A ARMA SECRETA DE HITLER: O PIOR CHOCOLATE DA HISTÓRIA

Na Segunda Guerra, os soldados norte-americanos ganharam como ração uma das piores atrocidades culinárias de todos os tempos

O que todo mundo sabe sobre chocolate é que tem calorias. Mais do que deveria ter, se o mundo fosse justo. Mas isso pode ser uma vantagem: com tanta caloria num espaço relativamente pequeno, o chocolate é ideal como ração de guerra.

Foi o que pensou o coronel Paul Logan em 1937. Ele encomendou então à Hershey que criasse um chocolate com as seguintes características: pesar 112 g, ter alta concentração de calorias, não derreter no calor e, importante, ter “um gosto só um pouquinho melhor que uma batata cozida”. 

A parte do calor é para que os soldados pudessem levá-lo nos bolsos, através de selvas tropicais desconhecidas. E o estranho pedido final é porque, no raciocínio de Logan, se a ração fosse tão boa quanto o chocolate comum, todo mundo iria comer por prazer e não ter nada com que se alimentar quando a situação se tornasse desesperadora. 

A ração padrão dos soldados, com a barra de chocolate à esquerda.

A indústria seguiu à risca as determinações – embora com certa dificuldade em fazer, pela primeira vez, um doce que não fosse apetitoso – e criou uma barra carregada com 600 calorias que só derretia aos 49 °C. Prático no calor, mas grande parte da experiência do chocolate é que sua temperatura de fusão é de 35 °C, o que faz com que derreta na boca. 

Getty images

Não que alguém quisesse colocá-la na boca: com mais cacau e menos açúcar que o normal, era amarga como purgante. E, para quem colocasse aquele negócio na boca ainda assim, a “Ração D” ou “Barra de Logan” era tão dura que podia quebrar os dentes.

Quando a guerra chegou, os soldados perceberam que a Hershey havia ido muito além do “pouco melhor que batata cozida”. Nenhuma batata do mundo poderia ser acusada de tal atrocidade. A Ração D ganhou o apelido de “Arma Secreta de Hitler”. Não bastassem o seu sabor e textura, podia causar dor de barriga. 

Os cuidados de Logan acabaram por se mostrar contraproducentes. Os soldados trocavam as barras por comida de verdade, com os inocentes civis ou soldados do Exército britânico (não consegui descobrir o motivo dos soldados britânicos aceitarem essa troca… Será que a ração deles era ainda pior???)

Após um pouco mais de um ano, o Exército dos EUA levantou a bandeira branca e pediu à Hershey para reformular a barra para algo menos desumano. O resultado foi a “Barra Tropical”, que vinha até numa embalagem decorada, como as comerciais. Tinha um pouquinho mais de açúcar, mas continuava a não agradar.

Pelo menos a embalagem facilitava vendê-la aos pobres civis. E essa barra de “chocolate” entrou para a História como a “barra da disenteria”. 

O prestigioso Prêmio de Produção da Marinha e do Exército era uma honraria concedida às empresas e fábricas durante a Segunda Guerra Mundial por “Excelência na produção” por fornecerem equipamentos e insumos de alta qualidade. Foi entregue à Hershey’s Chocolate Corporation em 22 de agosto de 1942, pelo melhor chocolate militar e seu excelente esforço de guerra. O major-general Edmund B. Gregory elogiou a Hershey: “Os homens e mulheres da Hershey têm todos os motivos para se orgulhar de seu grande trabalho em apoiar nossos soldados nas frentes de combate”…

As tropas tiveram de aturar a Barra Tropical até a Guerra do Vietnã. Nas rações de hoje vão barras de cereais, quase idênticas às dos comerciais.

Fonte: aventurasnahistoria.uol.com.br

As leis absurdas do Reino Unido

Postei aqui um texto falando de algumas leis bizarras em alguns dos estados dos Estados Unidos. Graças ao amigo Benny de Lima, que vive há décadas em Londres e passou a dica, descobri que essa coisa de leis malucas não é exclusividade de nossos irmãos do norte. Os amigos do Império Britânico também criaram algumas leis bem estranhas.

Veja só…

Proibido andar mais de 3 pessoas em cadeiras com rodas

bathchair

Teoricamente, ainda é proibido que um grupo de mais de 3 pessoas transitem juntas em bicicletas ou cadeiras de rodas em Londres.

A lei, que tentava evitar congestionamentos nas ruas da capital, vêm da popularidade das bathchairs no século XVIII, definidas como “transporte de rodas com propulsão humana”, antes que bicicletas e cadeiras de rodas fossem inventadas.

Essas bathchairs, inventadas em Bath ao redor de 1750 por James Heath, eram na verdade uma poltrona sobre rodas – impulsionada por uma pessoa – e usadas especialmente por pessoas deficientes. O nome pode ter sido por causa de sua origem, a cidade de Bath, e possivelmente também porque se parecia com uma banheira… (bathtub, em inglês).

Pastoreando

sheep-and-policeman-1931

Ainda é possível requisitar que ruas e pontes no centro de Londres sejam interditadas para o transporte de rebanhos de ovelhas.

É proibido morrer

Desde 1313, por decreto do Rei Edward II, é proibido morrer no Parlamento Inglês.

Como o prédio é considerado um palácio real, qualquer um que venha a falecer no prédio é obrigado por lei a ser enterrado com honras de Estado, o que o monarca queria evitar.

Pelo mesmo decreto, é proibido que um parlamentar atenda à uma sessão da Câmara dos Comuns (House of Commons) trajando um armadura…

Salmão? Sei não…

Top-Ten_SalmonLaw_EM004

É ilegal você portar um salmão “em circunstâncias suspeitas” – embora a lei não defina exatamente o que seria uma circunstância suspeita… E tem mais: há decretos rigorosos contra a posse ilegal de salmão.

Chocolate é proibido para mulheres

Top-Ten_ChocTube_EM005

Isso mesmo! Há uma lei do século dezenove – e ainda em vigor! – que proíbe que as damas comam chocolate no transporte público da capital do Reino Unido. O movimento feminista esqueceu-se dessa lei, mas talvez agora estejam se organizando para derrubá-la…

Er… Não entendi…

onethird

Essa é difícil… Há uma lei, ainda válida em todo o território britânico, que declara “ilegal não dizer ao preceptor o que não se quer que ele saiba, mas sendo legal dizer o que não se incomoda que ele saiba”.

Grávida pode

As mulheres grávidas têm o direito de se aliviar em qualquer lugar, inclusive no capacete de um guarda. Imagino a cara do guarda…

Esta é de Liverpool

saleswomen-in-tropical-fish-shops-Copy

Uma lei municipal muito bizarra… Há um estranha determinação na terra dos Beatles que permite que as mulheres trabalhem com os seios de fora, desde que sejam funcionárias de uma loja de peixes tropicais.

E esta vale para todo o Reino Unido

Caso você encontrar uma baleia morta na costa do Reino Unido, a cabeça se torna automaticamente propriedade do rei, e a cauda, da rainha.

A arte do chocolate na Rússia

 Para um chocólatra como eu – e uma de minhas maiores batalhas é resistir ao impulso de visitar a loja da Kopenhagen em frente de casa e detonar o estoque deles – chocolate é uma arte (comer chocolate, quero dizer, rsrsrs).

Brincadeiras à parte, o chocolate é um deleite. Para quem não sabe, ele é um alimento feito com base na amêndoa fermentada e torrada do cacau. Sua origem remonta às civilizações pré-colombianas da América Central. A partir dos descobrimentos, esse alimento foi levado para a Europa, onde popularizou-se, especialmente a partir dos séculos XVII e XVIII. Porém, em função das necessidades climáticas para o cultivo do cacau, não foi possível seu plantio na Europa e por isso as colônias americanas continuaram a fornecer a matéria-prima.

Atualmente os maiores produtores de cacau estão na África.

Mas o chocolate consumido naquela época não era nada parecido com o que conhecemos hoje.

Esse alimento divino de hoje é resultado de sucessivos aprimoramentos que foram pesquisados desde Colombo. Na ocasião, o chocolate que os astecas consumiam era uma bebida quente e amarga e apenas os reis e sacerdotes podiam bebê-la. Foram os europeus que passaram a adoçá-la e a misturar especiarias. Foi então com o desenvolvimento dos processos industriais e técnicas culinárias que surgiu o chocolate misturado com leite e suas diversas formas: sólido, em pó, em barras, bombons, e finalmente os achocolatados (Nescau, hummm…).

Hoje, ele pode ser consumido ainda como ingrediente de musses, tortas e bolos (Floresta Negra, hummm…), sorvetes e outros doces.

Pois bem, aposto como todo mundo conhece o melhor chocolate do mundo como sendo o suíço, certo? Aí é que está, hoje a Suíça enfrenta um forte concorrente a esse título, a Rússia!

Existe uma tradição chocolateira na Rússia que é totalmente diferente do resto do mundo, e os chocolates russos evoluíram de uma forma muito própria. Claro, eles têm os waffles, geleias e pastas feitas com chocolate, além das barras…

Russian chocolate bar Alenka

Sem falar dos doces com marshmallow, cobertos de nozes e recheados de frutas secas…

Russian chocolate comme il faut

 Mas o que pega mesmo são as sobremesas, que alcançaram níveis de obras de arte:

Vou parar por aqui porque está sendo uma tortura fazer este post. Agora, me dê licença que vou ali em frente e já volto…