Uma cabine de avião com quarto individual

O Grupo Air France-KLM divulgou as novas áreas de classe executiva e primeira classe de seus Boeings 777-200 e 777-300, na Air France, e 747-400, na KLM. Primeira-Classe-Air-France-1024x768 La Première, da Air France São quatro quartos individuais por cabine, com 3 metros quadrados cada. Eles podem ser fechados por uma cortina, para garantir privacidade nos voos de longa distância. A poltrona se reclina em 180 graus e vira uma cama com dois metros de extensão. Os braços do assento são de couro (assim como o encosto para a cabeça) e retráteis. Para regular a iluminação, basta acionar o botão que fecha as persianas. O passageiro pode optar por luz ambiente, de leitura ou de abajur (na cabeceira). Há também uma TV HD de 24 polegadas, com tela sensível ao toque. O acervo soma mil horas de filmes, séries, jogos e músicas. Quando o passageiro decide dormir, os comissários colocam um colchão em seu assento, com travesseiro e edredom da marca Sofitel My Bed. Também há uma mesa e uma banqueta, para o caso de o passageiro receber uma visita durante o voo. Como brinde, os passageiros da primeira classe ainda ganham uma necessaire com cosméticos Givenchy, que inclui um creme “anticansaço” para os olhos. No Brasil, os quartos estarão disponíveis para voos entre São Paulo e Paris a partir de outubro. Executiva-Air-France-1024x724 Business Class, da Air France Na classe executiva, não há quartos, mas estações – o espaço é aberto, ainda que individualizado. A poltrona também se reclina em 180 graus, para virar uma cama com 1,96 metro de comprimento. Em qualquer lugar na aeronave, todos os assentos da categoria dão acesso direto ao corredor Uma mesa ajustável, de 48 por 42 centímetros, garante 25% de espaço a mais que as mesinhas de poltronas convencionais. Além dela, há uma segunda mesa, lateral. Pertences como livros, revistas e tablets podem ser guardados em um bolso, que permanece acessível mesmo com a poltrona reclinada. Há ainda um compartimento para acomodar os fones de ouvido, um espelho e outros objetos pessoais. A TV HD tem 16 polegadas e também funciona como um tablet. A cada mês, a companhia atualiza cerca de 100 horas de programação, em 12 idiomas. A nova classe executiva já está disponível em voos da Air France entre São Paulo e Paris. Os trechos Brasília-Paris e Rio de Janeiro-Paris terão a classe remodelada no primeiro semestre de 2016. Executiva-KLM-1024x683 World Business Class, da KLM O número de assentos foi reduzido de 42 para 35 na classe executiva. Assinado pela designer holandesa Hella Jongerius, o projeto teve como objetivo transformar a ambientação anterior, inspirada no mundo dos negócios, em uma versão mais acolhedora, com tons mais quentes e escuros nos tecidos e revestimentos. Foram incluídas cinco novas cores: berinjela, castanho-escuro, azul-escuro, azul-cobalto e cinza escuro. As poltronas também são completamente reclináveis, com compartimentos de armazenamento de objetos pessoais abaixo das telas de televisão. No Brasil, a classe executiva remodelada estará disponível em voos entre o Rio de Janeiro e Amsterdã a partir de agosto. Entre São Paulo e Amsterdã, só em 2016.

O sal pode ser usado para muito mais coisas que se imagina!

O sal foi o primeiro tempero da civilização. Ele traz qualidade de vida aos homens desde as épocas mais remotas.

O sal é uma combinação de dois elementos químicos: sódio (Na+) e cloro (Cl-). O sódio é um metal tão instável que se inflama em contato com a água e o cloro é um gás letal. O resultado da combinação entre os dois elementos, entretanto, resulta numa substância fundamental para a vida no planeta.

Nos animais, o sal regula a troca de água entre as células e seu meio externo, ajudando-as a absorver os nutrientes e eliminar os detritos para a corrente sanguínea. O sódio é necessário para a contração muscular, incluindo as batidas do coração, e para a transmissão dos impulsos nervosos.

O excesso de consumo de sódio, porém, pode ser prejudicial à saúde, não exagere, nem passe dos limites recomendados para ingestão desse elemento.

Quando o homem começou sua aventura no planeta, o sal não era problema, pois o suprimento diário de cloreto de sódio era obtido a partir da carne crua dos animais que caçavam.

Porém, quando surgiu o fogo, as coisas mudaram. Com o cozimento da carne perde-se o sal naturalmente contido no alimento e aquele sabor, essencial à vida, precisava ser buscado em outro lugar. O homem começava aí sua grande corrida pelo sal.

As primeiras minas (no início, o sal era extraído das minas a céu aberto, e hoje também é retirado do mar) fizeram a riqueza de muitos povos antigos. Era comercializado literalmente a peso de ouro – grama de pó branco contra grama de metal dourado. O que levou Cassiodoro, o senador romano, a observar: “Alguns não precisam de ouro, mas qual é o homem que não precisa de sal”?

A principal via de transporte da Roma antiga chamava-se Via Salaria (Estrada do Sal), por onde os soldados transportavam os carregamentos dos cristais preciosos para a cidade. Como pagamento, eles recebiam o salarium, que significava “dinheiro para comprar sal”. A palavra ficou e a usamos até hoje, sem desconfiar de suas origens.

Marco Pólo descreveu as moedas de sal cunhadas com o selo de Gengis Khan. Até o início do século XX, a Etiópia usava discos de sal como moedas e em algumas regiões da África central era possível comprar uma noiva com um bom carregamento de sal.

Tão valioso, o sal ganhou um significado quase sagrado. Tornou-se sinônimo de graça, espírito, sabedoria, pureza e hospitalidade. O poeta grego Homero chamou-o de “divino”. O filósofo Platão definiu-o como a “substância cara aos deuses”. “Vós sois o sal da terra”, disse Jesus, segundo a Bíblia . Os hebreus selavam seus acordos trocando sal. Os beduínos, na Arábia Saudita, não atacavam um homem cujo sal haviam partilhado alguma vez.

Tanto hebreus, quanto gregos e romanos, costumavam salgar os sacrifícios oferecidos aos deuses. Nesses rituais está a origem de uma das superstições mais comuns da Antiguidade. Se o sal era derrubado na hora do sacrifício, isso prenunciava má sorte.

Mas o sal também tem muitos usos em casa, para além de temperar a comida. Por exemplo, na limpeza doméstica!

Veja só:

  • Elimina toda a sujeira que se produz por queimas ou derramamento nas panelas, frigideiras, panela de pressão, forno e boca do fogão. Aplique sal e retire com toalha de papel.
  • Retira as manchas de vinho dos tecidos: você deve secar aplicando sobre a área atingida uma quantidade generosa de sal. Deixe por alguns minutos e depois enxágue a peça, caso se trate de uma roupa. Se for um tapete, varra e passe o aspirador.
  • Desodoriza e limpa a geladeira. Aplique sal e água com gás na porta e dentro da geladeira por alguns minutos antes de descongelar ou limpar.

  •  Elimina as manchas de ferrugem nos tecidos, misturando um pouco de sal com suco de limão, umedecendo bem e depois secando ao sol. Lave depois, como de costume.
  • Reduz o mau cheiro nos frascos e garrafas, tanto de vidro como de plástico. Adicione uma colher de sal dentro do recipiente e deixe por alguns minutos. Lave-o normalmente com detergente ou outro produto de limpeza.
  • Retira as manchas da banheira, pia do banheiro e da cozinha. Faça uma mistura de aguarrás com sal. Aplique sobre as superfícies e deixe por 15 minutos. Desse modo, aquela incômoda cor amarela sairá. Depois, passe uma esponja úmida para retirar os excessos e ficar com as peças limpas.

  •  Dá brilho às peças de bronze, estanho, prata e cobre. Faça uma mistura em partes iguais de vinagre, farinha e sal. Aplique nos objetos e deixe por quinze minutos. Retire com uma escova suavemente e seque com um pano seco. Depois é só polir.
  • Dá brilho às cores das roupas ao lavá-las, como, por exemplo, as cortinas e os tapetes de fibras naturais.
  • Remove as manchas de suor da roupa. Coloque quatro colheres de sal em um litro de água quente. Esfregue com uma esponja até que a auréola desapareça.

Fonte:
http://melhorcomsaude.com/