Atualidades

Ray Harryhausen, lenda do cinema fantástico

Ray Harryhausen, uma lenda em Hollywood por seu pioneirismo na arte dos efeitos especiais, morreu em 2013 em Londres, aos 92 anos.

O gênio de Harryhausen estava em conseguir dar vida a seus modelos de animação. Fossem dinossauros pré-históricos e criaturas mitológicas, nas mãos de Ray não eram marionetes, mas personagens tão importantes quanto os atores que eles enfrentavam e, em alguns casos, mais importantes ainda, eram a própria razão de ser do filme.

Vencedor de um Oscar honorário em 1992 e detentor de uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, seu trabalho influiu na carreira de diretores como Steven Spielberg, James Cameron, Peter Jackson e George Lucas, que se inspiraram em obras de Harryhausen como “O Monstro Do Mar Revolto” (1955), “A Ilha Misteriosa” (1961), “Um milhão de anos antes de Cristo” (1966), “Sinbad” (1981) e “Fúria de Titãs” (1981).

“Sem Ray Harryhausen, possivelmente não teria existido ‘Guerra nas Estrelas'”, disse certa vez George Lucas , o cérebro da célebre franquia galática.

“‘O Senhor dos Anéis’ é meu filme homenagem a Ray Harryhausen. Sem seu amor por essas imagens maravilhosas e sua forma de narrar, esse filme não poderia ter sido feito, pelo menos não por mim”, afirmou Peter Jackson, diretor da saga.

Possivelmente o trabalho mais lembrado de Harryhausen é o da animação dos sete esqueletos do filme “Jasão e os Argonautas” (1963), que lhe tomou três meses de filmagem.

Ao longo de sua carreira, ele produziu 17 filmes, se encarregou dos efeitos especiais de 15 e dirigiu 9 curta-metragens. Também trabalhou como ator em comédias como “Um Tira da Pesada III” (1994) e “Os Espiões que Entraram numa Fria” (1985).

Nascido em Los Angeles no dia 29 de junho de 1920, sua paixão pelos efeitos especiais nasceu ao assistir o filme “King Kong” (1933), a produção rodada em preto e branco por Merian C. Cooper e Ernest B. Schoedsack a cuja estreia assistiu quando Hollywood começava a despertar para os filmes em cores.

Uma exibição que marcou sua vida e que lhe converteu no mestre da animação quadro a quadro, após ver o trabalho de Willis O’Brien, artista capaz de transformar um boneco simiesco de 45 centímetros em Kong, o gigantesco gorila que subiu ao topo do Empire State, o edifício mais alto do mundo à época.

“É a fantasia mais real já criada e que segue viva sete décadas mais tarde”, afirmou Harryhausen à Efe em 2005.

“Todos os que praticamos a arte da ficção científica e os filmes de fantasia sentimos que nos apoiamos nos ombros de um gigante. Sem a contribuição de Ray ao imaginário coletivo, não seríamos quem somos”, declarou o diretor James Cameron (de Avatar e Titanic).

Abaixo, uma compilação de seus trabalhos mais conhecidos:

Atualidades, Curiosidades, Family, Humor, Sabedoria

Jornal publica “erramos” 163 anos após dar notícia

Geralmente, erros em impressos são corrigidos na edição seguinte – quando são corrigidos… -, mas um jornal de Nova Jersey, nos EUA, não viu problema em corrigir uma informação dada em uma publicação de 1852.

erramos_herald_rep_01Faça as contas. O New Jersey Herald corrigiu o erro 163 anos depois! A reportagem era sobre um ataque de urso a um garoto. O texto não informava o local da fatalidade, então as pessoas presumiram que tivesse ocorrido em Nova Jersey. Mas com a correção, os leitores ficaram sabendo agora que o ataque ocorrera no Arkansas…

erramos_herald_rep_02

Eu me pergunto se ainda tem alguém vivo da época para ler essa informação…

Curiosidades, Family, Novidades

Anúncios antigos

Se você for da Geração “Baby Boomers” ou até mesmo da Geração X, pode ser que se lembre de algumas dessas propagandas (ou “reclames”, como falavam na época) menos aquelas muuuuuuito antigas… Os da Geração Y certamente irão se divertir com as “novidades” de então.

Antes de mostrar os anúncios, vou apenas traduzir esses conceitos de “Geração isso e aquilo”, para quem não sabe ou para aqueles que se esqueceram:

(1)   Geração Y: também chamada Geração do Milênio ou Geração da Internet, é um conceito em Sociologia que se refere, segundo alguns autores, aos nascidos após 1980 e, segundo outros, de meados da década de 1970 até meados da década de 1990, sendo sucedida pela Geração Z.

(2)   Geração X: também abreviado como Gen X, é o termo que refere-se à geração nascida após os “Baby Boomers”. Ela geralmente inclui as pessoas nascidas a partir do início dos anos 1960 até o final dos anos 1970, podendo alcançar o início dos anos 1980, sem contudo ultrapassar 1982.

(3)   Baby Boomers: em geral, a atual definição de Baby Boomers se refere aos filhos pós-Segunda Guerra Mundial, já que depois da guerra houve uma explosão populacional. Normalmente são consideradas as pessoas nascidas no final da década de 1940 até o final da década de 1950.

Vamos aos anúncios, muito legais – especialmente na estética.

Uma curiosidade sobre a imagem acima. Até o final do século XIX, o Papai Noel era representado com uma roupa de inverno na cor marrom ou verde escura. Em 1886, o cartunista alemão Thomas Nast criou uma nova imagem para o bom velhinho. A roupa nas cores vermelha e branca com cinto preto, e criada por Nast, foi apresentada na revista Harper’s Weeklys nesse mesmo ano.

Em 1931, uma campanha publicitária da Coca-Cola mostrou o Papai Noel com o mesmo figurino criado por Nast, que também eram as cores da marca do refrigerante. A campanha publicitária fez um grande sucesso, ajudando a espalhar a nova imagem do Papai Noel pelo mundo.