Meus votos de Feliz Natal a todos!

(Hamlet, Ato 1, Cena 1):

Some says that ever ‘gainst that season comes

Wherein our Saviour’s birth is celebrated,

The bird of dawning singeth all night long:

And then, they say, no spirit dares stir abroad;

The nights are wholesome; then no planets strike,

No fairy takes, nor witch hath power to charm,

So hallow’d and so gracious is the time.

Alguns dizem que sempre, pouco antes de chegada a estação

em que o aniversário de nosso Salvador é celebrado,

o pássaro da aurora canta a noite toda,

e então, dizem, nenhum espírito ousa vagar…

As noites são íntegras, nenhum planeta golpeia,

nenhuma fada encanta, nenhuma bruxa tem poder o poder de enfeitiçar,

tão louvada e graciosa é a época.

Então, eu te trouxe isto:

FELIZ NATAL e FELIZ ANO NOVO!

O que as pessoas usavam como Papel Higiênico

Uma das maiores invenções da humanidade, o papel higiênico nos livrou de muitas assaduras e infecções que eram comuns no passado, por conta daquilo que as pessoas usavam para se limpar… Ou por não se limparem! Argh!

Como qualquer grande invenção do homem, esta sofreu inúmeras modificações até os tempos atuais. Acredita-se que algo similar ao papel higiênico que usamos hoje tenha sido utilizado na China no século VI.

Em outros lugares do mundo, os ricos usavam tecidos feitos de lã, renda ou cânhamo, enquanto os menos afortunados utilizavam tanto suas próprias mãos, ao defecar em rios, como se limpavam com os materiais mais diversos, como trapos de qualquer tecido disponível, lascas de madeira (ui!), folhas de árvores, grama, areia, musgo, neve, espigas de milho (argh!) e palha, cascas de frutas, dependendo do local, das condições climáticas ou dos costumes sociais.

Os gregos apreciavam as formas lisas e redondas das pedras, e também porque eram encontradas em quase todos os lugares.

O importante era escolher as pedras do tamanho adequado, porque se fossem pequenas demais, poderiam… Er… Desaparecer…

Na Roma Antiga, uma esponja pregada a um pedaço de madeira era comumente utilizada e, depois de seu uso, colocada de volta num balde com água salgada.

Os pobres marinheiros tinham apenas um recurso em alto-mar, as cordas usadas nas velas e no barco. Olha a situação!

O início do papel higiênico da maneira como o conhecemos hoje se dá oficialmente com o americano Seth Wheeler, de Albany, Nova York, que obteve diversas patentes. A primeira digna de relevância foi a sua ideia de perfurar os papéis (25 de julho de 1871), em cujos pedidos de permissão já constava a ilustração do rolo perfurado de papel. Em 13 de fevereiro de 1883 foi-lhe concedida a patente que mostrava um rolo com papel perfurado e com um suporte no seu centro, em forma de tubo.

Hoje, temos rolos de papel higiênico perfumado e muitos bastante criativos, como se vê na galeria de imagens abaixo.

toiletpaper01 toiletpaper02 toiletpaper04 toiletpaper05 toiletpaper08 toiletpaper11

E encontrei até o que o Chuck Norris usa!

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:

Wikipedia

recebiporemail.com.br

A verdade sobre Chuck Norris

Vocês já tevem ter ouvido falar de Chuck Norris.

É um ator lendário, campeão de artes marciais (está numa luta clássica num filme do Bruce Lee)  e que vivia aparecendo na televisão como um xerife durão, em “Texas Ranger”. Passava direto na Globo, eram tardes e mais tardes de filme tosco cheio de voadoras!

Faz algum tempo alguém resolveu inventar os dez mandamentos do Chuck Norris e que combinavam bem com a pose de durão do ator. Pois bem, ele hoje é tratado como um deus (humorísticamente falando) poderoso e invencível, e seus “fatos” impressionantes alcançaram fama mundial graças à internet. A coisa pegou de tal forma que até em “Mercenários II” o Stallone faz uma piada dessas com o Norris.

Vejam algumas das “verdades” e se divirtam!

  • Não há teoria da evolução. Apenas uma lista de criaturas que Chuck Norris permitiu que vivessem.
  • Chuck Norris já esteve em Marte, por isso não há sinal de vida por lá.
  • Chuck Norris se lembra do futuro.

Apenas Chuck Norris consegue fazer isso.

  • O Chuck Norris não faz a barba, ordena-lhe que pare de crescer.
  • Chuck Norris pode abrir cervejas com o dente, mas prefere usar os dentes de alguém que esteja por perto.
  • Chuck Norris pode dividir o átomo. Com as mãos amarradas.
  • A filhinha de Chuck Norris.
  • Se arrependimento matasse, não seria arrependimento. Seria Chuck Norris.
  • Chuck Norris dorme com um travesseiro embaixo de sua arma.
  • Chuck Norris desafiou as Leis da Física. E ganhou.

Fato 957 sobre Chuck Norris – Mercenários II

“Ouvi rumores de que você foi mordido por uma cobra” – Barney Ross (Stallone) 

“É… Mas depois de cinco dias de dor agonizante… A cobra morreu” – Booker (Chuck Norris) 

 

“He oído rumores de que usted fue mordido por una serpiente” – Barney Ross (Stallone)

“Sí … Pero después de cinco días de dolor agonizante … La serpiente murió” – Booker (Chuck Norris)