Carta à amante do marido

Cara sócia,
Há uns oito anos eu venho fingindo que não sei da sua existência. Claro, isso até agora foi bastante desagradável, mas ao mesmo tempo, muito conveniente pra mim.
Como você deve saber, meu marido sempre teve um excelente salário. Imagina, lógico que você sabe, afinal uma mulher bonita como você e com trinta anos só ficaria mesmo com um homem de cinquenta e sete anos desde os seus vinte e dois, por dinheiro.
Afinal, convenhamos, ele é careca, barrigudo, chato, lerdo e caso você não saiba, não toma banho todos os dias. Isso sem falar que ele ronca como um urso e sofre de bronquite asmática crônica, o que faz com que ele produza sons ensurdecedores, principalmente à noite.
É óbvio que quando nos casamos, tudo era bem diferente. Ele era esbelto, tinha uma cabeleira invejável, não roncava, a bronquite ainda não existia porque ele não fumava quatro maços de cigarros por dia. Peguei, portanto, o filé, você ficou com a muxiba.
Recentemente, encontrei uma carta sua no bolso do paletó dele, onde você dá um ultimato ao infeliz. Ou eu ou ela! (a ela sou eu).
Bem que eu tenho notado que o pobre coitado tem estado nervoso, ansioso e desesperado. Imagina, se uma peça de museu como ele vai querer perder essa mamata de desfilar por aí com uma mulher como você? Mas a boa notícia vem agora. Prepare-se, você vai se emocionar!
Eu resolvi facilitar as coisas para vocês. Hoje, pela manhã, pedi o divórcio. Aliás, não sei se você já sabe, agora no final da tarde ele me ligou desesperado contando que foi demitido. Coitadinho, não é mesmo? Há exatamente oito anos ele era presidente daquela multinacional. E você sabia que ele foi demitido por justa causa?
Menina nem te conto, aqui entre nós, meteu a mão no que não devia.
Bem, mas você deve estar se perguntando por que eu não estou tão desesperada quanto você está agora. É o seguinte, querida: algumas coisas bastante interessantes têm acontecido na minha vida nessas últimas semanas.
Primeiro, ganhei na mega-sena, sozinha, quarenta milhões! Estava acumulada.
Claro que quem foi receber esse dinheiro foi minha irmã, pessoa da minha mais alta confiança, para que o seu barrigudinho não tenha direito a um centavo sequer, e ele, obviamente, ainda não sabe disso. Mas não fique triste, nem tudo está perdido para vocês. Eu procurei me informar e descobri que você tem um empreguinho de secretária num escritório fajuto de advocacia, assim, poderá comprar o viagra de que ele tanto precisa.
Quanto a mim, cara sócia, já estou com um gatão de vinte oito anos que nunca viu um comprimido desses azuis, exatamente porque não precisa deles.
Ah…ouvi dizer que tem uma farmácia que está fazendo promoção, os remédios em geral estão bastante em conta, depois mando o endereço certinho pra você.
Cara sócia, quer dizer, ex-sócia, uma vez que não dividimos mais o mesmo… homem, desejo, de coração, que vocês sejam felizes e até dou minha mão à palmatória que o amor venceu, o seu. Afinal eu já não aguentava mais aquela praga vivendo ao meu lado, mas me acomodei por causa dos nossos filhos e, também, porque boa ou ruim tínhamos uma história de anos.
Caso você não saiba, eu tenho quarenta e oito anos e ainda dou um excelente caldo, haja vista que o meu gato tem vinte e oito e nem imagina que eu ganhei na mega-sena, portanto não está comigo por dinheiro.
Felicidades!
PS – Nunca esqueça de colocar gorro e meia no seu barrigudinho na hora de dormir. Ele cisma que assim tosse menos durante a noite. (Pura ilusão!)
(Pra quê o marido foi chegar mais cedo? Vida de amante é difícil…)

O metrô de Estocolmo, na Suécia

Gosto de São Paulo, vivo aqui minha vida toda, admiro as pessoas que trabalham e se divertem aqui, mas não posso negar que certas coisas me deprimem, e uma delas é ver como nossas autoridades e políticos manipulam o dinheiro que arrecadam da gente. Vejam o caso do metrô e comparem como as coisas são em Estocolmo e aqui. Será que custa tanto a gente ter algo parecido e ver o dinheiro dos impostos voltar assim?

O metrô de Estocolmo tem três grupos (azul, verde e vermelho) e sete linhas. A cidade tem quase 1 milhão e meio de habitantes e a área metropolitana tem 2 milhões e tanto de pessoas, e olha como são servidos de transporte público. Aí vão vir com a desculpa de que São Paulo tem dez vezes mais habitantes, tudo aqui é mais complicado e blá-blá-blá… Só que a população de Estocolmo tem metrô desde 1950 e o nosso começou a operar apenas 24 anos mais tarde! (já se estudava a construção de metrô em São Paulo desde 1948, mas TODOS os projetos foram abandonados…)

As linhas de Estocolmo seguem a malha rodoviária urbana, ou seja, o metrô foi planejado para que suas estações se situem exatamente sob as esquinas das ruas, assim, é possível planejar saídas nos quatro pontos da esquina e minimizar riscos de acidentes envolvendo pedestres, já que os mesmos “atravessam a rua por baixo”. Fora que, durante a construção de suas mais de 50 estações subterrâneas (existe outro tanto na superfície), eles aproveitaram a rocha natural, economizando tempo e dinheiro em obras inúteis e criando formas de expressão artística:

O metrô de Estocolmo é exemplo de planejamento e mobilidade urbana, além de ser uma galeria de arte e design gratuita.  São Paulo tem muito a aprender em projetos de metrô… o último bem planejado foi o da Estação São Bento, que integra a cidade com elementos de mobilidade urbana. O resto são caixas enterradas e mal planejadas.