Cargos Disputados nas Eleições 2018

Amigos, este ano teremos eleições novamente. E como será uma das mais importantes eleições dos últimos anos, resolvi publicar este post para esclarecer quais os cargos estão em disputa e assim, quem sabe, a gente consiga votar nas pessoas certas para ocupá-los.

São os seguintes cargos em jogo:

  • Presidente da República;
  • Governadores;
  • Senadores;
  • Deputados Federais;
  • Deputados Estaduais/Distrital

As únicas funções que não serão renovadas nas eleições 2018 são:

  • Prefeitos;
  • Vice – Prefeitos;
  • Vereadores.

Os cargos listados mais acima só deverão ser renovados em 2020!

Sabe quais as obrigações de cada um desses cargos? Leia a seguir.

Presidente da República

O cargo de Presidente da República é atribuído ao candidato que ganhar as eleições por maioria absoluta, o que equivale a mais de 50% dos votos válidos.  Ele exerce as funções de Chefe de Estado e Chefe de Governo, e é a autoridade máxima do Brasil. Sua residência oficial fica situada em Brasília, no Distrito Federal. Seu mandato começa em 1° de janeiro de 2019 e  termina no dia 31 de dezembro de 2022.

O salário é de R$ 30.934,70.  Além do salário, existe uma série de outros benefícios para aqueles que ocupam o cargo. Um desses benefícios é o direito de ocupar duas moradias oficiais em Brasília: o Palácio da Alvorada e a Granja do Torto. O Palácio da Alvorada é a residência oficial do presidente, construída em 1958, antes mesmo da inauguração de Brasília. Já a Granja do Torto é uma propriedade de 37 hectares (equivalentes a 370 mil metros quadrados) com características de casa de campo e situada nos arredores do Plano Piloto.

Outros benefícios são o direito a assessores especiais e inúmeros cargos de confiança, plano de saúde cobrindo todas as despesas, incluindo as de familiares diretos, cartões de crédito corporativos cujo limite varia de acordo com o orçamento e o direito a viajar em aviões da FAB, tanto em missões oficiais quanto em viagens de âmbito particular. Há ainda um importante benefício concedido ao Presidente, que não possui valor monetário: o Foro Privilegiado, que consiste em um mecanismo para garantir que certas autoridades públicas sejam julgadas por tribunais superiores, diferentemente de um cidadão comum, que é julgado pela justiça comum… (uma das vantagens que tinham que acabar).

Agora, o salário dele é alto demais? Para termos uma noção, podemos comparar o salário de um presidente brasileiro com outros presidentes no mundo ou até mesmo com outras autoridades públicas no Brasil.

Nos Estados Unidos, por exemplo, o salário do presidente é de US$ 400 mil ao ano, equivalentes a cerca de R$ 1,28 milhão ao ano ou R$ 106 mil ao mês. A quantia é mais de três vezes superior ao salário do presidente brasileiro. Uma importante diferença entre os líderes das duas nações é que nos Estados Unidos os ex-presidentes têm direito a uma pensão vitalícia de US$ 191 mil anuais. O mesmo não acontece no Brasil, que não oferece pensão a seus ex-presidentes.

Em relação às autoridades públicas brasileiras, a remuneração de um Ministro do Governo é de R$ 30,9 mil mensais, a mesma que a do Presidente, e ainda contam com um auxílio moradia de R$ 6,6 mil reais, diferente dos presidentes, que residem nas moradias oficiais de Brasília.

Já um Ministro do STF recebe R$ 33,7 mil ao mês…

Governadores

Governador é o cargo político que representa o poder executivo na esfera dos Estados e do Distrito Federal. É função do governador: a direção da administração estadual e a representação do Estado em suas relações jurídicas, políticas e administrativas, defendendo seus interesses junto à Presidência e buscando investimentos.

O salário varia de estado para estado, e o do governador de São Paulo é de R$ 22.300,00.

Senadores

Um Senador possui um dos principais cargos e é encarregado de representar o estado que o elegeu e tem a responsabilidade de colaborar diretamente para o desenvolvimento de sua região.

Cada estado é representado por 3 (três) senadores no Congresso Nacional. Possuem a missão de defender e garantir suas necessidades, zelar pelos direitos constitucionais do povo, fiscalizar ações e gastos do poder executivo, autorizar operações externas que possam gerar lucro ao Estado, propor leis que beneficiem a população. Em alguns casos extremos, um Senador poderá até mesmo, julgar o Presidente da República.

Já o salário dele …  Cada senador recebe um salário bruto de R$ 33.763, fora uma montanha de mordomias. Somente os salários dos senadores geram R$ 3.072.433,00 de despesa aos cofres públicos todo mês. (são 81 senadores em exercício e mais 10 afastados ou de licença)

Esse valor salarial coloca os senadores brasileiros entre os parlamentares mais bem pagos do planeta!

Fora salários, eles ainda têm auxílio moradia, passagens aéreas, seguro-saúde, verba para contratar funcionários (cerca de R$ 80 mil por mês!), enfim, é dinheiro que não acaba mais… Veja (se você clicar sobre o quadro, ele vai abrir em outra janela e você poderá ampliá-lo para ver melhor):

Deputado Federal e Estadual

O Deputado Federal representa o poder legislativo e faz parte da Câmara dos Deputados. Tem como principais funções as de legislar e fiscalizar os gastos públicos na esfera nacional.

Já o deputado estadual é o representante do povo nas Assembleias Legislativas. Sua função principal é legislar, ou seja, fazer as leis dos estados. De acordo com o que está definido na Constituição Federal.

Eles também ganham uma fortuna. Atualmente, cada deputado federal recebe um salário bruto de R$ 33.763,00. Somados, o salário e os benefícios de cada deputado chegam a aproximadamente R$ 168,6 mil por mês. Juntos, os 513 deputados custam em média R$ 86 milhões ao mês, e a um custo anual de R$ 1 bilhão…

Veja só quanto custa um deputado…

O deputado estadual recebe o equivalente a 75% do salário dos deputados federais. Atualmente, esse valor equivale a R$ 25,3 mil. Mas eles também têm muitas outras regalias… Veja no quadro>

 

As eleições de 2018 irão acontecer nas seguintes datas:

  • 1º turno: 7 de outubro de 2018;
  • 2º turno: 28 de outubro de 2018.

Agora que você tem um pouco mais de informação, quem sabe a gente consiga escolher representantes melhores e não reeleger os picaretas. Olho vivo!

Anúncios

Para sempre coadjuvantes


Você conhece a fisionomia, mas em alguns casos provavelmente não se lembra do nome. Alguns deles estrelaram um ou dois filmes, ou séries de TV, mas foram os papéis de coadjuvantes que lhes trouxeram fama e reconhecimento. São todos, sem exceção, atores de talento – mas, por alguma razão que só os deuses de Hollywood sabem, poucas vezes ganharam papéis de maior destaque.

Confira:

David Morse

Gosto muito dele, especialmente em “Guerra Mundial Z”, “Guerra ao Terror” e “À Espera de um Milagre”. O ator de 1,93 m trabalhou em teatro pelo menos 10 anos antes de se aventurar no cinema e na TV, onde participou de 94 produções até agora, desde 1980…

Kevin Bacon

Talvez o mais conhecido de todos os grandes coadjuvantes, por causa dos papéis principais em “Footloose” e “O Homem sem Sombra”.  Mas, assim como David Morse, começou nas telas entre 1979-1980 e já tem mais de 90 produções no currículo, entre séries de TV e filmes no cinema.  Ficou mais conhecido por filmes como “Questão de Honra” com Tom Cruise, e “RIPD Agentes do Além”, ao lado de Jeff Bridges.

Danny Trejo

Tudo bem que ele foi o “Machete”, mas acho que Danny Trejo é o sinônimo de ator coadjuvante.  Quando jovem, entrou e saiu da cadeia durante 11 anos, por roubo e posse de drogas. Depois de entrar num programa de reabilitação, conheceu um jovem que trabalhava numa produção, “Expresso para o Inferno”, de 1985, onde ganhou um papel. Esse foi o primeiro filme dos 355 (sim, isso mesmo, 355!) em que trabalhou, seja no cinema ou na TV.

John Goodman

Ator fantástico, foi o Fred Flintstone no cinema, mas sua cara redonda – e seu enorme carisma e talento – brilharam em 154 produções – e contando… É conhecido por filmes como “O Grande Lebovski”, “Kong, a ilha da Caveira”, “Argo” , “Speed Racer”, “Barton Fink”e tantos outros. Mas, para mim, sua participação mais marcante foi em “Possuídos”, com Denzel Washington e Donald Sutherland. Mais abaixo, a abertura do filme com outro sensacional ator coadjuvante, Elias Koteas.

Steve Buscemi

Outro tremendo ator e cuja cara todo mundo conhece de algum filme ou seriado de TV. Foi a maior surpresa – só para quem não conhecia seu talento – ele ter sido escolhido pelos produtores do seriado “Boardwalk Empire”, Mark Wahlberg e Martin Scorcese, para ser o protagonista. Porque Steve Buscemi é mais conhecido pelas participações secundárias em filmes como “Con Air”, “Armaggedon”, “Cães de Aluguel” ou ‘Pulp Fiction”, e ainda no premiadíssimo seriado “Família Soprano”.  Ele continua muito ativo, assim como os citados acima, com participações em novas produções para o cinema e TV.

Joe Pesci

Esse ítalo-americano baixinho é o mafioso perfeito, e foi dirigido como tal por Martin Scorsese em “Os Bons-Companheiros” (filme que lhe rendeu o Oscar de melhor ator coadjuvante) e “Cassino” – trabalhou com o diretor ainda em “Touro Indomável”. Quando não está matando alguém enforcado, causando traumatismos cranianos com telefones ou atirando no pé de um subalterno que esqueceu sua bebida, também pode ser visto em papéis mais “leves”, como um dos bandidos trapalhões de “Esqueceram de Mim”. Mas talvez seu papel mais marcante foi em “Máquina Mortífera 2”, com Mel Gibson e Danny Glover.

William H. Macy

Outro dos grandes atores que todo mundo já viu em filmes e seriados para a TV, já esteve em “Magnólia”, “O Poder e a Lei”, “Seabiscuit – Alma de Herói”, “Jurassic Park 3” e cerca de outras 130 produções, entre filmes e séries, desde 1978, quando começou a trabalhar como ator, na TV. Seu papel de maior destaque foi em “Fargo”, onde vive um homem covarde que planeja o sequestro da própria mulher.

Stanley Tucci

Ator fantástico, Stanley Tucci é ainda diretor, produtor e roteirista. Foi indicado para diversos prêmios, incluindo um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por sua performance em “Um Olhar do Paraíso”.  Ficou mais conhecido por suas participações nos filmes “O Diabo Veste Prada” e “O Terminal”.

 

 

 

 

 

 

Por Que Acordamos Com Uma Altura E Vamos Dormir Mais Baixos?

Somos levemente mais altos quando acordamos pela manhã, e a diferença de medida do início do dia ao final pode chegar a pouco mais de um centímetro.

Durante o dia, a força da gravidade e uma leve desidratação das cartilagens do joelho e, principalmente, da coluna, reduzem nosso tamanho. Quando voltamos para a cama, o corpo se reorganiza e volta à sua estrutura ideal.

A coluna vertebral é formada por 33 vértebras justapostas, separadas uma das outras pelos discos intervertebrais. Compostos de material fibroso e gelatinoso, eles têm um papel importante na mobilidade: são os responsáveis por amortecer o impacto entre as vértebras e por facilitar o movimento do corpo.

Pessoas com problemas nessas estruturas (fragmentação ou aparecimento de hérnias) podem ter perda da flexibilidade da coluna, dores e até fraqueza na região.

Pela manhã, depois de uma boa noite de sono, as vértebras e os discos estão todos em estado ótimo e bem organizados.

Com o passar do dia, no entanto, é muito comum que o corpo perca água pela transpiração e também pela urina. Com menos líquido circulando pelo organismo, os discos também desidratam levemente. O resultado é uma pequena redução no seu tamanho (como se eles murchassem).

Sempre A Gravidade

Além disso, existe a força gravitacional, que ajuda a comprimir as estruturas moles do corpo.

Outro ponto que pode colaborar com a perda de altura é a tensão da musculatura da coluna. Quando estamos deitados e dormindo, elas tendem a ficar mais relaxadas e melhor acomodadas. Má postura e o estresse do dia podem tensionar o local e deixar a pessoa mais baixa.

“Mas essas mudanças todas são muito insignificantes, quase imperceptíveis”, pondera o ortopedista Sérgio Rocha Piedade, professor da Faculdade de Medicina da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). “O encolher mais importante é aquele que ocorre com o passar dos anos”, comenta.

Sim, isso mesmo.

Ficamos menores com o passar dos anos, basicamente, por dois motivos. Primeiro porque, à medida que envelhecemos, os discos entre as nossas vértebras perdem líquidos, fazendo com que eles se achatem e com que as vértebras se juntem.

E outro dos motivos que nos deixa baixinhos é que perdemos massa muscular com o passar do tempo – especialmente em nosso abdômen, o que leva a uma pior postura.

Em média, encolhemos entre 6 a 8 milímetros por década depois dos 40 anos. Ao todo, os homens terão cerca de 3 a 3,8 centímetros a menos quando tiverem 70 anos, enquanto as mulheres podem perder até 5 centímetros quando alcançarem essa idade. Isso porque, como os homens têm mais massa muscular, seus ossos tendem a ser mais fortes, perdendo menos altura.

Mas é possível encolher menos. Para isso, é importante praticar exercício físico regularmente – especialmente corrida e atividades que mexem com nossas pernas e quadril. Uma dieta rica em vitamina D e cálcio também ajuda. Uma última dica, mas não menos importante: manter uma boa postura mantém os ossos saudáveis, e mantém o estresse longe das nossas vértebras.

 

 

 

 

 

 

 

Fontes:

24 Brasil.com

UOL Ciência

Unicamp

Ingleses antigos cortavam e queimavam mortos por medo de zumbis

Hoje pode parecer um papo meio “Walking Dead”, mas na Inglaterra da Idade Média não era incomum a crença de que mortos “acordassem” do “sono profundo da eternidade” para aterrorizar os habitantes do campo e das cidades. E um estudo recente trouxe este tema do campo do folclore para as páginas científicas da arqueologia. O estudo, realizado por pesquisadores do instituto público de patrimônio inglês, Historic England, e da Universidade de Southampton, encontrou na região de Wharram Percy, em Yorkshire, no Reino Unido, ossadas datadas do período entre os séculos 11 e 14 com evidências de violação pós-morte.

Os ossos encontrados indicaram que os cadáveres foram decapitados, desmembrados e queimados, levantando a possibilidade de que os antigos habitantes da região tenham tomado esta atitude para impedir que os mortos “revivessem”.

Foram analisados 137 pedaços de ossos pertencentes a pelo menos dez indivíduos com idade entre 2 e 50 anos. Os pesquisadores chegaram à conclusão de que os corpos foram cortados logo após a morte, quando os ossos ainda estavam macios e foram, então, queimados.

Ossos com marcas de faca foram encontrados por arqueólogos na região de Wharram Percy, na Inglaterra.

Por que cortar e queimar os ossos? Para tentar entender a razão daqueles homens medievais terem cortado e queimado os ossos de outros humanos, os cientistas levantaram algumas hipóteses e procuraram indícios nos fósseis encontrados.  A primeira hipótese seria a de que os corpos eram de gente de fora da região, algo como inimigos, que teriam sido cortados e queimados por essa razão.

No entanto, foi feita uma análise a partir dos isótopos de arcadas dentárias que revelou que os mortos eram habitantes da região de Wharram Percy, ou seja, eram locais. Uma outra possibilidade levada em conta pelo grupo liderado pelo biólogo Simon Mays foi a de canibalismo. Nesse caso, contudo, o tipo de corte nos ossos não se parece com o que seria esperado no caso de alimentação. As marcas de cortes estavam agrupadas ao redor da cabeça e do pescoço, e não nas grandes ligações musculares, aponta o estudo. Na sua conclusão, publicada no  Journal  of  Archaeological  Science, os autores afirmam que não é possível ter certeza sobre a razão dos cortes e da queima dos cadáveres, mas consideram a hipótese de que os ingleses da Idade Média temessem os mortos-vivos a mais consistente. E de onde veio a ideia de medo de zumbis?

A equipe levou em conta textos de escritores medievais que apontavam que a decapitação, o desmembramento e a incineração de mortos poderiam fazer com que eles não “ressuscitassem”.

Ilustração reconstitui antiga vila de Wharram Percy, na Inglaterra, no final do século 12.

“A ideia de que os ossos de Wharram Percy são os restos de cadáveres queimados e desmembrados no intuito de impedi-los de sair de seus túmulos parece ser a que melhor se adequa às evidências”, disse Simon Mays, que é um biólogo especializado em esqueleto humano. “Se estamos certos, esta é a primeira boa evidência arqueológica que temos para essa prática. Ela nos mostra um lado sombrio das crenças medievais e fornece um lembrete de como a visão medieval do mundo era diferente da nossa”, conclui.

Fonte:

Uol Ciência