Acidentes curiosos com veículos de outra época

O amigo Aurélio de Oliveira, escritor, professor, rockeiro, redator e que sabe fazer um molho a bolonhesa que nem em Bolonha tem igual, mandou essa contribuição originalíssima e curiosa. Como disse ele, “o que mais chama a atenção não foram nem os acidentes em si, mas a extraordinária qualidade das fotos, algumas delas com mais de 80 anos!”

Em 1895, na estação de Montparnasse, Paris, a locomotiva perdeu os freios e atravessou 30 metros do saguão da estação antes de arrebentar a parede e despencar os 10 metros até a calçada. Os 131 passageiros sofreram apenas ferimentos leves, e só foi registrada uma morte: uma mulher que passava na rua e foi atingida pelos destroços da parede. Quem assistiu à obra-prima de Martin Scorcese, “A Invenção de Hugo Cabret”, vai se lembrar da reconstituição dessa cena.

Boston, EUA, 1925: outro condutor que perdeu a direção. Desta vez, o motorista foi parar na escadaria que dava para os porões do edifício.

Londres, 1923: trator a vapor perde a roda traseira em Pall Mall. Inaugurando os engarrafamentos…

Falando em engarrafamento, este aconteceu na ponte de Harvard, em Cambridge, Massachussetts, em 1923. Os acidentes de tráfego eram muito comuns nas cidades mais populosas, muito por conta da falta de experiência em manejar os “cavalos mecânicos” por parte dos motoristas da época. Afinal, até então, eles pilotavam charretes movidas a cavalos…

O carro ficou preso apenas pela cerca… Brooklyn, Nova York, em 1931.

Em 1927, esse furgãozinho dos Correios bateu na árvore, em Boston. O condutor, para não atrasar a entrega das correspondências, levou as sacas de cartas nas mãos e foi fazer as entregas a pé.

Washington, 1920. O senador Boies Penrose detonou seu carro, provavelmente por causa das ruas escorregadias em função de recente nevasca… Bem, o fato é que as vítimas do acidente, além do carro do senador, foram uma caixa de cartas, um poste com telefone para chamadas de emergência e um poste de iluminação pública. A árvore escapou, exceto pelo tronco meio lascado…

Não encontrei maiores informações sobre onde ocorreu esse acidente e nem que tipo de veículo era… Se um furgão, um ônibus ou um carro. Porque sobrou muito pouco para contar a história.

E, para encerrar, uma foto histórica de 1908, provavelmente a primeira foto de um acidente com balão. Não se sabe exatamente o que aconteceu para que o balão batesse no edifício, mas o acidente aconteceu em 14 de julho de 1908 em Nancy, França, sem feridos graves, felizmente.

86c5eb4c123018918f789352ac930514


12 incríveis fotos da São Paulo antiga

Sempre visito o site de Douglas Nascimento, jornalista, fotógrafo e pesquisador independente, que edita o site São Paulo Antiga e é membro do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (IHGSP).  Na minha última visita, me deparei com uma postagem fantástica que reproduzo aqui e para a qual dou o devido crédito, no final. Ela é especialmente interessante para quem mora na cidade de São Paulo e pode comparar o “ontem” com o “hoje”…

 

São Paulo é uma cidade que, como qualquer outra grande metrópole, sofreu muitas transformações ao longo do século 20. Porém, poucas cidades chocam tanto pelos contrastes entre o passado e o presente como a capital paulista. Para mostrar o quanto essas transformações foram profundas (e nem sempre benéficas), fizemos uma seleção de 12 antigos cartões postais paulistanos do passado, produzidos entre 1921 e 1967,  para mostrar uma São Paulo que praticamente não existe mais.

1 – Cidade sem trânsito

Quem poderia imaginar, nos dias de hoje, uma vista tão tranquila e quase deserta da movimentada Avenida 9 de Julho? No lado esquerdo do postal, o Edifício Brasilar ainda em construção, e no lado direito ainda não existia o famoso Edifício Joelma.

Crédito: Divulgação

2 – Carros mais coloridos

Pode parecer bobagem, mas a ausência de carros das mais diversas cores nas ruas contribui com o visual frio e acinzentado da capital paulista. Neste postal do Largo do Arouche, cor é o que não falta. Ao fundo, bem no horizonte, o Edifício Itália em fase final de construção.

Largo do Arouche

3 – Sai um cartão postal, entra outro

No mesmo lugar, dois ícones da capital paulista. No postal, a antiga e inesquecível Vila Normanda, um verdadeiro pedaço da Europa em São Paulo, ainda de pé, e que seria demolida alguns anos mais tarde, para a construção do Edifício Itália. Qual você prefere ?

Avenida Ipiranga

4 – A dor de um parque que sucumbiu

Responda rápido: quantas vezes você desfrutou do Parque D. Pedro II ? Se você tem menos de 40 anos, é bem possível que nunca tenha aproveitado. Uma área verde que tinha tudo para ser o mais belo parque urbano do Brasil, hoje tem horários que dá até medo de passar. Mas no passado, como mostra o postal a seguir, era um lugar com uma beleza de tirar o fôlego.

Parque Dom Pedro II

5 – Cadê as faixas de trânsito ?

Neste incrível cartão postal da Praça da Bandeira (peraí, cadê a praça  ?), uma amostra de que o trânsito paulistano já dava seus primeiros passos rumo ao caos, com a total ausência de faixa de pedestres, além de pessoas e carros trafegando para todos os lados sem muita orientação.

Praça da Bandeira

6 – A “Broadway” paulistana

A Lei Cidade Limpa, criada na gestão do prefeito Gilberto Kassab, foi bastante benéfica para a cidade. Mas é impossível não gostar da Avenida São João neste raro postal colorido da década de 1960, e também não lembrar da Broadway em Nova Iorque.

Avenida São João

7 – Tardes tranquilas no aeroporto

Os mais novos não tiveram esse prazer, mas quem teve não esquece. Passar a tarde no café do Aeroporto de Congonhas observando o sobe e desce dos aviões devia ser uma grande diversão… para todas as idades.

Aeroporto de Congonhas

8 – Jardins do Museu Paulista

Neste belo postal colorido da década de 1950, o calçadão do Museu Paulista, hoje uma meca para os skatistas, ainda não existia e ali era liberado ao trânsito de veículos. No lado direito, uma publicidade de marca de cigarro nos jardins do museu.

Museu Paulista

9 – Onde estão todos ?

Neste postal da Avenida Brigadeiro Luís Antônio da década de 1920, uma via absolutamente deserta. No lugar do ruído dos ônibus articulados de hoje, apenas dois bondes  e algumas poucas carroças.

Avenida Brigadeiro Luis Antonio

10 – Um centro mais charmoso…

Embora muitos apreciem os modernos prédios paulistanos que foram construídos tanto na Rua Líbero Badaró, como na Praça do Patriarca, é inegável que a região era muito mais charmosa quando ainda existiam os Palacetes Prates e o antigo prédio do Mappin, que foi demolido para dar lugar a um arranha-céu de um banco.

Palacetes Prates

11 – O Palácio 9 de Julho

Na época deste postal, o magnífico Palácio das Indústrias tinha outro nome. Porém, o que mais chama a atenção nesta imagem é a beleza e a elegância da região, que foi arrasada com obras viárias mal planejadas, como o Viaduto Diário Popular. Será que veremos novamente a região tão bela como nesta imagem ?

Palácio das Indústrias

12 -Calçadas mais estreitas…

Por fim, neste postal da década de 1930, um Largo São Francisco não muito diferente dos dias atuais. Se o prédio permanece o mesmo, as calçadas era um tanto quanto diferentes, muito estreitas.

Largo São Francisco

 

Fonte:
http://www.saopauloantiga.com.br