Sapatos no Japão

   

Precisa ser equilibrista …

“O Poderoso Chefão” é o melhor filme de gângster de todos os tempos

“O Poderoso Chefão”, de Francis Ford Coppola, é o melhor filme de gângster de todos os tempos. O American Film Institute (AFI), que a cada ano realiza um especial, transmitido pelo canal de televisão norte-americano CBS, desta vez escolheu dez filmes, divididos em diversas categorias, que fizeram a história do cinema.

Pessoalmente, não posso opinar se todos os 10 filmes, de uma forma ou de outra, fizeram a história do cinema, porque não conheço tanto sobre o assunto assim. Mas que gostei muito de cada um deles, gostei.

As outras 9 categorias foram:

Animação: “Branca de Neve e os & anões”. Indiscutível, o primeiro longa animado da história e um belo filme.

Fantasia: “O Mágico de Oz”… tudo bem, Judy Garland, etc, mas sou mais “O Senhor dos Anéis”.

Ficção científica: “2001”. Mudou a história do gênero, tanto em termos de enredo quanto de técnicas e efeitos especiais. Depois dele, foi tudo diferente. Mas citaria outros marcos do gênero, como “ET”, “Metropolis”, “Laranja Mecânica” e “King Kong”.

Esporte: “O Touro Indomável”. Belo filme, Robert De Niro dá um show, mas como não sou muito fã do gênero, não teria como citar outros candidatos…

Faroeste: “Rastros de ódio”. Outro gênero que não curto muito, embora goste de John Wayne. Mas citaria “Os Imperdoáveis”, também.

Policial: “Um Corpo que Cai”. Filmaço de Hitchcock. Mas citaria ainda “Sindicato de Ladrões”, “Os Bons Companheiros”, “O Silêncio dos Inocentes”.

 Comédia: “Luzes da Cidade”. Aqui, todos os de Chaplin são imbatíveis, embora haja outras boas comédias, também.

Drama: “O Sol é Para Todos”. Aqui, minhas sugestões ocupariam todo o post, então, melhor deixar o candidato sem concorrentes.

Épicos: “Lawrence da Arábia”. Justíssimo, mas e “A Ponte do Rio Kwai”,”Ben Hur” ou “E o Vento Levou”? Seria um páreo difícil.

BMW Gina – O carro feito de Pano…

BMW cria conceito com carroceria de pano

A busca por carrocerias cada vez mais leves é um dos grandes desafios dos projetistas de automóveis. Alumínio, titânio e fibra de carbono são os materiais mais utilizados na criação de um veículo, mas por que não utilizar tecido? Foi justamente isso que a BMW fez com o seu novo carro conceito. Chamado de GINA Light Visionary Model, o modelo, uma espécie de Z4M de pano, segue o que a marca chama de “design orgânico”.

Capaz de mudar de forma, o carro futurista possui um chassi composto por cabos de alta resistência e barras de fibra de carbono. Por baixo dos panos (sem trocadilho), a BMW afirma que o GINA – sigla em alemão para Geometria e Funções Adaptativas – possui uma série de pequenos motores elétrico-hidráulicos, responsáveis pelas mudanças no formato da carroceria. Os faróis, tanto frontais quanto traseiros, ficam escondidos sob o tecido quando estão apagados e abrem-se como pálpebras ao serem acionados, imitando os movimentos do olho humano.

Apesar do aspecto metálico do tecido que cobre o chassi, pequenos detalhes pelo carro denunciam o material alternativo. Ao abrir as portas vê-se claramente o tecido, que fica enrugado. O acesso ao motor é como abrir uma jaqueta, porém, no lugar de um zíper, motores elétricos cuidam da abertura do capô. Mesmo sendo algo impensável para os tempos atuais, a BMW afirma que a solução pode ser usada na indústria.

Quem diria que mecânicos do futuro seriam substituídos por costureiros…

Veja mais aqui, neste video.

Com a colaboração do brotha Zé Inácio. 
%d blogueiros gostam disto: