Manda estagiário fazer, dá nisso…

Todo mundo brinca com o estagiário.

Uma definição científica que corre por aí diz que o estagiário é uma subespécie chamada Inutilis RastejantisPodem atingir um nível cognitivo muito próximo ao dos seres humanos normais,  diferenciando-se apenas por serem acometidos de algumas anomalias cerebrais irreversíveis, o que para esta subespécie é um indicativo de evolução. Ao atingir esse nível, eles passam a ser chamados de Chatus uni-eskina-universitarius.

No meio corporativo, o estagiário é tido como uma criatura que não tem nada para fazer e não tem raciocínio próprio, porém sabe reconhecer uma ordem simples e está disposto a trabalhar mais e ganhar menos que os outros membros da empresa.

Normalmente, o estagiário é contratado para realizar o trabalho de outros profissionais para que estes tenham tempo de jogar Candy Crush e postar no Facebook. 

Por mais que o estagiário diga que “não é bem assim”, de tempos em tempos surgem evidências de que… “Sim, é assim”. Vejam o exemplo abaixo:

Eu encerro meu caso, Meretíssimo.

Anúncios

O Dinheiro e suas histórias

Você já imaginou como seria a nossa vida sem dinheiro?

Atualmente, acho que ninguém consegue nem pensar nessa possibilidade, mas houve tempo em que o dinheiro não existia – enquanto moeda como conhecemos hoje. Tudo era na base de troca.

Você deve ter ouvido falar disso… O escambo.

Era uma troca de mercadoria por mercadoria, e funcionava mais ou menos assim: eu tenho carne sobrando, e você tem milho sobrando. Preciso do milho e você quer carne, então a gente trocava um pelo outro. O problema é que nem sempre a coisa funcionava sem problemas, porque às vezes era complicado estabelecer o real valor de cada coisa. Tal obstáculo levou cada civilização a encontrar uma maneira de dar valor às mercadorias baseado em algum elemento que tinha um significado importante para aquele povo. Surgiram então as moedas de troca ou moedas-mercadorias…

Este slideshow necessita de JavaScript.

Alguns tipos de mercadoria, como as cabeças de gado ou peças de metais preciosos – por serem mais escassas e, por isso mesmo, mais procuradas – passaram a ter mais valor que outras. A mesma coisa com o sal. Ele não era tão comum como atualmente, e servia antigamente principalmente para conservar os alimentos. Então, tornou-se um valioso instrumento de troca. Foi inclusive usado para pagar os soldados romanos, daí a origem da palavra “salário”!

Com o passar dos séculos, as pessoas perceberam que era complicado usar mercadorias perecíveis nas suas transações. O valor oscilava muito e não dava para acumular riquezas. Por exemplo, se eu trocasse lenha por peixe, acabaria comendo toda a minha fortuna – ou, se não, minha casa ficaria fedendo peixe se demorasse pra… Hã… Gastar esse “dinheiro”… Foi aí que o metal entrou na história. Ele podia ser manipulado e transformado em moedas, o que era mais fácil de ser transportado em vez de barras.

As primeiras moedas, cunhadas em ouro e prata, surgiram na Lídia (atual Turquia), no século VII a.C. Eram parecidas com as que conhecemos hoje, com peso e valor definidos e com a impressão de algum símbolo oficial para atestar a sua origem.  A primeira figura histórica a ter sua imagem registrada numa moeda foi Alexandre, o Grande, da Macedônia, por volta do ano 330 a.C.

O papel-moeda surgiu bem depois, quando as pessoas começaram a guardar seus bens de valor naquilo que mais tarde se convencionou chamar de “banco”, ganhando de volta um recibo daquilo que fora guardado.  Com o tempo, esses recibos passaram a circular de mão em mão, sendo utilizados como forma de pagamento. Foi assim que surgiu a “moeda de papel”.

 

Gostou? Essas curiosidades, e muito mais, você encontra no e-book DINHEIRO História, Mitos & Crenças.

DINHEIRO História, Mitos & Crenças

Você vai conhecer alguns fatos divertidos, tudo sobre as moedas do mundo,  dicas de organização financeira e muito mais.

O e-book está à venda na Amazon e também na Saraiva. Você vai gostar!

 

 

 

AS MAIORES MENTIRAS ESPALHADAS PELA IMPRENSA

Era primeiro de abril quando uma reportagem na televisão revelou um macarrão que nascia em árvores. Também era primeiro de abril quando uma propaganda anunciava um hambúrguer feito especialmente para ser comido por canhotos.

Mulher colhe macarrão em cena de especial da BBC.

É bom tomar cuidado com as notícias do “Dia da Mentira”, porque às vezes isso ultrapassa as brincadeiras entre amigos e pode atingir a mídia de todo o mundo, se espalhando com muito mais facilidade por maldade de quem cria as falsas notícias ou por ingenuidade de quem as publica. Abaixo, segue uma lista com as maiores mentiras que já foram espalhadas pela imprensa em 1º de abril de anos anteriores. O ranking foi divulgado pela agência de notícias France Presse.
10º – A rede inglesa “BBC” fez uma reportagem em 1957 dizendo que, graças ao clima e ao controle de pragas, os fazendeiros suíços estavam conseguindo uma excelente safra de espaguete. As imagens mostravam fazendeiros colhendo o macarrão direto de árvores. A redação da TV recebeu milhares de ligações pedindo mais detalhes da história.

 – Uma reportagem da revista “Sports Illustrated” dizia que o time de beisebol New York Mets havia contratado um lançador capaz de arremessar a bola a 270 km/h, muito acima das melhores velocidades registradas, em torno dos 160km/h. Em entrevista, o jogador dizia que havia desenvolvido a técnica num monastério tibetano. A história foi desmascarada pouco tempo depois.

8º – Em 1962, quando só havia TVs em preto-e-branco na Suécia, um técnico do único canal do país convenceu os suecos a colocarem uma meia-calça de nylon cobrindo as telas dos aparelhos de televisão. Ele dizia que se tratava de uma nova tecnologia que permitiria que, assim, passassem a ver o sinal da TV em cores. A TV colorida só passou a existir no país em 1970.

Foto: Reprodução

Reportagem do “NY Times” sobre o Taco Liberty Bell…

 – Em 1997, a rede de lanchonetes Taco Bell irritou milhares de cidadãos norte-americanos ao anunciar que havia comprado o Sino da Liberdade da Filadélfia [Liberty Bell, em inglês], um símbolo histórico da independência norte-americana. A lanchonete dizia que ia mudar o nome do sino para “Taco Liberty Bell”. Já estavam acontecendo protestos quando a Taco Bell revelou que era uma pegadinha de 1º de abril.

Mapa de San Serrife, república fictícia do “Guardian”.

 – O “Guardian”, um dos principais jornais ingleses, publicou em 1977 um suplemento especial de sete páginas sobre o aniversário de dez anos de San Serriffe, uma pequena república no Oceano Índico formada por várias ilhas no formato de ponto-e-vírgula. Vários artigos descreviam a geografia e a cultura das duas principais ilhas, chamadas de “Ponto” e “Vírgula”. para quem é versado em tipografia, vai notar que o nome da república é Sem Serifa e que o nome das cidades e outros pontos geográficos são nomes de fontes e outros sinais gráficos.

 – A “National Public Radio” dos Estados Unidos anunciou em 1992 que o ex-presidente Richard Nixon voltaria a ser candidato à Presidência. Seu novo slogan de campanha seria: “Eu não fiz nada de errado e não farei novamente.” A rádio divulgou até mesmo clipes de Nixon anunciando a candidatura. Depois de a notícia se espalhar, a rádio admitiu que a voz de Nixon havia sido gravada por um imitador.

 – Uma newsletter divulgada pela suposta entidade New Mexicans for Science and Reason divulgou em 1998 um artigo em que dizia que o estado norte-americano do Alabama havia decidido mudar o valor de pi de 3,14159… para o “valor bíblico” de 3,0.

 – A rede de fast-food Burger King publicou um anúncio de página inteira no jornal “USA Today” em 1998 anunciando a criação do “Whopper canhoto”, projetado especialmente para os 32 milhões de norte-americanos canhotos. Pela propaganda, o novo sanduíche incluía os mesmo ingredientes do Whopper original, mas os temperos eram colocados em rotação de 180º. Milhares de clientes se dirigiram às lojas pedindo a novidade, enquanto tantos outros pediam a versão original “para destros”.

Foto do hotheaded naked ice borer apresentado na “Discover Magazine”.

2º – A “Discover Magazine” anunciou em 1995 que o altamente respeitado biólogo Aprile Pazzo [nome italiano para primeiro de abril] havia descoberto uma nova espécie na Antártida: o hotheaded naked ice borer [algo como atravessador de gelo pelado de cabeça quente]. A criatura era descrita como tendo uma crista fervente que permitia que os animais atravessassem o gelo em alta velocidade – técnica usada para caçar pinguins. O animal fotografado foi criado por um diretor de arte, e a revista recebeu mais cartas sobre essa notícia, desmentida mais tarde, do que sobre qualquer outro artigo publicado até então. A história foi repetida como sendo verdadeira no livro “The Unofficial X-Files Companion” (page 38–39) de N.E.Genge, [Macmillan 1996].

 – O reconhecido astrônomo inglês Patrick Moore anunciou no rádio, em 1976, que exatamente às 9h47 um evento astronômico inédito iria acontecer: Plutão iria passar por trás de Júpiter e assim causar um alinhamento gravitacional que reduziria a gravidade terrestre. Moore dizia que, se os ouvintes pulassem no momento exato do alinhamento, poderiam experimentar uma sensação de flutuar. Centenas de pessoas relataram ter sentido a sensação…

Acho que, hoje em dia, brincadeiras como essas não seriam mais possíveis, principalmente por causa da internet e da facilidade em se checar fatos. Mas, pensando bem, exatamente por causa da internet acho que elas seriam disseminadas mais rapidamente…

Acho que vou testar, eh eh eh…

 

 

 

Fonte:
 France Presse