Atualidades, Curiosidades, Family

Por que as mães brasileiras não saem do hospital tão rápido quanto Kate Middleton?

POR FABIANA FUTEMA – UOL

A alta médica a jato da duquesa Kate Middleton, mulher do príncipe William, surpreendeu as mães brasileiras, acostumadas a passarem mais tempo no hospital depois de darem à luz. Kate deu entrada no hospital às 6h (horário local) deste sábado, teve o bebê às 8h34 e dez horas depois foi para casa.

royal-baby

Se fosse no Brasil,  Kate teria passado ao menos 48 horas no hospital. Esse é o prazo definido pela portaria 1.016, de 1993, que dispõe também sobre o alojamento conjunto de mãe e filho na maternidade.

“As altas não deverão ser dadas antes de 48 horas, considerando o alto teor educativo inerente ao sistema de ‘Alojamento conjunto’ e, ser este período importante na detecção de patologias neonatais”, diz a portaria. Aqui, as maternidades costumam dar alta para as mães que tiveram parto normal em 48 horas. Para as que fizeram cesárea, a alta costuma sair em 72 horas.

A pediatra, epidemiologista e coordenadora da Comissão Perinatal e do Movimento BH Pelo Parto Normal, Sônia Lansky, diz que não existe nenhuma evidência cientifica indicando que esses são os prazos adequados de internação depois do parto.

“Hospital não é ambiente para bebê saudável e para mãe saudável”, diz Sônia. “Nossa portaria é antiga e muito rígida.”

Segundo ela, essa rigidez acaba causando problemas, como a falta de vagas de maternidades e hospitais. “Aquele bebê saudável, que já poderia ter ido para casa, fica ocupando uma vaga por 48 horas.”

Mas o atendimento das mães inglesas, como Kate, se encerram naquelas poucas horas do hospital? Sônia diz que lá a continuidade do atendimento é feito em casa por uma enfermeira obstetriz. Essa profissional vai até a casa da mulher e verifica as condições gerais da mãe e da criança, o sangramento vaginal e a evolução da amamentação.

GTY_kate_middleton_jt_150409_16x9_992

Na avaliação de Sônia, há condições para adoção de um sistema semelhante no Brasil. O custo do atendimento domiciliar seria compensado pela redução dos gastos com internações desnecessárias.

Segundo ela, há um grupo dentro do Ministério da Saúde estudando a modificação do prazo de internação. “Esse tempo não seria o mesmo para todas as mulheres. Uma mãe adolescente, cheia de dúvidas, precisa ficar mais tempo no hospital. Já uma mãe de três filhos, que sabe bem como amamentar, ela mesmo quer ir logo para casa.”

Entre as ideias em análise está a redução do prazo mínimo, para parto normal, para 24 horas, após a realização do teste de oxiometria de pulso – conhecido como teste do coraçãozinho.

Vale lembrar que esses prazos mínimos de internação são válidos apenas para mulheres sem complicações médicas no pós-parto.

Atualidades, Curiosidades, Family, Novidades, Sabedoria

Frutas exóticas melhoram a saúde

Desconhecidas de muitos brasileiros, frutas exóticas  de várias partes do mundo – e que já comentei aqui – podem compor uma alimentação saborosa e ainda contribuir para melhorar a saúde. 

frutas-exóticas-saude

Elas são fonte de vitaminas, fibras e antioxidantes, que ajudam a prevenir câncer. O potássio encontrado em muitas delas auxilia no controle da pressão arterial.

Além das frutas tradicionais, que fazem a sua saúde ficar perfeita, as frutas exóticas ainda previnem doenças como: gripe, enjoo, mal estar e principalmente melhoram a pele, ajudam a emagrecer, fortalecem os cabelos e muitas outras coisas.

Quais são 

Pitaia,, pitaya ou Fruta-do-dragão:  é  muito comum no México, é bem doce e possui vitaminas A e C. Quando consumida, a polpa da fruta protege a mucosa gástrica. Consumimos a fruta juntamente com as sementes porque elas não saem. A contra indicação dessa fruta é que deve ser consumida em pequenas quantidades, por que é conhecida como laxativa. Dá para fazer suco ou até mesmo geleias bem docinhas.

pitaia

Cherimoia, natural dos Andes, tem uma semelhança com a famosa fruta-do-conde. As sementes não são consumíveis e a polpa é doce e cremosa. O sabor remete a lembranças dos sabores da banana, abacaxi, morango e mamão. Ela possui vitamina A e é rica em fibras, além de potássio.

Cherimoia

Kino, originário da África, é rico em vitamina C e é ótimo para fortalecer o sistema imunológico. É utilizado para reduzir o apetite pois sua composição contém muita fibra. Seu consumo ainda ajuda a controlar o colesterol.

kino-fruta-ajuda-emagrecer

Granadilho é uma fruta típica de vários países da América do Sul e tem, em sua composição, fibras e vitamina A. Essa fruta ajuda na redução do colesterol, e ajuda ainda a controlar a diabetes. Ela não tem muita polpa, mas o lado bom é que as suas sementes são próprias para comer.

granadilho

Longan é uma fruta que veio da Índia e é muito cultivada na China, onde é conhecida como “olho de dragão”. Ajuda no combate da anemia e o seu sabor lembra o do melão. A fruta tem vitamina C e muito ferro e lembra muito a lichia, mas é muito mais eficaz que ela. Ela pode ser consumida normalmente quando descascada ou em suco.

Longan

Rambutão, fruta do sudeste da Ásia, particularmente na Malásia, tem pelos por fora e sabor doce e levemente ácido. É rico em vitamina C, que melhora o sistema imunológico e previne as doenças.

egXxNNT

Dicas

– Você pode usar o rambutão em pratos salgados, misturado com frango, por exemplo.

– Além da polpa da pitaya, sua casca costuma ser usada para fazer geleia.

– Todas essas frutas podem ainda ser consumidas em saladas, tanto de legumes quanto de frutas.