alguns boatos apontaram a Universidade de Campinas/UNICAMP) onde teria sido estudado e mantido em sigilo. Outras teorias dizem que o Brasil não tinha como lidar com o caso e entregou o corpo do ET de Varginha para os Estados Unidos, que em troca, levou um astronauta brasileiro para o espaço, o Marcos Pontes.

  • A Área 51 foi citada em inúmeros filmes, séries e desenhos animados, e alguns deles são: Arquivo X, Taken, Transformers, Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, Hellboy, Independence Day, Os Simpsons, Ben 10, Johnny Quest e Futurama.

  • O Triângulo das Bermudas é uma área do Oceano Atlântico entre a Flórida, a ilha de Porto Rico e o arquipélago das Bermudas, e que ficou famosa pelos desaparecimentos de aviões, barcos e navios. Ocorreram mais de 50 eventos dessa natureza, a maioria entre 1945 e 1950. Muitas teorias foram criadas para explicar o fenômeno e uma delas é  a ação de extraterrestres.
  • Em 1938, o cineasta Orson Welles, diretor do clássico Cidadão Kane, assustou os Estados Unidos com uma teatralização no rádio do romance “Guerra dos Mundos”, de H. G. Wells. Muita gente entrou em pânico. Milhares chegaram a acreditar que a Terra estava sendo invadida por seres alienígenas.
  • Segundo os astrônomos, é impossível que uma nave vinda de outro sistema planetário faça uma visitinha à Terra. Eles argumentam que as longas distâncias, além da dificuldade de obter a energia necessária para a viagem, tornam essa possibilidade nula…
  • Até agora, foram descobertos cerca de 400 planetas fora do Sistema Solar, mas os astrônomos suspeitam que esse número seja infinitamente maior. Alguns acreditam que a maior parte das estrelas possui planetas girando ao seu redor. Considerando que as galáxias menores possuem cerca de 100 bilhões de estrelas e as maiores, trilhões… Quantos planetas podem existir no Universo?

Uma última dica (testada e aprovada): se você quiser ter algum tipo de contato extraterrestre, afaste-se das cidades. A probabilidade de você enxergar um disco-voador numa cidade como São Paulo é muitas vezes menor do que em um local com pouca luminosidade, céu límpido e sem poluição.

Se não avistar nenhum ET, você pelo menos terá feito contato de primeiro grau com a natureza, e observado as estrelas cadentes.

 

 

 

 

 

Fontes:
maisquecuriosidade.blogspot.com.br
Wikipedia
ufocasebook.com
latest-ufo-sightings.net
aliensthetruth.com
zerohora.clicrbs.com.br
alemdaimaginacao.com
photos1.blogger.com
Anúncios

HILLARY CLINTON QUER REVELAR SEGREDOS DA ÁREA 51

Cercada de mistérios e até mesmo histórias de alienígenas, a Área 51 poderá ter seus segredos revelados em breve. Hillary Clinton, pré-candidata à presidência dos Estados Unidos, revelou em entrevista no Jimmy Kimmel Talk Show que pretende abrir os arquivos secretos da base, caso seja eleita presidente do país – a eleição presidencial será em novembro.

Mas o que há de tão especial nessa Área 51? Talvez nada, talvez tudo, e as especulações surgem por causa de todo o segredo que a envolve: o próprio governo americano admitiu sua existência somente em 1994, após 48 anos de sigilo absoluto. Oficialmente, os militares dos EUA testam novas tecnologias na base… Fala-se que o F-117 foi desenvolvido em segredo por lá, na década de 1970.

F-117

F-117, o “avião invisível” aos radares.

Essa base está localizada a aproximadamente 130 quilômetros a noroeste de Las Vegas, Nevada, e de longe não tem nada de especial.

Só que há muitas histórias por lá. Fala-se que é um local para execução de engenharia reversa em OVNIs — a fim de apreender a tecnologia miraculosa que os permitiria vir de tão longe para passar umas férias no meio de um deserto nos EUA, ou em alguma outra parte do planeta. Dissecações também não faltam, naturalmente. Há quem diga, de fato, que alguns espécimes vivos perambulam pelas instalações da famigerada base.

Área 51 vista de satélite.

Área 51 vista de satélite.

Mas o que há de realmente “concreto” nisso tudo? Difícil saber, já que se trata de uma base absolutamente vedada contra olhares de amadores curiosos — como a maior parte das instalações de cunho militar, vale dizer. E não apenas lá, mas em qualquer lugar do mundo, inclusive aqui, no Brasil.

E quando todo esse burburinho começou?

Foi tudo “culpa” desse cara…

A Área 51 começou a se tornar a Meca das especulações ufológicas ao final da década de 1980. Basicamente, no momento em que um sujeito chamado Robert “Bob” Lazar veio à mídia afirmando ser um ex-funcionário da base militar.

Lazar jurou que havia trabalhado, entre 1988 e 1989, em um setor denominado de “S4”. As tarefas seriam bem pouco usuais: o pretenso físico/cientista — cujo grau jamais foi comprovado — seria incumbido de realizar engenharia reversa em espaçonaves extraterrestres de formato “discoide”. Sim, no plural, já que, de acordo com ele, pelo menos nove modelos distintos foram profundamente investigados por ele e por sua equipe.

A ideia era descobrir e, posteriormente, tomar propriedade da tecnologia de propulsão utilizada pelas raças alienígenas avançadas que haviam desembarcado por aqui. Ainda de acordo com ele, o trabalho lhe foi originalmente apresentado pelo Dr. Edward Teller — ucraniano também conhecido como o “Pai da Bomba H”.

Toda teoria da conspiração deve ter sua dose de dados vagamente científicos, como todo bom escritor de ficção científica deve saber – e todo fã da série “Arquivo X” também está cansado de ver. Para Bob Lazar, a confirmação do que ele pregava em artigos de rádio e TV era o ununpêntio, um elemento químico transurânico e radioativo (de número atômico 115), obtido apenas de forma sintética.

De acordo com ele, o ununpêntio era a fonte principal utilizada para propulsão das espaçonaves alienígenas desmanteladas pelo governo. Lazar afirmou que a tecnologia consistia no bombardeamento do material com partículas, o que acabava por “amplificar” a sua força nuclear, gerando uma distorção do campo gravitacional.

Este ET teria sido capturado e preso na Área 51.

Este ET teria sido capturado e preso na Área 51.

Dessa forma, os “discos voadores” poderiam alterar a sua relação com o espaço circundante, consequentemente encurtando as distâncias percorridas, de acordo com um destino mapeado. Lazar afirmava que os estoques do poderoso material haviam sido o presente de uma civilização extraterrestre para os povos da Terra — que deveriam utilizá-los em seus próprios veículos.

———————————————————————————————————————————————-

Sim, o elemento 115 existe, mas…

De fato, a existência do ununpêntio foi confirmada por uma equipe de cientistas russos e americanos em 2004, quando o grupo conseguiu produzir um isótopo instável do elemento 115.

No que se refere à teoria de Lazar, entretanto, um de seus críticos afirmou que o isótopo obtido em laboratório era incrivelmente efêmero, com uma meia-vida da ordem de apenas alguns segundos — e não de anos, como queria o suposto físico.

O contra-argumento de Lazar baseava-se no fato de que o ununpêntio das naves da Área 51 havia sido composto em formações estelares distantes. Isso os tornaria mais estáveis do que suas contrapartes obtidas em laboratório por meios convencionais. Por fim, ele apregoava: em um futuro próximo, o 115 ainda nos servirá como combustível.

———————————————————————————————————————————–

Bob Lazar foi desacreditado nos anos subsequentes à sua “revelação” da Área 51 e de suas supostas experiências ultrassecretas — entre outros motivos, porque se constatou que, em vez de um grau no respeitado MIT, Lazar possui apenas uma colocação em antepenúltimo lugar em sua escola secundária. Ele alega que o fato de não aparecer nos registros do MIT é resultado de uma intervenção do governo para apagar sua identidade passada…

Caminhão transportando… O quê?… para a Área 51…

Ele hoje administra uma companhia de suprimentos científicos com base em Albuquerque, Novo México, chamada United Nuclear. A United Nuclear vende minérios radioativos, ímãs poderosos, curiosidades científicas como o aerogel e uma série de produtos químicos. A empresa alega ter “mais de 250.000 clientes satisfeitos”, incluindo escolas e cientistas amadores.

O site da empresa também faz propaganda de um kit protótipo que adapta veículos ao combustível de hidrogênio. A United Nuclear diz que os kits ainda não podem ser vendidos porque o “governo embargou sua produção, por razões ligadas à indústria petrolífera”. Uma reportagem de 2006 afirma que Lazar e sua esposa foram presos por vender produtos químicos que poderiam ser utilizados na fabricação de fogos de artifícios. O casal foi processado por vender substâncias perigosas.

 

Enfim, seja como for, e depois de inúmeras teorias da conspiração, e após um número igualmente enorme de contribuições de Hollywood para a mitologia do local, é pouco provável que a Área 51 deixe o imaginário popular tão cedo. E o motivo pode ser tão velho quanto a própria humanidade: o vácuo deixado por informações concretas pode ser ocupado por praticamente qualquer coisa…

 

 

Fontes:

Live Science

Megacurioso

10 coisas que você deve saber sobre “Arquivo X” antes do retorno da série

arquivo-x-capa-1452098663835_615x300

Os dois agentes do FBI mais famosos dos anos 1990 voltarão à televisão no final de janeiro, quando a nova temporada de “Arquivo X” estrear no dia 26.

Com apenas seis episódios, a série se passa 10 anos depois das temporadas anteriores e traz Mulder e Scully mais velhos e novamente envolvidos em casos sobrenaturais, teorias da conspiração, abduções e uma nova dose de mistérios nunca solucionados.

Planejado para agradar tanto os fãs veteranos quanto recém-chegados, o retorno de “Arquivo X” conta com a participação dos principais atores e roteiristas do seriado original e terá apenas seis episódios – dois deles escritos por Chris Carter, criador do show.

Conheça dez curiosidades sobre a série enquanto esquenta os tamborins e entra no clima do carnava… Ops! … Da nova temporada de “Arquivo X”!

x-files-1---alienigenas-1452097976631_615x300

1. Alienígenas!

O criador da série, Chris Carter teve a ideia para “Arquivo X” após ler que 3,7 milhões de norte-americanos acreditavam já ter sido abduzidos por alienígenas.
x-files-2---papeis-trocados-1452098021150_615x300

2. Papéis trocados na vida real

Na série, o agente do FBI Fox Mulder acredita em todas as teorias da conspiração, abduções alienígenas e criaturas sobrenaturais, enquanto a agente Dana Scully é cética e busca respostas científicas para os casos investigados pela dupla. Na vida real, David Duchovny (Mulder) é na verdade o cético e Gillian Anderson (Scully) é quem acredita em tudo.
arquivo-x---3---silencio-dos-inocentes-1452098797092_615x300

3. Scully, “O Silêncio dos Inocentes” e “Hannibal”

Scully é inspirada em Clarice Starling de “O Silêncio dos Inocentes”, interpretada por Jodie Foster. Curiosamente, na série de TV “Hannibal”, Gillian Anderson faz o papel de Bedelia, psiquiatra e cúmplice do canibal.
arquivo-x---4--jodie-foster-never-again-1452098870946_615x300

4. Jodie Foster

Jodie Foster participou de “Arquivo X”: a atriz dublou a tatuagem falante no episódio “Nunca Mais”, da quarta temporada da série.
arquivo-x---5---canceroso-1452099092646_615x300

5. Canceroso

Willian B. Davis, que interpreta o Canceroso, não fumava há 20 anos quando assumiu o papel. O ator fumou cigarros de verdade nas duas primeiras temporadas de “Arquivo X”, mas depois passou a usar cigarros com tabaco herbal, sem nicotina (os mesmos usados na série “Mad Men”).
arquivo-x---6---breaking-bad-1452099138791_615x300

6. Breaking Bad

O primeiro episódio de “Arquivo X” foi escrito por Vince Gilligan (de “Breaking Bad”), como um freelance. Com o sucesso da estreia, o roteirista entrou para a equipe de Chris Carter.
arquivo-x---7---deserto-de-tinta-1452099227453_615x300

7. Deserto no Canadá?

As 5 primeiras temporadas de “Arquivo X” foram gravadas em Vancouver, no Canadá – mesma locação que será utilizada na nova temporada, por ser mais barato do que filmar nos EUA por conta das isenções fiscais que o governo local oferece. As cenas ambientadas no Novo México exigiram mais de 1,600 galões de tinta para “pintar” o cenário com a aparência desértica do local.
arquivo-x---8---departamento-de-investigacao-1452099272916_615x300

8. Departamento de Investigação

As identificações do FBI de Mulder e Scully dizem que os agentes são do “Departamento de Investigação” e não do “Federal Bureau of Investigation”. Nos EUA, fabricar credenciais falsas do FBI é crime, mesmo que seja para um seriado da televisão.
arquivo-x---9---quase-famosos-1452099403682_615x300

9. Convidados (quase) famosos

Os comediantes Jack Black e Luke Wilson participaram em episódios da terceira e quinta temporadas, respectivamente. Na época, eles não eram tão conhecidos como são hoje.
arquivo-x---10---2016-1452099476391_615x300

10. A verdade está lá fora? Mesmo?

Na nova temporada, Mulder e Scully não estão mais no FBI e tudo em que a dupla acreditava será questionado. Ambientado nos dias atuais, “Arquivo X” terá conspirações envolvendo John Snowden, 11 de Setembro e outras questões atuais – mas tudo relacionado à mitologia da série.