Motor Mania

Trânsito na volta do feriado.

Trânsito intenso na Rodovia Imigrantes, sentido São Paulo, no início da tarde deste domingo, no retorno do paulistano após feriado prolongado.

 Como sempre acontece nos feriados prolongados em São Paulo, mais de um milhão de carros toma o rumo do interior ou do litoral… E, como sempre acontece, isso congestiona todas as vias da cidade, causando “o maior congestionamento da história”: um dia é de 300 km, no outro é de 400 km, amanhã será de 500 km… Às vezes penso que você anda mais rápido a pé do que de carro ou ônibus na cidade…

O estresse dos motoristas, tanto os que ficam presos nas rodovias como aqueles que ficam presos nas ruas de São Paulo, me lembra sempre um famoso curta-metragem estrelado pelo Pateta e que se chamou no Brasil “Pateta no Trânsito”.

O vídeo mostra, de forma divertida, como uma pessoa gentil e educada pode se transformar em um ser humano nervoso e agressivo ao entrar em um carro. É uma espécie de Dr. Jekyll e Mr. Hyde motorizado, o médico e o monstro. O Sr. Walker (pedestre, de “walk”, andar, em inglês) se transforma no Sr. Wheeler (de “wheel”, volante em inglês) quando entra em seu carro, evidenciando uma personalidade violenta e egoísta, contrária de quando era pedestre…

Na época em que o desenho chamado no original de “Motor Mania” foi criado, em 1950, o Pateta já vinha estrelando uma série de curtas onde ele “ensinava” como fazer alguma coisa: desde a mudança da casa até praticar esportes. Nesses trabalhos, Pateta nos ensina, de forma atrapalhada, a realizar as mais diversas tarefas. Com poucas falas e sempre com a ajuda de um narrador que interage com o personagem a quase todo momento, pode-se dizer que o ensino quase nunca corre normalmente. Nesses desenhos, todas as personagens têm a fisionomia do Pateta. De 1940 a 1950 já haviam 48 desenhos com Pateta, além de ele aparecer em outros desenhos junto com Mickey e Pato Donald.

Esse “Motor Mania” foi o primeiro deles em que o Pateta aparece “redesenhado”, sem os dois dentões da frente e sem as orelhas compridas, que nos acostumamos a ver nos quadrinhos. O curta ainda foi premiado naquele ano como o melhor filme sobre segurança no trânsito.

Os comportamentos demonstrados nessa animação foram aprofundados em mais 2 episódios, “Freewayphobia”…

e “Goofy’s freeway troubles” (disponíveis no YouTube), ambos produzidos em 1965 e que foram exibidos inclusive em auto-escolas dos EUA.

1965-freewaytrouble-3

Atualmente, vemos campanhas oficiais na TV que não educam os motoristas, e em certos casos, culpam os pedestres pelos atropelamentos que sofrem. Mais do que investir no marketing e na qualidade visual das campanhas, é preciso ter meios de realmente educar as pessoas. Se muitos discordam das propagandas que mostram “cenas chocantes” de acidentes, que tal aproveitar os ensinamentos do Pateta nesses filmes? Eles tratam de questões simples e que a gente vê ignoradas todos os dias:

– veículos lentos trafegam à direita;

– dê passagem;

– sinalize a mudança de faixa usando a “seta”… Etc etc…

O mais triste de tudo isso, apesar do desenho ser hilário, é que o comportamento dos motoristas nada mudou desde 1950.

Anúncios

24 comidinhas brasileiras para provar antes de morrer

 

Interessante a dica do site Buzzfeed sobre as 24 comidinhas brasileiras que, segundo a autora do post, “você não viveu se ainda não provou”.  Claro, como em todas as listas e sobre todos os temas, faltou um bocado de coisa e, no caso do Brasil, com tantos pratos regionais – pela extensão do país e diversidade de climas, temperos, culturas etc – a lista de ausências é enorme: não estão a tapioca, o churrasco gaúcho, cuscuz, costela, pudim de leite… Sem mencionar que cada um teria a “sua” própria lista. A minha, por exemplo, não teria o salpicão e nem o empadão…

Mas, de toda forma, essas 24 dicas representam bem a diversidade do país, e dão uma fome!… Abaixo de cada foto, coloco o comentário da autora do post, que é americana e vive em Nova York.

 1. Coxinhas

Coxinhas

“Isso poderia existir aqui nos EUA…”

2. Brigadeiro

Brigadeiro

“Demorou, a gente devia comer chocolate em bolinhas!”

3. Pão de Queijo

Pão de Queijo

“Você nunca mais vai querer comer outro tipo de pão”.

4. Farofa

Farofa

“Farinha de mandioca é muito mais gostosa do que farinha de trigo”.

5. Feijão Tropeiro

Feijão Tropeiro

“A gente descobre que é uma ótima adicionar ovos e bacon em tudo”.

6. Açaí

Açaí

“Não tem um jeito certo de comer essa superfruta, mas com granola e bananas… Hummm”.

7. Pastéis

Pastéis

“Acho que todas as empanadas daqui deviam ser fritas…”

8. Mousse de Maracujá

Mousse de Maracujá

“Onde eu acho maracujá?”

9. Feijoada

Feijoada

“Como o nosso chili, só que de feijão preto e muito potente”.

10. Bolinho de Chuva

Bolinho de Chuva

“A gente não para de comer esses bolinhos fritos polvilhados de açúcar e canela”.

11. Moqueca de Camarão

Moqueca de Camarão

“Camarão com leite de coco, o básico do básico”.

12. Beijinho de Coco

Beijinho de Coco

“Coco é tão gostoso, e tããoooo subestimado!”

13. Vatapá

Vatapá

“Camarão e peixe em creme de amedoim, apimentado demais. Que curry, que nada!”

14. Bauru

Bauru

“Delicioso e fácil de fazer!”

15. Créme De Papaya

Créme De Papaya

“Superideia, seria legal colocar essa cobertura de licores doces em todos os sorvetes!”

16. Acarajé

Acarajé

“Depois dessa, quem quer comer aqueles falafels simples?”

17. Romeu e Julieta

Romeu e Julieta

“Não sei quem inventou isso, mas é bom demais!”

18. Misto Quente

Misto Quente

“Fique de lado, queijo derretido, sua vez já passou – agora, só com presunto!”

19. Requeijão

Requeijão

“E a gente comendo o cream-cheese comum a vida toda…”

20. Mandioca Frita

Mandioca Frita

“Adeus, batatinhas fritas!”

21. Salpicão

Salpicão

“Uma salada de frango turbinada”.

22. Pavé

Pavé

“Acho que tudo aquilo que vem em camadas recheadas é mais gostoso!”

23. Empadão

Empadão

“Olha como se faz uma torta de frango”.

24. Quindim

Quindim

“Delicioso, e tem raspas de coco!”

Imagine quando ela provar o que ainda falta!